“Bolsonaro não acredita em Deus”, diz Lula para evangélicos

Do UOL

O ex-presidente Lula(PT), durante a 2ª entrevista para YouTubers e Mídias Independentes nesta terça-feira, dia 26, disse que o “presidente Bolsonaro(PL) não acredita em Deus, ele é mentiroso até nisso”.

De acordo com Lula, as falas do presidente são “peça eleitoral”.

“O povo evangélico é um povo muito grande nesse país. É um povo muito esperto, que cuida da família como deve cuidar. A gente não tem que conversar com pastor. [Ir] atrás daquele farofeiro que fala, fala e fala, em nome de Deus, cometendo pecado todo dia — até por que usar o nome de Deus em vão é um pecado. Nós temos que conversar com o povo, o homem e a mulher evangélicos (..) Pode pegar o cara que menos gostar de mim: ele vai dizer: no tempo do Lula, o povo evangélico comia mais, ganhava mais, porque o salário mínimo era aumentado todo ano (..) [O povo evangélico] Ele tem de saber que o presidente atual não acredita em Deus, ele é mentiroso até nisso. Olha os olhos dele quando ele fala em Deus, aquilo é uma peça eleitoral, ele tramou com outros pastores. Quando, na verdade, o comportamento dele, a vida dele, a vida militar dele não é condizente com um cristão, temente a Deus, não é. A história dele é o outro lado”, disse Bolsonaro sobre Bolsonaro.

“..posição do Ciro é tão ruim que não serve nem a ele..”, Dino sobre ataques

Em entrevista à Carta Capital, o ex-governador do Maranhão Flávio Dino (PSB), criticou os ataques de Ciro Gomes (PDT) ao ex-presidente Lula (PT). Para Dino, a postura de Ciro além de não colaborar com o campo progressista, prejudica ele próprio.

“A posição do Ciro é tão ruim que não serve nem a ele, pois não resulta em um ganho eleitoral e, ao mesmo tempo, o faz perder a capacidade de seduzir uma parte da sociedade (..) Fica algo árido, hostil  e sem necessidade. Espero que em algum momento ele acorde e corrija a sua posição política (..) Ele jamais será uma alternativa para a direita. O bolsonarista não vai buscar o Ciro. Se ele tem o Bolsonaro verdadeiro, por que votará no Bolsonaro falso”, disse Flávio Dino.

Lula anuncia que voltará andar pelo Brasil em Abril

O ex-presidente Lula (PT), durante entrevista à Radio Band News FM de Fortaleza, nesta quinta-feira, dia 7, após lançamento da sua candidatura neste mês de abril voltará percorrer o Brasil.

“.. vou trabalhar para ganhar essas eleições. Vou definir minha candidatura neste mês de abril. Vamos lançar a candidatura, fazer alianças com outros partidos políticos e começar viajar pelo Brasil..”, anunciou Lula.

Os ex-presidente também voltou a se mostrar incrédulo com o sucesso de um candidato na disputa presidencial de alguém da chamada 3ª Via, para Lula a tendência será o enfrentamento entre os dois candidatos melhor posicionado nas pesquisas até, ele e Bolsonaro.

“.. essa estória de 3ª Via eu ouço desde que era pequeno, quando houve a revolução russa que o mundo ficou dividido entre socialistas e capitalistas, socialismo e socialdemocracia, ou seja, tudo isso para se criar uma 3ª Via e nunca aconteceu. A verdade é que o povo vai escolher entre os candidatos que tem possibilidade de ganhar as eleições. Candidato a gente não inventa, candidato não é uma coisa que se compra no mercado livre (..) Nós temos um presidente que tem se mantido na casa dos 25% a 30% e um candidato de oposição que se mantém na média de 40% a 45% de aprovação. Eu acho que a disputa vai se dar aí. A disputa vai se dar entre a democracia e o autoritarismo..”, disse Lula.

Sobre a formalização da chapa Lula e Alckmin, que acontecerá sexta-feira, dia 8, o ex-presidente explicou que o nome do ex-governador de São Paulo será apresentado pelo PSB para compor a chapa, em seguida será colocada à apreciação do PT.

“Não vamos manter preço da gasolina dolarizado”, diz Lula

O ex-presidente Lula (PT) confirmou nesta quinta-feira, dia 3, que vai mudar a política de preços da Petrobras. O petista lidera todas as pesquisas presidências para as eleições de 2022.

Segundo ele, não dá para “enriquecer acionista e empobrecer a dona de casa”. A fala de Lula foi durante entrevista concedida na manhã de hoje para uma Rede de Rádios do Paraná.

“Nós não vamos manter o preço da gasolina dolarizado. É importante que o acionista receba seus dividendos quando a Petrobrás der lucro, mas eu não posso enriquecer o acionista e empobrecer a dona de casa que vai comprar um quilo de feijão e paga mais caro por causa da gasolina”, disse Lula.

Sobre a eleição para o governo do Paraná, Lula disse que trabalhará pela candidatura do ex-senador e governador Roberto Requião (MDB-PR).

“Estamos comprometidos a apoiar no Paraná o companheiro Roberto Requião. Vou trabalhar para que ele seja candidato a governador e que o PT o apoie”, destacou Lula.

Roberto Requião anunciou a pré-candidatura ao governo do Paraná no último dia 11 de janeiro.

“..Tem torcida pelo Moro, coisa meio esquisita..”, Dino sobre 3ª via

Da Revista Fórum

O governador do Maranhão, Flávio Dino (PSB), foi entrevistado nesta terça-feira, dia 14, no programa Fórum Onze e Meia.

Ele tratou basicamente sobre o pleito político eleitoral de 2022, com destaque para Sérgio Moro, ex-juiz da Lava Jato e ministro de Bolsonaro, pré-candidato a presidência pelo PODEMOS.

Dino analisou a “3ª via” e a classificou como amontoada de gente com sinal claro de debilidade.

“A dita terceira via tem duas dificuldades hoje. Uma é a fragmentação e a outra é uma falta de identidade nítida. Não há coluna vertebral que sustente isso. Tem muita torcida pelo Moro, uma coisa meio esquisita (..) Por isso que eu acho que essa turma – e eu excluo o Moro um pouco disso – deve tentar se afirmar, o Doria, o Ciro, a Simone Tebet. É bom pro Brasil, pra democracia brasileira, porque esse espírito que encostou no Bolsonaro, e agora encosta no Moro, já mostrou que isso não vai dar certo. Então espero que esses outros consigam se afirmar”, disse Dino.

‘Grande Mídia’ tenta pintar Lula de ditador após fala ao El País

Em entrevista ao jornal espanhol El Pais, o ex-presidente Lula deu de bandeja um prato cheio à ‘grande mídia brasileira’, que o odeia.

Lula lidera as pesquisas presidências no Brasil, inclusive com chances de vencer no 1º turno, não bastasse isso, a recente viajem do petista à Europa mostrou que a Lava Jato e sua prisão não destruiu seu prestigio internacional.

Porém, na entrevista concedida no final de semana, ao tentar comparar a permanência no pode entre Angela Merckel (Alemanha), com Daniel Ortega (Nicarágua), Lula ofereceu munição para os que não querem vê-lo retornar ao poder no Brasil.

Bolsonaro dá “aula” de como receber propina

Da Revista Fórum

O presidente Bolsonaro nesta, quarta-feira, dia 27, durante entrevista a uma rádio com transmissão na internet, no intervalo comercial, mas com as imagens online no ar, ele fala da tarifa de pedágios, e explica como se recebe propina sem ninguém saber.

“.. O pedágio de moto no Paraná é R$ 9. Agora, o que eu apanho por causa disso… Pra mim é fácil… ‘Manda um sapato número 43 pra mim, meu número aqui, tá? Um beijo! Pronto, resolveu! Chega o sapato número 43 cheio de notinha de R$ 100 verdinha dentro..”, disse Bolsonaro.

“..Dilma sofreu um golpe..”, Lula em defesa de Dilma

Da Revista Forum

Um dia após Ciro Gomes (PDT), atacar a ex-presidente Dilma Roussef, durante entrevista à Rádio Grande FM, de Dourados (MS), nesta quinta-feira (14), Lula defendeu o governo da sua aliada.

“.. A gente não pode esquecer que a Dilma sofreu um golpe. Construíram uma mentira chamada pedaladas. E com essa mentira se construiu uma maioria, que hoje governa o país, para afastar a Dilma dizendo que o PT quebrou o Brasil e o Brasil hoje está infinitamente pior (..) Estou convencido que a Dilma fez um bom governo. E a Dilma foi a pessoa mais queimada e assaltada do poder. Aquela famosa ‘ponte para o futuro’ foi um mentira e estamos esperando a ponte para o futuro, porque não tem nenhuma ponte. Tem um abismo”, ressaltou, após lembrar o índice de desemprego histórico (..) O governo da Dilma fez coisas extraordinárias. Houve um desajuste em 2014 quando se adotou uma política de desoneração, na minha opinião exagerada, e depois ela tentou corrigir e já tinha uma figura chamada Eduardo Cunha na Câmara, que diferentemente do papel que o Temer fez para o Fernando Henrique Cardoso em 99, que ajudou a fazer as mudanças no Congresso para poder ajudar a governabilidade, o Eduardo Cunha passou a estabelecer pautas-bombas para que a Dilma tivesse dificuldade de governar. É isso que aconteceu..”, disse Lula.

“o vice precisa ter afinidade política comigo”, Lula sobre perfil do vice em 2022

O ex-presidente Lula (PT), concedeu entrevista à Radio Bandeirantes, na manhã desta terça-feira, dia 13, falou sobre a crise em Cuba, privatização da Eletrobras, relação entre os poderes, candidatura a presidente e perfil do seu vice, entre outros temas.

Questionado sobre o perfil de um companheiro de chapa nas eleições 2022 para presidência da república, Lula disse que seu vice não poderá ser alguém antagônico político.

“..Se decidir ser candidato, primeiro o vice terá que ter afinidade política comigo, eu não posso chamar um antagônico. Preciso de uma pessoa que pense economia comigo, alguém com uma visão social parecida com a minha, tem que conhecer o povo pobre do país. Quando tomei posse em 2003, a primeira coisa que fiz foi botar os mistros num avião e visitar as regiões mais pobres do Brasil (..) Que seja de outro segmento qualquer, mas que tenha cabeça voltada para a questão social..”, disse Lula.

Covid-19: Dino aciona STF para governadores terem liberdade para comprar vacinas

O governador Flávio Dino (PCdoB), disse ao site Metrópoles, que ingressou com uma ação STF, para que os estados possam comprar vacinas contra Covid-19 direto dos fabricantes.

A medida judicial solicita, ainda, que as aquisições não dependam da validação dos imunizantes pela Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária).

“Estamos entrando com uma ação judicial para que o Supremo autorize, independentemente da Anvisa, que o estado possa comprar diretamente, desde que haja validação de uma das quatro principais agências de vigilância sanitária do mundo. Ou seja, das agências dos Estados Unidos, da União Europeia, da China e do Japão”, informou Flávio Dino.

Flávio Dino também falou sobre as Eleições 2022, Frente Ampla e possibilidade de enfrentar Jair Bolsonaro nas urnas, mas ressaltou que isso não pode ser um desejo e projeto apenas seu.

 “..uma candidatura em nível nacional depende de um projeto coletivo forte..”, ponderou Dino.