Lula lidera também em pesquisa da campanha de Moro

Da Revista Fórum

Pesquisa interna, feita pela campanha de Sérgio Moro, ex-juiz e ministro de Bolsonaro, confirmou a liderança com folga de Lula, que aparece 38% das intenções de voto.

Bolsonaro aparece em segundo lugar, com 22%, e seu ex-ministro em seguida, com 11%.

Ciro Gomes (PDT), tem 5%; e João Doria (PSDB) com 2%.

A pesquisa foi realizada pela agência do marqueteiro de Sérgio Moro, que ouviu 2 mil pessoas e foi divulgada pelo site Metrópoles.

Lula recebido com protocolo de chefe de estado em Paris

O ex-presidente Lula (PT) foi recebido hoje pelo presidente da França, Emmanuel Macron, na residência oficial do chefe de Estado francês, o Palácio do Eliseu, em Paris.

O encontro com o brasileiro teve protocolo reservado a chefes de Estado.

Ipespe: Lula vence em todos os cenários no 2º turno

Do Uol

O ex-presidente Lula (PT), continua na liderança para as eleições de 2022 à Presidência. È o que mostra a Pesquisa Ipespe divulgada nesta quarta-feira, dia 3. Em segundo lugar está o presidente Bolsonaro (sem partido).

Lula venceria em todos os cenários de segundo turno —contra Jair Bolsonaro (sem partido), Ciro Gomes (PDT), Sergio Moro (sem partido, mas com filiação ao Podemos anunciada), João Doria (PSDB) e Eduardo Leite (PSDB).

Já o presidente Bolsonaro perde para Ciro Gomes e empata, dentro da margem de erro de 3,2 pontos percentuais, com os governadores de São Paulo e do Rio Grande do Sul, João Doria e Eduardo Leite, que disputam a indicação do PSDB.

Lula vence em todas as opções de segundo turno Lula – 50% Jair Bolsonaro – 32%; Lula – 52% Sergio Moro – 34% ; Lula – 49% Ciro Gomes – 29%; Lula – 51% João Doria – 23% ; Lula – 50% Eduardo Leite – 22%.

Para Dino conceito de ‘justo’ é inadequado para Moro

O govenador do Maranhão e ex-juiz federal, Flávio Dino (PSB), contestou nas redes sociais nesta terça-feira, dia 2, o conceito de ‘justo’ ao ex-juiz e ministro, Sérgio Moro, que ao falar de sua filiação ao Podemos disse que deseja um “Brasil justo para todos”.

Para Dino, o ex-juiz da Lava Jato e ministro de Bolsonaro foi considerado incompetente e suspeito pelo STF.

“O conceito de “justo” não é adequado para um juiz que foi declarado incompetente e suspeito pelo Supremo Tribunal Federal. Tampouco pode ser considerado “justo” alguém que alimentou e serviu alegremente a Bolsonaro, até ser descartado”, disse Dino, nas redes sociais.

Sérgio Moro se filiará ao Podemos no próximo dia 10, partido que sonha em lançá-lo candidato à Presidência da República em 2022.

Se a candidatura de Moro se confirmar enfrentará Lula, que retirou da disputa em 2018, favorecendo a vitória de Bolsonaro, de quem passou a ser ministro.

“O povo precisa. Ele tem que dar”, Lula sobre Auxílio Brasil de R$ 400

O ex-presidente, Lula, líder nas pesquisas para presidente em 2022, defendeu nesta quarta-feira, dia 20, em entrevista à Rádio A Tarde de Salvador, o Auxílio Brasil de R$ 400 do governo Bolsonaro.

“..Tô vendo o Bolsonaro dizer agora que vai dar R$ 400 de auxílio. Tem gente dizendo que é auxílio eleitoral, que não podemos aceitar. Não penso assim. O PT defende um auxílio de R$ 600 desde o ano passado. O povo precisa. Ele tem que dar. Se vai tirar proveito disso, problema dele..”, disse Lula.

O Auxílio Brasil que Bolsonaro quer criar substituirá o Bolsa Família que tem 20 anos. De caráter temporário, com prazo até dezembro de 2022, a forma como está sendo criado é visto com objetivo eleitoral em 2022.

“..Dilma sofreu um golpe..”, Lula em defesa de Dilma

Da Revista Forum

Um dia após Ciro Gomes (PDT), atacar a ex-presidente Dilma Roussef, durante entrevista à Rádio Grande FM, de Dourados (MS), nesta quinta-feira (14), Lula defendeu o governo da sua aliada.

“.. A gente não pode esquecer que a Dilma sofreu um golpe. Construíram uma mentira chamada pedaladas. E com essa mentira se construiu uma maioria, que hoje governa o país, para afastar a Dilma dizendo que o PT quebrou o Brasil e o Brasil hoje está infinitamente pior (..) Estou convencido que a Dilma fez um bom governo. E a Dilma foi a pessoa mais queimada e assaltada do poder. Aquela famosa ‘ponte para o futuro’ foi um mentira e estamos esperando a ponte para o futuro, porque não tem nenhuma ponte. Tem um abismo”, ressaltou, após lembrar o índice de desemprego histórico (..) O governo da Dilma fez coisas extraordinárias. Houve um desajuste em 2014 quando se adotou uma política de desoneração, na minha opinião exagerada, e depois ela tentou corrigir e já tinha uma figura chamada Eduardo Cunha na Câmara, que diferentemente do papel que o Temer fez para o Fernando Henrique Cardoso em 99, que ajudou a fazer as mudanças no Congresso para poder ajudar a governabilidade, o Eduardo Cunha passou a estabelecer pautas-bombas para que a Dilma tivesse dificuldade de governar. É isso que aconteceu..”, disse Lula.

“Rio precisa de senador que defenda o povo”, diz Molon após Romário elogiar Bolsonaro

O deputado federal Alessandro Molon (PSB), após o senador Romário (PL) declarar apoio a Bolsonaro nas eleições de 2022, aproveitou para se apresentar aos eleitores decepcionados e indignados com o ex-jogador de futebol.

Pesquisas recente no Rio de Janeiro para o Senado Federal mostram Romário e Molon empatados.

Durante entrevista ao canal ‘Tapa na Cara’ no YouTube, no último domingo, dia 10, o ex-jogador e senador Romário (PL-RJ), declarou voto e apoio a Bolsonaro e nas redes sociais sofreu uma ‘goleada’ de críticas.

“.. acho que o Bolsonaro é um presidente que tem feito coisas positivas para o nosso país. Erra em alguns momentos, principalmente com a pandemia. Deixou de ter algumas ações, falou algumas coisas que poderia não ter falado (..) Eu convivi com o Bolsonaro quatro anos e ele é um cara muito sério. Tem coragem e não tem medo de se posicionar. Antes de Bolsonaro, nosso país estava uma merda do caralho. Hoje, (votaria no) Bolsonaro”, disse Romário.

Considerado um dos maiores ídolos do futebol brasileiro, Romário entrou na política através da popularidade adquirida com o esporte, na onda de ‘celebridades que se tornaram políticos’.

Muitos dos seus eleitores são de esquerda e contrários ao governo Bolsonaro. Romário está entre os senadores que enfrentarão as urnas em 2022, para renovar seu mandato. A declaração em apoio a Bolsonaro deverá causar problemas às suas pretensões eleitorais.

Eleições 2022: PoderData confirma Lula na liderança

Pesquisa PoderData divulgada nesta quarta-feira, dia 29, mostra que Lula continua na liderança da corrida presidencial 2022.

O petista aparece com com 40% das intenções de votos no 1º turno.

Jair Bolsonaro tem 30%; Ciro Gomes, 5%; Datena, 4%; Mandetta e Doria, ambos com 3%; Rodrigo Pacheco, 2%; e Aldo Rebelo e Alessandro Vieira, com 1% cada um.

Lula com 56% venceria a disputa contra Bolsonaro que aparece com 33%, no 2º turno.

O presidente Bolsonaro também perde no 2º turno para Ciro, Doria e Eduardo leite.

Ipec: Com 48%, Lula venceria em 1° turno; Bolsonaro tem 23%

Pesquisa Ipec mostra que o ex-presidente Luiz Inácio Lula venceria a eleição para o Palácio do Planalto já em 1° turno, ainda que na margem de erro na pior das hipóteses.

Lula (PT) aparece com 48% das intenções de voto, enquanto Jair Bolsonaro (sem partido) está com 23%. Na sequência aparecem Ciro Gomes, do PDT, (8%), João Doria, do PSDB, (3%) e Luiz Henrique Mandetta, do DEM, (3%). Votos em branco e nulos totalizam 10%, enquanto 4% disseram não saber responder.

Dois cenários foram apresentados pelo Ipec aos eleitores.

No primeiro deles, Lula mantém 11 pontos percentuais à frente da somatória de todos os outros candidatos, o que garantiria sua vitória em 1° turno com folga. Já no segundo, o ex-presidente petista aparece com 45% do total de intenções de voto, enquanto Jair Bolsonaro é a preferência de 22%, seguido por Ciro Gomes (6%), Sergio Moro (5%), Datena (3%), João Doria (2%), Luiz Henrique Mandetta (1%) e Rodrigo Pacheco (1%). Ainda assim, Lula seria eleito em 1° turno, dentro da margem de erro.

O levantamento foi realizado entre os dias 16 e 20 de setembro, com 2002 entrevistados em 141 municípios de todas as regiões brasileiras, com margem de erro de 2 pontos percentuais para mais ou para menos e com 95% de confiança. (Revista Fórum)

Lula crescendo e desaprovação de Bolsonaro aumentando

O Instituto Atlas Político divulgado nesta segunda-feira, dia 6, véspera dos atos convocados por Jair Bolsonaro, para o 7 de setembro, traçou um panorama eleitoral de 2022.

Os números estão cada vez mais favoráveis ao ex-presidente Lula.

A desaprovação de Bolsonaro voltou a subir. Foi de 62% em julho, para 64%. Em maio, o índice estava em 57%.

A aprovação, por sua vez, chegou ao menor patamar desde o primeiro levantamento, feito em abril de 2020: 32%. Além desses, 4% não souberam responder.

A avaliação também bateu recorde negativo. Pela primeira vez, aqueles que avaliam o governo como Ruim ou Péssimo são mais que 60%: 61%. Por outro lado, os que avaliam como Ótimo ou Bom são 24%. Outros 14% avaliam a gestão de Bolsonaro como Regular.

Eleições

A vantagem do ex-presidente Lula (PT) para Bolsonaro se ampliou tanto em primeiro quanto em segundo turno, segundo a pesquisa.

Em um cenário de primeiro turno com cinco candidatos (Lula, Bolsonaro, Ciro Gomes, João Doria e Eduardo Leite), o petista registra 40,6% contra 34,5% do atual presidente.

O ex-presidente chega a 42,6% quando são quatro postulantes; Bolsonaro fica com 35,4%. O terceiro colocado nos cenários é Ciro Gomes (PDT), que varia entre 8,8% e 10,2%.

A pesquisa revela ainda que, em um eventual segundo turno, Lula ganharia de Bolsonaro com 52,5% dos votos, contra 35,9% do atual presidente – uma vantagem de 16,6 pontos. 11,6% não souberam responder.

Lula melhora imagem

Segundo os dados da pesquisa Atlas, Lula vem em uma crescente desde janeiro, em uma situação oposta a de Bolsonaro. Essa foi a primeira vez que o instituto mostra o ex-presidente com mais de 40% dos votos em primeiro turno.

Além disso, o instituto mostra uma expressiva melhora na imagem do ex-mandatário.

De julho para setembro, a imagem positiva subiu de 43% para 46% e a negativa despencou de 54% para 48%. Entre maio e dezembro de 2020, a imagem negativa de Lula passava dos 60%. Desde janeiro, os índices ficam cada vez mais favoráveis ao petista.

A imagem de Lula é a melhor desde que o instituto começou esta medição, em maio de 2019. (Revista Fórum)