Para Bolsonaro radares nas estradas pode ter objetivo apenas de multar

 

radares
Foto: Reprodução

Da  Gazeta do Povo

O presidente Bolsonaro (PSL) anunciou no twitter neste domingo (31), que está cancelado instalações de radares eletrônicos em rodovias federais cujo contratos serão revisados e avaliado a necessidade deles.

“Após revelação do @MInfraestrutura de pedidos prontos de mais de 8.000 novos radares eletrônicos nas rodovias federais do país, determinei de imediato o cancelamento de suas instalações. Sabemos que a grande maioria destes têm o único intuito de retomo financeiro ao estado”, disse em tom de preocupação com motoristas flagrados cometendo infrações nas rodovias.

Ele diz ainda que “verificando a real necessidade de sua existência para que não sobrem dúvidas do enriquecimento de poucos em detrimento da paz do motorista.”

Estudos revelam que a redução da velocidade média no trânsito resultou na diminuição de acidentes e mortos. Na França onde foram instalados radares nas rodovias entre 2003 e 2004, A queda da velocidade média nas rodovias sofreu uma redução de 36% no número de mortes no trânsito.

Radares inibem motoristas de desrespeitar os limites de velocidade implantados para aumentar a segurança viária. Respeitar o limite é uma questão legal, independentemente de haver radar ou não. Se você for multado é porque não seguiu a legislação de trânsito.

Morre Helena Leite: voz forte do Rádio e Cultura Popular Maranhense

 

helena leite
Helena Leite /Foto:Reprodução

Segundo as primeiras informações, Helena passou mal na noite desta sexta-feira (29), foi levada para UPA do Vinhais, mas não resistiu e faleceu. Ela vinha apresentando vários problemas de saúde nos últimos tempos.

Com a impossibilidade de atuar no rádio, descobriu no twitter o canal ideal para externar suas opiniões com mesmas características que fizeram dela uma das mais destacadas e singular personalidades da Comunicação de Massa no Maranhão.

Com a morte de Helena perde muito o Rádio Interativo e a Cultura Popular do Maranhão, em especial o Bumba Boi, sua inquestionavelmente grande paixão.

Filho de Jango para Bolsonaro: “Não vai destruir a história do meu pai”

 

Plenário do Congresso
João Vicente Goulart. filho do ex-presidente Jango/Foto: Geraldo Magela/Agência Senado

A determinação de Jair Bolsonaro para celebrar o 31 de março, ainda continua provocando reações contra uma das mais recentes polêmicas causadas pelo presidente. A mais nova manifestação contrária a medida foi de João Vicente Goulart, filho de João Goulart, (o Jango), que era Presidente da República, quando ocorreu o ‘Golpe de 64’.

“Ele está comemorando uma tragédia que se abateu sobre o povo brasileiro durante 21 anos de obscurantismo. Durante 21 anos o povo brasileiro foi impedido de votar para presidente da república. Durante 21 anos foi fechado várias vezes o Congresso Nacional”, afirmou o filho de Jango em entrevista à agência de notícias Uniceub (Centro Universitário de Brasília).

Para minimizar a polêmica e o desgaste do governo, esta semana o presidente Bolsonaro resolveu mudar o termo de “comemoração”, para “rememoração”.

(Do Congresso em Foco)

Othelino Neto é o novo presidente do Colegiado do ParlaNordeste

 

parla
Foto: Reprodução

O deputado Othelino Neto (PCdoB), presidente da Assembleia Legislativa do Maranhão, foi eleito presidente do Colegiado de Presidentes de Assembleias Legislativas do Nordeste para o ano de 2019.

A escolha de Othelino ocorreu na tarde desta sexta-feira (29), no Palácio Manoel Beckman, em São Luís, durante a 3ª edição ParlaNordeste, que reuniu presidentes dos legislativos Estaduais do Maranhão, Piauí, Ceará, Paraíba e Bahia.

Othelino Neto agradeceu pela eleição e disse que o ParlaNordeste é um fórum de fundamental, principalmente, no momento pelo qual passa o país.

“Precisamos ficar vigilantes para que o Nordeste não tenha prejuízos e retrocessos naquilo que já está previsto na Constituição. Essa instância é de fundamental importância para que nós possamos falar para o Nordeste e para o Brasil”, enfatizou.

O 3º ParlaNordeste discutiu sobre o Consórcio de Governadores do Nordeste, Reforma da Previdência, Pacto Federativo e Fortalecimento dos Órgãos Regionais de Desenvolvimento. A posição do ParlaNordeste sobre esses temas foi externada por meio da Carta de São Luís.

Flávio Dino diz que calote no Maranhão quem deu foi o grupo Sarney

 

dino-reproducao-e1553192170255
Governador Flávio Dino (PCdoB)/Foto: Reprodução

O governador Flávio Dino reagiu no twitter, nesta quinta-feira (28), aos ataques sistemáticos que passou sofrer de políticos e setores da imprensa ligados à oposição ao seu governo no Maranhão.

A ação foi iniciada após ser encaminhado pelo governo à Assembleia Legislativa do Estado, mensagem solicitando autorização para obter o empréstimo de R$ 600 milhões, para pagar precatórios. A mesma medida já teria sido adotada por outros estados

precatorio

Para Dino, seus opositores tentam jogar para opinião pública que estão preocupados com o Maranhão, quando verdadeiramente apenas desejam voltar ao poder no estado de qualquer jeito.

“Pegamos a maior recessão econômica nacional desde 1929. Não me queixo. Luto com o que tenho e como posso. Mantemos o Estado funcionando. Ampliamos serviços públicos. Eles foram rejeitados em 2014 e 2018, mas, em desespero, querem voltar a mandar no grito. Coisa feia”, acrescentou Flávio Dino.

Márcio Jerry é um dos idealizadores da subcomissão de Cibersegurança da Câmara Federal

 

MJ 1 (1)
Deputado Márcio Jerryn(PCdoB) durante reunião da Comissão de Ciência e Comunicação, e Comunicação e Informática da Câmara Federal/Foto: reprodução

O deputado federal Márcio Jerry (PCdoB-MA) e seu colega de parlamento Roberto Alves (PRB-SP) foram os idealizadores da subcomissão de Cibersegurança, que terá papel de discutir e propor soluções legislativas, entre outras providências, relacionados a fake news e crimes cibernéticos, incluindo pornografia infantil.

“Este é um tema agudo, grave e que requer um debate muito intenso e capaz de lançar luzes para que a gente possa fazer com que as possibilidades contemporâneas não criem um paradoxo absurdo, que é, na chamada ‘Idade Mídia’, vivermos obscurantismos típicos da Idade Média. Não podemos relativizar a importância estratégica desse tema”, defendeu Márcio Jerry.

Além da subcomissão de Cibersegurança, também foram criadas outras duas: Biometria e Privacidade, e Internet das coisas e Inovação. Todas elas funcionando no âmbito da (Comissão de Ciência e Tecnologia, Comunicação e Informática da Câmara Federal).

Jeisael Marx segue construindo candidatura em São Luís

 

jaizael
Jeisael Marx e Isaias Castelo Branco/Foto: Reprodução

Enquanto alguns debocham, duvidam e tentam fazer pouco caso das pretensões do jornalista Jeisael Marx em concorrer à sucessão do prefeito Edivaldo Holanda Júnior, em São Luís, ele vai se movimentando. Esta semana se reuniu com Isaias Castelo Branco (Presidente do Sindicato dos Rodoviários), para saber mais sobre o sistema de transporte coletivo da capital.

Com agenda ainda modesta, mas focada em áreas e apoios estratégicos, Jeisael vai construindo seu nome. O incomodo que já vem causando em outros políticos e também pretensos candidatos ao pleito, acabou motivando mais o jornalista.

Jeisael Marx não é um nome fora do contexto como defendem alguns céticos da sua candidatura. Com atuação na TV e Rádios da capital, ainda não exerceu mandato eletivo, mas conhece bem os problemas menos e mais graves de São Luís, e tem mantido conversas com especialistas sobre todos eles.

Ney Bello destaca importância do STF para a normalidade democrática

 

ney belo
Desembargador Federal Ney Belo/Foto: Reprodução

O desembargador federal Ney Bello proferiu nesta quarta-feira (27), no Auditório Neiva Moreira do Complexo de Comunicação, na Assembleia Legislativa do Maranhão a palestra  “O STF e a Democracia”.

O magistrado fez uma enfática defesa do Poder Judiciário, especialmente, do Supremo Tribunal Federal para a normalidade democrática do País.

Além de desembargador do Tribunal Regional Federal da 1ª Região, Ney Bello é professor da Universidade de Brasília (UnB), pós-doutor em Direito e membro da Academia Maranhense de Letras. E é reconhecido como um grande defensor dos princípios constitucionais e da garantia do Estado Democrático de Direito.

O presidente da Assembleia Legislativa, deputado Othelino Neto (PCdoB), destacou a importância da reflexão feita por Ney Belo.

“É fundamental compreender que as instituições precisam dialogar e, especificamente, no caso do Supremo, todos não precisam concordar, podem e devem divergir, mas nunca se deve combater a importância e a legitimidade do Supremo Tribunal Federal. Este debate, a qualquer tempo, é um tema da maior importância, porque fragilizar nossas instituições não contribui em nada para a democracia em nosso País”, declarou Othelino.

Para o desembargador Ney Bello os ataques e tentativa de demonizar o STF, principalmente através das redes sociais, não é um caminho bom para as garantias institucionais e democráticas.

“A demonização do STF chegou a um ponto de haver até mesmo, em alguns setores, a ideia de extinção do Supremo, quando se sabe que a ausência dele é mais dolorosa do que sua presença. Não construímos um país melhor acabando com as nossas próprias instituições. De modo que não há como negar a importância do Poder Judiciário como ponto de equilíbrio para a nossa sociedade como um todo”, salientou Ney Bello, ao enfatizar a importância da consolidação do regime democrático no Brasil.

Prestigiaram a palestra diversos juristas, servidores da Casa, operadores do Direito, professores e estudantes de Direito, além dos deputados Vinicius Louro (PR), Fernando Pessoa e Helena Duailibe, ambos do Solidariedade, César Pires (PV) e Professor Marco Aurélio (PCdoB), os secretários de Estado Rogério Cafeteira e Ana do Gás, os juízes Gustavo Vila Boas e Clodomir Reis e o procurador-geral do Estado, Rodrigo Maia.

Eliziane pergunta a Guedes se ele ‘jogará a toalha’ se Reforma não for aprovada

 

guedes
Audiência Pública na Comissão de Assuntos Econômicos do Senado, com o ministro Paulo Gudes/Foto: Reprodução

O Ministro da Economia Paulo Guedes confirmou nesta quarta-feira (27), o que alguns setores da imprensa vem divulgando. Caso a Reforma da Previdência não seja aprovada e for reconhecida divida de R$ 800 bilhões da União com os estados, ele poderá deixar o governo. Mas, só que não será na primeira derrota.

PAULO-GUEDES-NA
Foto: Reprodução

A confirmação da pretensão de Paulo Guedes de ‘jogar a toalha’, caso as pretensões do governo não sejam contempladas, seu deu em resposta a questionamento da Senadora Eliziane Gama (PPS-MA), durante Audiência Pública na Comissão de Assuntos Econômicos, no Senado Federal.

“Tenho compromisso de não sair na primeira derrota. Mas, se reconhecerem a divida de R$ 800 bilhões da União com os estados, e a Reforma da Previdência não for aprovada vou ficar fazendo o que aqui? Não vou ficar bancando bombeiro apagando incêndio”, disse Guedes.