“.. recebi o candidato a presidente da Câmara, Baleia Rossi, a quem registrei solidariedade..”, disse Dino

Deputados federais, estaduais e representantes partidários participaram nesta sexta-feira, dia 22, da recepção do governador Flávio Dino (PCdoB), ao deputado federal Baleia Rossi (MDB), no Palácio dos Leões, candidato à presidência da Câmara Federal, de oposição ao candidato do presidente Jair Bolsonaro.

“Estamos dialogando em torno da temática ambiental, à frente do Consórcio da Amazônia Legal, vimos com grande preocupação os cortes anunciados no orçamento de 2021 para proteção da Amazônia, do Meio Ambiente. Temos certeza que o deputado federal Baleia Rossi está comprometido com esta pauta de mediação. Nós defendemos a produção brasileira, os produtores brasileiros, defendemos que o Brasil produza alimentos, defendemos o Meio Ambiente. Em torno dessas pautas se dá essa aliança ampla no Maranhão”, disse o governador.

Baleia Rossi agradeceu ao governador pela acolhida e destacou a importância do diálogo para defesa da democracia e das instituições.

“Queremos ter uma Câmara livre, independente para ajudar o nosso país a recuperar a sua economia, superar a pandemia. Vamos trabalhar com independência, harmonia, diálogo. A Câmara forte significa parlamentares fortes para trabalhar em defesa do seu estado, seus municípios e do nosso país”, disse o deputado federal.

Pesquisa Exame/Ideia mostra queda para 26% aprovação de Bolsonaro

Pesquisa Exame/Ideia após a crise na saúde em Manaus e a forma como o governo agiu em relação a vacinação contra a Covid-19, e divulgado nesta sexta-feira, dia 22, mostra que a aprovação do presidente Jair Bolsonaro caiu de 37% para 26%, a maior queda semanal desde o início de seu governo.

A desaprovação é maior entre as pessoas de maior renda e de maior escolaridade: entre os que ganham mais de cinco salários mínimos, 58% não aprovam a gestão do presidente. No grupo dos que têm ensino superior, 64% desaprovam o governo federal.

A aprovação segue maior no Centro-Oeste com 36%, e os evangélicos. Nas outras regiões do Brasil, esse índice varia de 22% a 27%.

Entre os evangélicos, 38% apoiam o governo Bolsonaro, ante 20% dos católicos e 23% dos que declaram seguir outra religião. Aqui mais informações

Maranhão receberá entre 50 a 55 mil doses da vacina que chegará da Índia

Com a liberação das exportações das vacinas contra a Covid-19, pelo o governo da Índia, a expectativa é que os 2 milhões de doses da Astrazeneca/Oxford chegue ao Brasil neste sexta-feira, dia 22.

Para o secretario de Saúde do Maranhão, Carlos Lula, caso tudo ocorra como anunciado pelo governo federal, o estado receberá entre 50 e 55 mil doses da vacina.

Flávio Dino publica nesta sexta, dia 22, decreto que cancela Carnaval

O governador do Maranhão, Flávio Dino (PCdoB), deverá publicar e anunciar nesta sexta-feira, dia 22, o decreto que suspende o Carnaval 2021, a ação faz parte do enfrentamento da pandemia no Maranhão.

O objetivo é desestimular aglomeração. A medida foi destacada hoje quinta-feira, dia 21, na CNN Brasil.

A decisão do governador reforça a recomendação do Ministério Público do Estado aos municípios, Policia Militar, Polícia Civil e realizadores de festas, para evitarem a proliferação da Covid-19 durante o período do carnaval, bem como enquanto perdurar a pandemia.

O documento foi assinado pelo procurador-geral de justiça, Eduardo Nicolau, no dia 18 de janeiro. A orientação e para os órgãos negar licenças e autorizações para festividades e demais eventos privados que possam ocasionar aglomeração.

Através de nota a Secretaria de Estado da Cultura ratificou a suspensão do Carnaval no Maranhão.

A Secretaria de Estado da Cultura (Secma) informa que, em razão da falta de vacinação em massa contra a Covid-19, o Governo do Maranhão decidiu não realizar qualquer evento que gere grandes aglomerações, a exemplo do Carnaval. Eventos desse porte só serão retomados pela gestão estadual quando houver segurança sanitária e liberação das autoridades de saúde competentes.

Também não há previsão de nova data para celebração do Carnaval 2021. A definição de um novo calendário da festividade no Maranhão dependerá da liberação das autoridades em saúde Pública.

A Secma esclarece ainda que continuará realizando ações em apoio aos profissionais da arte, assim como foi feito em 2020, quando foram lançados editais públicos com recursos estaduais e por meio da Lei de Emergência Cultural Aldir Blanc (Lei Federal n° 14.017/20), que beneficiou mais de 3.000 fazedores de cultura de todo o Maranhão.

A fiscalização de festas privadas de pré-carnaval que eventualmente descumpram o decreto estadual n° 36.203, de 30 de setembro de 2020 – norma que autoriza apenas eventos com no máximo 150 pessoas – cabe às prefeituras, à Superintendência de Vigilância Sanitária (Suvisa) e à Secretaria de Estado da Segurança Pública (SSP).

Bolsonaro coloca mandato até 2022 nas ‘mãos de Deus’: “se Deus quiser”

O presidente Bolsonaro disse a apoiadores na manhã desta quinta-feira, dia 21, disse que “se Deus quiser” seu mandato vai até 2022.

“Lamento.., se Deus quiser vou continuar meu mandato e em 22 o pessoal escolhe. Tem muita gente para escolha. Eu espero que os bons se candidatem, não deixa os mesmos vim ser candidato”, disse Bolsonaro na saída do Alvorada.

A fala de Bolsonaro ocorre em meio o aumento da pressão por impeachment, reforçado pelo colapso na saúde em Manaus e os reflexos negativos para o governo em relação a vacinação contra o Covid-19.

A declaração de Bolsonaro foi transmitido com cortes por um site bolsonarista. (Da Folha de SP)

A Carta de Jair Bolsonaro a Joe Biden, novo presidente dos EUA

Senhor Presidente,

Tenho a honra de cumprimentar Vossa Excelência neste dia de sua posse como 46º Presidente dos Estados Unidos da América.

O Brasil e os EUA são as duas maiores democracias do mundo ocidental. Nossos povos ~estão unidos por estreitos laços de fraternidade e pelo firme apreço às liberdades fundamentais, ao estado de direito e à busca de prosperidade através da liberdade.

Pessoalmente, também sou de longa data grande admirador dos Estados Unidos e, desde que assumi a Presidência, passei a corrigir os equivocos de governosn brasileiros anteriores, que afastaram o Brasil dos EUA, contrariando o sentimento de nossa população e os nossos interesses comuns.

Assim, inspirados nesses valores compartilhados, e sob o signo da confiança, nossos países têm construído uma ampla e profunda parceria.

No campo econômico, o Brasil, assim como os empresários de nossos dois países, tem interesse em um abrangente acordo de livre comércio, que gere mais empregos e investimentos e aumente a competitividade global de nossas empresas. Já temos como base os recentes protocolos de facilitação de comércio, boas práticas regulatórias e combate à corrupção, que certamente contribuirão para a recuperação de nossas economias no contexto pós-pandemia. A esses acordos se somam recente Memorando entre o Ministério da Economia do Brasil e o Eximbank, para estimular os financiamentos de projetos, e nosso Acordo de Cooperação para o Financiamento de projetos de Infraestrutura.

Na área de ciência e tecnologia, o potencial de cooperação é enorme, como ficou ilustrado pelo ambicioso plano de trabalho desenvolvido por nossa Comissão Mista e pela conclusão do Acordo de Salvaguardas Tecnológicas, que permitirá lançamentos espaciais a partir da base de Alcântara, no Brasil. O mesmo se aplica à área de defesa, com a conclusão de nosso Acordo de Pesquisa, Desenvolvimento, Teste e Avaliação.

Nas organizações econômicas internacionais, o Brasil está pronto para continuar cooperando com os EUA para a reforma da governança internacional. Isso se aplica, por exemplo, à OMC, onde queremos destravar as negociações e evitar as distorções de economias que não seguem as regras de mercado. Na OCDE, com o apoio dos EUA, o Brasil espera poder dar contribuição mais efetiva e aumentar a representatividade da organização. Nosso processo de acessão terá, também, impacto fundamental para as reformas econômicas e sociais em curso em nosso país.

Estamos prontos, ademais, a continuar nossa parceria em prol do desenvolvimento sustentável e da proteção do meio ambiente, em especial a Amazônia, com base em nosso Diálogo Ambiental, recém-inaugurado. Noto, a propósito, que o Brasil demonstrou seu compromisso com o Acordo de Paris com a apresentação de suas novas metas nacionais.

Para o êxito no combate à mudança do clima, será fundamental aprofundar o diálogo na área energética. O Brasil tem uma das matrizes energéticas mais limpas do mundo e, junto com os EUA, é um dos maiores produtores de biocombustíveis. Tendo sido escolhido país líder para o diálogo de alto nível da ONU sobre Transição Energética, o Brasil está pronto para aumentar a cooperação na temática das energias limpas.

Brasil e Estados Unidos coincidem na defesa da democracia e da segurança em nosso hemisfério, atuando juntos contra ameaças que ponham em risco conquistas democráticas em nossa região. Adicionalmente, temos cooperado para impedir a expansão das redes criminosas e do terrorismo, que tantos males causam a nossos países da América Latina e do Caribe.

Necessitamos também continuar lado a lado enfrentando as graves ameaças com que hoje se deparam a democracia e a liberdade em todo o mundo e que se tornam mais prementes no mundo pós-Covid: o crime organizado transnacional; as distorções ao comércio mundial e ao fluxo de investimentos oriundas de práticas alheias ao livre mercado; e a instrumentalização de organismos internacionais por uma agenda também contrária à democracia.

Entendo que interessa aos nossos países contribuir para uma ordem internacional centrada na democracia e na liberdade, que defenda os direitos e liberdades fundamentais de todos e, muito especialmente, de nossos cidadãos. E estamos dispostos a trabalhar juntos para que esses valores fundamentais estejam no centro das atenções, seja bilateralmente, seja nos foros internacionais.

É minha convicção que, juntos, temos todas as condições para seguir aprofundando nossos vínculos e agenda de trabalho, em favor da prosperidade e do bem-estar de nossas ações.

O Brasil alcançou sua Independência em 1822, e os EUA foram o primeiro país a nos reconhecer. Em 1824, foram estabelecidas nossas relações diplomáticas. São dois marcos históricos cujo bicentenário, em futuro próximo, os brasileiros queremos celebrar com nossos amigos americanos.

Ao desejar a Vossa Excelência pleno êxito no exercício de seu mandato, peço que aceite, Senhor Presidente, os votos de minha mais alta estima e consideração.

JAIR BOLSONARO

Biden assume defendendo a Democracia, que o antecessor tentou destruir

O novo presidente dos EUA, Joe Biden, 76 anos, que tomou posse nesta quarta-feira, dia 20, assumiu defendendo a Democracia e União no seu país e no mundo.

“Aprendemos de novo que a democracia é preciosa. A democracia é frágil. E nesta hora, meus amigos: a democracia prevaleceu! Este é o dia da América … Hoje celebramos o triunfo não de um candidato, mas de uma causa – a causa da democracia”, destacou Joe Biden.

Trump deixa Casa Branca e entra na lista dos não reeleitos nos EUA

O ex-presidente, Donald Trump, a partir desta quarta-feira, dia 20, passou fazer parte do grupo de ex-presidentes dos EUA.

Ele também entra na lista dos que não conseguiram se reeleger, na história do país.

John Adams (1797 a 1801), John Quincy Adams (1825 a 1829), Martin Van Buren (1837 a 1841), Grover Cleveland (1885 a 1889), Benjamin Harrison (1889 a 1893), Herbert Hoover (1929 a 1933), Gerald Ford (1974 a 1977), Jimmy Carter (1977 a 1981), George H. W. Bush (1989 a 1993).

Ricardo Capelli é o novo Secretário de Comunicação do governo Flávio Dino

O jornalista Ricardo Capelli, ex-presidente da União Nacional dos Estudantes (UNE), é o novo secretário de Comunicação do governo do Maranhão.

Ele atuava como secretário da representação do governo do Maranhão em Brasília.

Antes de trabalhar para o governo do Maranhão, Capelli já atuou no Ministério dos Esportes, no Governo do Rio de Janeiro e na Secretaria Municipal de Nova Iguaçu.

Ricardo Capelli é muito atuante nas redes como articulista de diversos sites. (Revista Fórum)

Primeiro dia de distribuição da vacina no Maranhão chega a 15 das 19 Regionais

O secretário de Estado da Saúde, Carlos Lula, avaliou no final da tarde desta terça-feira (19) a distribuição das vacinas contra Covid-19 no Maranhão.

A ação faz parte da execução da primeira etapa da Fase 1 do Plano Estadual de Vacinação, que irá imunizar 78.223. 

“Até o final do dia desta terça (19) pelo menos 15 das 19 Regionais de Saúde já haviam recebido os imunizantes. Nas outras quatro não foi possível fazer a entrega em razão das condições meteorológicas, teve muita chuva durante o dia e as aeronaves tiveram que parar. Então, ainda não conseguimos entregar as vacinas nas regionais de Presidente Dutra, São João dos Patos, Pedreiras e Codó”, disse Carlos Lula.  

Pelo menos 160 cidades já receberam os imunizantes. Segundo o secretário, normalmente uma campanha de vacinação leva cerca de três semanas semanas. A previsão é que até esta quarta-feira, dia 20, seja concluída a entrega em todos os 217 municípios do Maranhão.

Carlos Lula também informou a dificuldade que os municípios estão apresentando em informar o quantitativo de vacinas já aplicadas. Por conta de problemas no sistema do Ministério da Saúde, os municípios estão realizando essa contabilidade de forma manual.

Os 217 municípios maranhenses que vão executar a vacinação contra a Covid-19 devem registrar os dados dos vacinados no Módulo Covid-19 do Sistema de Informação do Programa Nacional de Imunização (SIPNI), desenvolvido pelo Ministério da Saúde.