Fim das Convenções: Lula e Bolsonaro definem palanques nos estados

Com o fim das Convenções no último dia 5 de agosto, segundo o Jornal Folha de SP os palanques de aliados de Lula e Bolsonaro definem seus palanques nos estados, mesmo com algumas situações ainda por resolver. A eleições 2022 terão 12 candidatos a presidente.

Lula (PT) e Geraldo Alckmin (PSB); Jair Bolsonaro (PL) e Braga Neto; Ciro Gomes (PDT) e Ana Paula Matos(PDT); Simone Tebet (MDB) e Mara Gabrilli (PSDB); Soraya Thronicke (União Brasil) e Marcos Cintra (União Brasil); Vera Lúcia (PSTU) e Raquel Tremembé (indígena Kunã Yporã, PSTU); José Maria Eymael (DC) e João Barbosa Bravo (DC); Roberto Jefferson (PTB) e Padre Kelmon Luís da Silva Souza (PTB); Felipe D’Avila (Novo) e Tiago Mitraud (Novo); Léo Péricles (UP) e Samara Martins (UP); Pablo Marçal (Pros) e Fátima Pérola Neggra (Pros); Sofia Manzano (PCB) e Vice: Antonio Alves (PCB).

BTG/FSB: também mostra tendência de vitória de Lula no 1º turno

Pesquisa BTG/FSB divulgada nesta segunda-feira, dia 30, mostra Lula (PT) na liderança com 46% das intenções de votos, o presidente Bolsonaro (PL) tem 32%. Na sequência estão Ciro Gomes (PDT), com 9%; Simone Tebet (MDB), 2%; André Janones 1% (Avante).

Leonardo Péricles (UP), Luciano Bivar (União Brasil), Sofia Manzano (PCB), a sindicalista Vera Lucia (PSTU),todos não hegaram a 1%.

Considerando apenas votos válidos, sem os brancos, nulos e não sabem, Lula fica, pela margem de erro, entre 48% e 52%. Confirmando a possibilidade de vitoria do petista ainda no 1º turno. Pela Lei, vence em 1º turno, o candidato que alcança 50% e mais 1 dos votos validos.

A pesquisa ouviu 2.000 eleitores de 16 anos ou mais entre os dias 27 e 29 de maio. As entrevistas foram feitas por telefone. A confiança é de 95%. A pesquisa foi feita pelo Instituto FSB, contratada pelo banco BTG Pactual e registrada no TSE com o número de protocolo BR-03196/2022.

DataFolha: Lula com 54% dos votos venceria no 1º turno

Pesquisa DataFolha divulgada no inicio da noite desta quinta-feira, dia 26, mostra Lula (PT) com 54% e Bolsonaro (PL) com 30%, dos votos válidos.

Na totalidade dos votos o petista tem 48%, contra 27% de Bolsonaro, uma vantagem de 21%. A pesquisa confirma a possibilidade de vitória de Lula no 1º turno.

A pesquisa ouviu 2.556 eleitores acima de 16 anos em todos os estados brasileiros e o Distrito Federal, nos dias 25 e 26 desta semana. A margem de erro é de dois pontos para mais ou para menos.

Eduardo Leite renuncia ao governo do Rio Grande do Sul

Do UOL

Eduardo Leite (PSDB), agora ex-governador do Rio Grande do Sul, renunciou ao cargo nesta segunda-feira, dia 28, durante coletiva no Palácio Piratini.

“Eu me sinto preparado, me sinto em condições, tenho vontade, tenho disposição de ser, sim, presidente. Mas ninguém é candidato pela mera vontade pessoal. Uma candidatura à presidência é um projeto que tem de ser construindo coletivamente e eu estarei me apresentando, se entenderem que nesta função eu deva colaborar (..) Eu atendo ao que a legislação eleitoral exige: renunciar ao mandato de governador para estar na política atuando nessa eleição, que é decisiva, buscando dar toda a a colaboração que eu puder para ajudar o país nesse momento crítico (..) A renúncia me abre muitas possibilidades e não me retira nenhuma (..) Renunciar ao mandato me abre diversas possibilidades, todas elas, então é neste momento que eu me abro para me apresentar e esteja onde mais possa dar minha contribuição (..) Precisamos de uma alternativa que fale de futuro, e que construa esse futuro. precisamos que o Brasil cumpra esse futuro”, disse Leite sem citar a pré-candidatura de Doria”, destacou Leite

MDB não participará de federação nas eleições 2022

O deputado Baleia Rossi (MDB-SP), presidente nacional do MDB, informou nas redes sociais que a sigla não formará federação com outras as siglas nas eleições de 2022.

O MDB vinha discutindo com PSDB e União Brasil a formação de federação, mas decidiu seguir com o nome da senadora Simone Tebet (MDB-MS) para presidência da república, que no próximo dia 10 será a voz do partido nas inserções de TV, porém aberto para uma alternativa de candidatura única do centro democrático.

Ipec: Lula com 49% dos votos venceria no 1º turno Bolsonaro que tem 23%

Do G1

Se a eleição presidencial de 2022 fosse hoje, Lula (PT) com 49% dos votos venceria em 1º turno o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) que tem 23%, é o que mostra Pesquisa Ipec divulgada nesta sexta-feira, dia 25.

Também aparecem na pesquisa os nomes de Ciro Gomes (PDT), João Doria (PSDB) e Henrique Mandeta (DEM).

O Ipec ouviu 2.002 pessoas em 141 municípios e realizada entre 17 e 21 de junho. A margem de erro é de 2 pontos para mais e para menos.

“Bolsonaro está no pior momento, e Lula no melhor”, diz Arthur Lira

247 – O presidente da Câmara dos Deputados, Arthur Lira (PP-AL), afirmou na manhã desta terça-feira, dia 25, de acordo com a Folha de S. Paulo, que Bolsonaro está em seu pior momento no governo.

Por outro lado, segundo Lira, o ex-presidente Lula, está no ápice de sua popularidade.

“Nós estamos numa complicação de vacina, numa ausência que passou-se três meses sem o auxílio emergencial, com a população mais carente privada. Então, na minha visão, rapidamente, o presidente Bolsonaro está no seu pior momento e o candidato e ex-presidente Lula está em seu melhor momento”, disse Lira.

“Serei candidato contra Bolsonaro”, Lula ao Paris Match

O ex-presidente Lula em entrevista ao jornal francês Paris Match, admitiu que é candidato a presidente para enfrentar Jair Bolsonaro.

“Serei candidato contra o Bolsonaro (..) Se estou na melhor posição para ganhar as eleições presidenciais e gozo de boa saúde, sim, não hesitarei (..) Acho que fui um bom presidente. Criei laços fortes com a Europa, América do Sul, África, Estados Unidos, China, Rússia. No meu mandato, o Brasil tornou-se um importante ator no cenário mundial, notadamente criando pontes entre a América do Sul, África (..) O que eles não sabiam é que estou pronto para lutar até o último suspiro para provar que se uniram para me impedir de ir às eleições”, disse Lula.

Para Dino conduta de Bolsonaro é incompatível com a de presidente da República

O governador Flávio Dino (PCdoB), classificou a conduta do presidente Jair Bolsonaro, nesta quarta-feira, dia 27, ao atacar jornalistas, como “incompatível com a condição de presidente da República”.

“Ofender jornalistas, no exercício de suas funções, com palavras agressivas e obscenas, não é uma conduta compatível com a condição de presidente da República. Minha solidariedade aos ofendidos”, governador Flávio Dino.

Durante um encontro com artistas na tarde de hoje em Brasília, o presidente ao se referir à repercussão dos gastos do governo com comida em 2020, disse que o ‘leite condensado’, era para “enfiar no rabo imprensa”.

Lula diz que Ciro e Dino estão qualificados para disputar presidência

Em entrevista ao Fórum Onze e Meia nesta sexta-feira (4), o ex-presidente Lula elogiou o ex-candidato à presidência pelo PDT, Ciro Gomes, e disse que ele está qualificado para disputar as eleições de 2022, assim como o governador do Maranhão, Flávio Dino (PCdoB).

“As pessoas pensam que eu tenho divergências profundas com o Ciro Gomes. A gente tem mais divergência pelo jeito de se comportar. Eu sempre disse publicamente que eu tenho respeito pelo Ciro, ele sempre foi muito leal ao meu governo, apesar das divergências pontuais que temos, e temos que aprender a conviver com elas. O Ciro não precisa gostar de mim e eu não preciso gostar dele, nós temos que nos respeitar”, disse.

Em seguida, o ex-presidente afirmou que os governadores do PT também estão qualificados para disputar as eleições e voltou a dizer que, a princípio, não pretende lançar sua candidatura.

“O Flávio Dino está qualificado para ser candidato, o Ciro está qualificado. Como eu vou dizer que não? Mas não posso dizer que Haddad não dá, que meus governadores não estão”, disse. Ao ser questionado sobre ele ser o nome do PT para 2022, respondeu: “Eu gostaria de trabalhar como cabo eleitoral de outro companheiro”.

Para o ex-presidente, a escolha do candidato pelo PT vai depender do cenário político do Brasil em 2020. Ele diz, no entanto, que não vê sinais de melhora até lá.

“Não vejo sinais de melhora, não sou desses que acha que Bolsonaro vai cair. Não vejo a possibilidade do Brasil melhorar com Bolsonaro”, afirma.

(Informações Revista Fórum)