Escolhido de Bolsonaro defendeu extinção do MEC e privatização da Educação

 

renato dfeder
Renado Feder escolhido para o MEC, e o presidente Bolsonaro/Foto: Reprodução

Renato Feder, 41 anos, escolhido para ser o quarto ministro da Educação do governo Bolsonaro, em menos de dois anos, defendeu a extinção do MEC, pasta que vai comandar, e a privatização da Educação, começando pelas Universidades, como destaca reportagem desta sexta-feira (3) da Folha de SP.

A proposta, que incluía a concessão de vouchers para as famílias matricularem os filhos em escolas privadas, está no livro Carregando o Elefante – como transformar o Brasil no país mais rico do mundo, de 2007.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s