Radialista Juarez Sousa morre após batalha contra a Covid-19 nesta sexta dia 26

O radialista cantor e boieiro Juarez José Ramos Sousa, 58 anos, faleceu nesta sexta-feira, dia 26, em consequência de complicações da Covid-19 e invecção bacteriana.

Internado há vários dias numa unidade saúde da capital vinha se recuperando, mas seu quadro clinico ainda era grave.

Juarez Sousa em 2020 nas eleições municipais, pelo partido DC, se candidatou a uma das vagas na Câmara Municipal de São Luís.

Com passagem pela extinta Rádio Capital também atuou nas Rádio Difusora e Educadora, esta última onde estava mais recentemente apresentava junto com Joel Jacinto o programa Tambores de São Luís, com foco na Cultura Popular.

Ele também formou uma longa parceria com a saudosa Helena Leite em programas de Cultura e coberturas de Festas Juninas e Carnaval.

Médicos do Ceará dizem em nota e vídeo que ‘Bolsonaro não é bem vindo ao estado’

Do Viomundo

O presidente Jair Bolsonaro e o ministro Tarcísio Freitas (Infraestrutura), tem agenda marcada no estado do Ceará, sexta-feira, dia 26, onde participarão da retomada de obras em três rodovias federais.

Pelo menos para ‘Médicos em Defesa da Vida, da Ciência e do SUS, do Coletivo Rebento’, Bolsonaro não é bem-vindo ao estado neste momento de agravamento da pandemia.

Em nota e vídeo os médicos cobram vacinação, isolamento social, auxilio emergencial e respeito a direitos dos profissionais de saúde.

Imposto de Renda 2021 está cobrando devolução do Auxílio Emergencial

Do Uol

O programa do Imposto de Renda 2021 que está disponível para download a partir desta quinta-feira, dia 25, na versão para computador como para celulares Android e IOS, trás entre as regras para declaração cobrança do contribuinte que recebeu o auxílio emergencial em 2020 por causa da pandemia.

Nem todos que receberam vão ter que declarar e devolver, dependerá se tem outras rendas e bens e se enquadra em outras regras.

A Receita Federal espera receber mais de 32,6 milhões de declarações do IR 2021.

‘Não é um erro de agora, o país fez a aposta errada e estamos pagando o preço’, Carlos Lula à Radio CBN

O secretário de Saúde do Maranhão, Carlos Eduardo Lula, em entrevista à Rádio CBN, na manhã desta terça-feira, dia 16, falou sobre falta de vacinas e uma terceira onda com variante.

Para ele, o Brasil está pagando o preço por apostar em uma só vacina e não seguir os países desenvolvidos. O cenário é ruim porque gera descredibilidade e permite o surgimento de novas variantes do coronavírus.

‘Não é um erro de agora, mas do passado’, afirma o secretário. Ele acrescenta que ‘quando a gente aposta em várias vacinas, a gente está ‘comprando’ lugar na fila. O país fez a aposta errada e, infelizmente, estamos pagando pelo preço desse erro’.

Sobre a postura da população, ele disse que ‘parece que a sociedade já normalizou a doença. É uma situação alarmante e gravíssima’. Ao falar da segunda dose, ele disse que está garantida porque os estados reservaram os lotes. ‘Foi uma estratégia’. Ele finalizou dizendo que ‘o Ministério da Saúde tem que estar focado em adquirir mais vacina para imunizar mais gente’. (Rádio CBN)

Covid-19: 72 denuncias relacionadas à vacinação, 26 foram em São Luís

O Ministério Público do Maranhão divulgou nesta terça-feira, dia 9, um relatório da Ouvidoria do MPMA do órgão sobre denuncias relativas à campanha de vacinação contra a Covid-19.

O levantamento teve inicio em 22 de janeiro, foram efetuados registros também como consultas jurídicas (11), demandas improcedentes (04) e procedimentos que aguardam mais informações para serem consolidados (19).

Do total de 72 demandas relacionadas à vacinação, 26 tiveram origem em são Luís.

Pequenos negócios geram 83% dos empregos no Maranhão em 2020

Do saldo de 19.753 empregos formais em 2020 no Maranhão (Cadastro Geral de Empregados e Desempregados, do Ministério da Economia), os pequenos negócios foram responsáveis por 83% ou 16.412 dos postos de trabalho.

Os dados integram um levantamento feito pela Junta Comercial do Maranhão (Jucema) e reafirmam a força desse segmento na economia maranhense.

O saldo de empregos gerados por esses negócios é quase três vezes maior que o saldo de empregos gerados pelas médias e grandes empresas que juntas somaram 6.126 postos de trabalho.

São resultados positivos que inserem o Maranhão no contexto nacional de crescimento das Micro e Pequenas Empresas (MPEs). Somente elas geraram para o Brasil mais de 293 mil das contratações com carteira assinada.

O relatório da Jucema também faz um ranking das cidades maranhenses que tiveram os maiores saldos de empregos gerados pelas micro e pequenas empresas. Nele a capital São Luís aparece em destaque com 5,8 mil novos postos de trabalho. Em seguida, despontam Imperatriz e Timon, com 1.230 e 699, respectivamente.

Em quase todos os setores o saldo de empregos foi positivo, mas foram as microempresas do setor de comércio que puxaram as contratações em 2020, criando mais de 7 mil postos de trabalho. Em seguida estão os pequenos negócios de serviços que mais tiveram empregabilidade no Maranhão.

Ao comemorar a força dos pequenos negócios na dinamização da economia maranhense especialmente nesse momento de dificuldades impostas pela Covid-19, o presidente da Jucema, Sérgio Sombra, reforça que o segmento é uma alavanca de desenvolvimento do país.

Maranhão é 1º do NE em Empregos com Carteira Assinada e 4º no Brasil

Com 19.753 novos empregos com carteira assinada em 2020 o Maranhão tem resultado positivo pelo quarto ano seguido.

Em 2017, o saldo positivo tinha sido de 1.221 postos formais. Em 2018, subiu para 9.649. Em 2019, foram geradas 10.707 vagas. E em 2020, foram os 19.753 empregos com carteira assinada. 

Os dados foram divulgados pelo Ministério da Economia, do governo federal, que mensalmente publica o Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged). 

O Brasil em 2017, teve saldo negativo (-20.832). Em 2018, voltou ao positivo (529.554). Em 2019, cresceu (644.079) e se manteve positivo. Em 2020, também foi positivo (142.690), mas menor que o do ano anterior.

No Nordeste o Maranhão com 18.753 liderou na criação de empregos com carteira assinada em 2020. Em segundo lugar está Ceará, com 18.546. Seguido pala Paraíba (5.152), Alagoas (4.595) e Rio Grande do Norte (1.769), que também tiveram desempenho positivo. 

Quatro Estados registraram saldo negativo: Piauí (-181), Sergipe (-4.475), Pernambuco (-5.163) e Bahia (-5.307).

Brasil atinge lamentável marca de mais de 200 mil mortes por Covid-19

Do G1

Em um momento crítico da pandemia e ainda sem vacinação, o Brasil passou a marca de 200 mil mortes por Covid-19 nesta quinta-feira (7), segundo levantamento do consórcio de veículos de imprensa feito a partir de dados das secretarias estaduais de Saúde e divulgado em um boletim extra.

O total de óbitos registrados é de 200.011, com 7.921.803 casos confirmados.

A primeira morte pela doença no país aconteceu em fevereiro do ano passado. Nos meses seguintes, o número de óbitos subiu gradativamente, até que em junho foi atingido um estágio de platô com cerca de 1 mil mortes diárias.

Dino critica decisão de Bolsonaro, que suspendeu compra de seringas

O governador do Maranhão, Flávio Dino (PCdoB), mesmo em férias se mantém vigilante e ativo nas suas posições em relação ao governo Bolsonaro, nesta quarta-feira, dia 6, criticou a decisão do presidente que suspendeu a compra de seringas para vacinação contra a covid-19, sob alegação de anormalidade nos preços.

Para Dino, ‘decisão mais uma vez errada’, e mostrou como o governo deveria proceder.

“Decisão mais uma vez errada. O correto é usar o poder de requisição administrativa. Está na Constituição. E seria o caso de aplicar a Lei Delegada 4. Mas esta foi equivocadamente revogada em 2019 pela tal Lei da Liberdade Econômica”, criticou Flávio Dino no twitter.

Flávio Dino entrega mais ambulâncias para unidades de saúde no Maranhão

O Governo do Estado contemplou capital e cidades do interior maranhense com mais entrega de ambulâncias nesta segunda-feira, dia 4. Os novos veículos, equipados e com itens de segurança para equipe e pacientes, vão reforçar o transporte nas unidades de saúde.

O programa de entrega de ambulâncias é mais uma parceria com os municípios. A solenidade foi conduzida pelo governador Flávio Dino.

Os veículos são equipados com a possibilidade de se transformar em Unidade de Suporte Avançado (USA), que permite o trajeto da equipe em pé e com segurança. Na gestão, cerca de 300 ambulâncias já foram entregues. Nesta etapa, as unidades que receberam as ambulâncias são Unidade de Pronto Atendimento (UPA) na Cidade Operária, Araçagi, Parque Vitória, UPA de São João dos Patos e Codó, Policlínica Cohatrac, Hospital Nina Rodrigues, Hospital Carlos Macieira (HCM), Hospital do Câncer e Hospital Presidente Dutra.