Othelino destaca no Potdcast redução do ICMS do Gás e Privatização dos Lençóis

 

O deputado Othelino Neto (PCdoB), presidente da Assembleia Legislativa do Maranhão, divulgou nesta quinta-feira (5), mais um edição do seu Podcast. Os temas centrais comentados por Othelino Neto são: a aprovação de uma serie de medidas do governo aprovadas nesta semana na Assembleia, entre elas, a redução do ICMS do Gás de Cozinha; e também, a privatização dos Lençóis Maranhenses.

Joice Hasselmann e Carla Zambelli usam CPI para lavarem ‘roupa suja’

 

hasselmann e zambelli
Foto: Reprodução

A reunião da CPI das Fake News na Câmara Federal na quarta-feira (4), com a presença da deputada federal Joice Hasselmann (PSL), que se ofereceu para depor e denunciou um ‘gabinete do ódio’, que segundo ela, seria comandado pelos irmãos Carlos e Eduardo Bolsonaro, filhos do presidente, promoveu um embate triste entre as antigas amigas e deputadas Joice Hasselmann e Carla Zambelli.

A classificação para o que aconteceu durante a sessão da CPI em vários momentos foi uma verdadeira e lamentável ‘lavem de roupa suja’. As revelações e baixarias foram de conspirações na campanha e após a chegada ao poder de Jair Bolsonaro a questões pessoais.

‘Só de Sacanagem’ desembargador usa para condenar Lula no TRF-4

 

zzmoro_leandro_paulsen
Ex-juiz e mistro da Justiça, Sérgio Moro e o desembargador do TRF-4, Leandro Paulsen/Foto: Reprodução

O resultado do julgamento de Lula no TRF-4 na última quarta-feira (27), em relação ao Sitio de Atibaia, repercute mais pela forma do julgamento e votos do MPF e dos desembargadores do Tribunal, que pela sentença de 17 anos aplicada ao petista.

Todos os recursos apresentados pela defesa de Lula foram negados, e ainda, o desembargadores foram indiferentes ao recente entendimento do STF, sobre delação de delatores e delatados, demonstrando incongruência e desrespeito. Também não é demais lembrar que a condenação do caso na 1ª Instância, feita pela juíza Gabriela Hardt, é considerado nos meios jurídicos um clássico CRLT-C e CRLT-V da condenação do caso do Triplex do Guaruja.

De acordo com  o jornal O Globo nesta quinta-feira (28),  o desembargador Leandro Palsen no seu voto a favor da condenação abandonou o formalismo e declamou trechos da música da cantora Ana Carolina cujo titulo é “Só de sacanagem”.

“Meu coração está aos pulos! Quantas vezes minha esperança será posta à prova? Por quantas provas terá ela que passar? Tudo isso que está aí no ar: malas, cuecas que voam entupidas de dinheiro, do meu dinheiro, do nosso dinheiro que reservamos duramente pra educar os meninos mais pobres que nós, pra cuidar gratuitamente da saúde deles e dos seus pais”, disse narrou Paulsen.

E prosseguiu, após rasgados e efusivos elogios à Lava Jato o desembargador TRF-4 em Curitiba, terra do ex-juiz e atual ministro da Justiça Sérgio Moro, disparou mais um trecho da música.

“A luz é simples, regada ao conselho simples de meu pai, minha mãe, minha avó e os justos que os precederam. Não roubarás! Devolva o lápis do coleguinha! Esse apontador não é seu, minha filha!”, completou Paulsen.

Carlos Lula desmonta oportunismo sobre repasse ao Hospital Aldenora Bello

 

carlos-lula-714x1024
Secretario de Estado da Saúde, Carlos Lula/Foto: Reprodução

O deputado César Pires (PV), durante pronunciamento nesta quarta-feira (27), na Assembleia Legislativa do Maranhão, acusou o governo Flávio Dino de descumprir acordo e penalizar pacientes do Hospital Aldenora Bello. Segundo César Pires, o governo teria desrespeitado deputados e pacientes ao não repassar os R$ 4,2 milhões referentes a emendas parlamentares.

Se o deputado tivesse melhor se informado não faria coro ao uso político oportunista do drama dos pacientes atendidos no Aldenora Bello, que passa por sérios problemas financeiros. Desde ontem o secretário de Estado da Saúde, Carlos Lula, esclareceu a sociedade maranhense que os recursos ainda não foram repassados em função de tramites legais que precisam ser respeitados.

Abaixo os esclarecimentos do Secretário de Estado da Saúde, Carlos Lula:

1- A verba fruto de emenda parlamentar será paga ao Hospital Aldenora Bello nos próximos dias tão logo finalizado o trâmite administrativo legal.

2 – Há pouco menos de 2 semanas a Fundação entrou com o pedido para abertura do processo de pagamento, embora a medida coletiva dos deputados da Assembleia Legislativa do Maranhão tenha sido adotada no mês passado. Este é o percurso normal do processo, de conhecimento dos deputados e da Fundação.

3 – Vale ressaltar que, antes mesmo da assinatura das emendas, a Secretaria de Saúde já havia destinado mais de 300 mil reais à Fundação, além de medicamentos que permitiram a retomada do atendimento aos pacientes.

4 – Embora algumas falsas notícias compartilhadas nesta terça-feira tenham como objetivo principal atrair cliques e curtidas para páginas sensacionalistas, a desinformação promovida por estas “notícias” ocasionam o desespero de pacientes e familiares assistidos no Hospital.

5 – Por eles, o Governo do Maranhão, desde 2015, tem garantido investimentos em apoio à Fundação para a continuidade dos serviços desta unidade hospitalar.

Jucelino Filho acha exagero cassação do filho de Bolsonaro por ameaça com ‘AI-5’

 

jucelino
deputado Jucelino Filho (DEM-MA), presidente do Conselho de Ética da Câmara/Foto: Reprodução

A reunião desta terça-feira (26), no Conselho de Ética e Decoro Parlamentar da Câmara, está sendo aguardada com expectativa. Os membros decidirão se abrirão ou não três processos contra o deputado Eduardo Bolsonaro (PSL-SP).

images
deputado Eduardo Bolsonaro (PSL-SP)/Foto: Reprodução

De acordo com a revista o deputado Jucelino Filho (DEM-MA), presidente do Conselho de Ética da Câmara, que escolherá através de sorteio o relator dos processos contra Eduardo Bolsonaro, já disse que acha exagero que o filho do presidente perca o mandato por ameaças à democracia através de  um “Novo AI-5”.

Dos processos que serão analisados hoje na Comissão de Ética, contra Eduardo Bolsonaro, dois são relacionados às declarações dele em outubro sobre, “se a esquerda radicalizar”, a resposta pode ser “novo AI-5”. Ele se referia à medida adotada em 1964 pelo então presidente Costa e Silva, que teve como consequências perdas de mandatos de parlamentares e garantias constitucionais.

Postura semelhante a do deputado Eduardo Bolsonaro teve ontem, segunda-feira (25) nos EUA, o ministro da Economia Paulo Guedes, que foi muito criticado nas redes socias.

‘Não se assustem se alguém pedir o AI-5’, disse Guedes

Governador e ministro do STF se reuniram no Palácio dos Leões

 

roberto barroso
ministro do STF Roberto Barroso e o governador Flávio Dino/Foto: Reprodução

Palestrante no Congresso Estadual do Ministério Público no Maranhão, o ministro do STF Roberto Barroso aproveitou sua passagem por São Luís nesta segunda-feira (25), para fazer uma visita ao governador Flávio Dino, que o recebeu no Palácio dos Leões.

“.. recebemos a visita do ministro Luís Roberto Barroso, do STF, que fez palestra no Congresso Estadual do Ministério Público. Falou sobre direito à educação, entre outros importantes temas..”, destacou Flávio Dino.

Ex-juiz Sérgio Moro alterou padrão de atuação ao divulgar áudios de Lula

 

moro vagabundo
Ex-juiz e ministro da Justiça Sérgio Moro/Foto: Reprodução

O ex-juiz e atual ministro da Justiça Sérgio Moro, mudou seu padrão na divulgação de áudios em relação a Lula. É o que está revelando neste domingo (24) mais uma publicação do The Intercept dentro da serie de reportagem da Vaza Jato, em parceria com a Folha de S.Paulo.

“um levantamento feito pela Operação Lava Jato em 2016 e nunca divulgado põe em xeque a justificativa apresentada pelo ministro Sérgio Moro quando era o juiz do caso e mandou retirar o sigilo das investigações sobre o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT)”.

Na oportunidade, Moro declarou que somente havia seguido o padrão estabelecido pela Lava Jato, assegurando total publicidade aos processos que conduzia e a informações de interesse para a sociedade. No entanto, um levantamento realizado pela força-tarefa da operação em Curitiba indicou que a prática adotada no caso de Lula foi diferente de outras ações semelhantes.

“O levantamento da Lava Jato, que analisou documentos de oito investigações em que também houve escutas telefônicas, indicou que somente no caso do ex-presidente os áudios dos telefonemas grampeados foram anexados aos autos e o processo foi liberado ao público sem nenhum grau de sigilo. Nos outros exemplos encontrados pela força-tarefa, todos extraídos de ações policiais supervisionadas por Moro na Lava Jato, o levantamento do sigilo foi restrito”, diz a reportagem.

Outro detalhe revelado pela Vaza Jato é que o chefe da força-tarefa, Deltan Dallagnol, mentiu e manipulou o então procurador-geral da República, Rodrigo Janot. Dallagnol disse a ele que era padrão de Sérgio Moro liberar o sigilo das gravações.

“é um dos fatos apontados pelo habeas corpus que a defesa de Lula apresentou ao STF para questionar a imparcialidade e Moro como juiz nas ações em que o petista foi condenado. O ex-presidente pede que o tribunal declare a suspeição de Moro e anule os processos contra ele”, acrescente a matéria.

Ex-juiz Sérgio Moro assume blindagem da família Bolsonaro

 

moro-e-bolsonaro
Ministro e ex-juiz da Lava Jato Sérgio Moro e o presidente Jair Bolsonaro/Foto: Reprodução

Em entrevista nesta manhã de quinta-feira (21) na CBN, o ministro da Justiça e Segurança Pública, Sérgio Moro, disse que o fato do porteiro do condomínio de Jair Bolsonaro dizer que se enganou indica fraude no processo.

“Há um possível envolvimento fraudulento do nome do presidente”, disse Sérgio Moro.

Ao se referir à informação sobre a nova linha de investigação que leva ao envolvimento do vereador Carlos Bolsonaro, o ministro defendeu a federalização do caso Marielle, um vez que para ele, há uma tentativa de politização do caso.

“Vendo esse novo episódio em que se busca politizar a investigação indevidamente, a minha avaliação […] é que o melhor caminho é a federalização”, insistiu Moro.

Caso Marielle: nova linha de investigação leva a Carlos Bolsonaro

 

design-sem-nome-1-3
Marielle Franco e Carlos Bolsonaro/Foto: Reprodução

Informações divulgadas no inicio da noite desta quarta-feira (20), pelo jornalista e comentarista político da CBN, Kennedy Alencar, a Polícia Civil do Rio de janeiro tem uma nova linha de investigação que leva ao vereador Carlos Bolsonaro, filho do presidente Jair Bolsonaro, um dos mais influentes no governo do pai.

De acordo com Kennedy Alencar, o vereador Carlos Bolsonaro mantinha uma relação hostil com a também vereadora Marielle Franco, e ainda, era próximo de Ronnie Lessa, acusado de executar a vereadora Marielle Franco e o motorista Anderson Gomes.

Ouça o comentário de Kennedy Alencar

Sítio de Atibaia: MPF que defendia anulação agora defende julgamento

 

amp-lula-pensativo
Foto: Reprodução

247 – O Ministério Público Federal (MPF) modificou a posição anterior sobre o pedido de anulação da condenação do ex-presidente Lula no processo do sítio de Atibaia, e defende agora que “não se identifica qualquer prejuízo na ausência de prazo especial para o réu Luiz Inácio apresentar suas alegações finais” e, por isso, a sentença não deve ser anulada.

MPF havia protocolado parecer defendendo a anulação da condenação. Agora, em parecer protocolado nesta terça-feira (19), no Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF4), os procuradores defendem que o mérito seja julgado.