Bolsonaro propõe ministro evangélico para o STF durante evento das Assembleias de Deus

 

bolsonaroevangelicos (1)
Foto: Reprodução

O presidente Jair Bolsonaro nesta sexta-feira (31), durante a Convenção Nacional das Assembleias de Deus Madureira, em Goiânia, criticou STF e propôs um ministro evangélico para a corte.

“O Supremo Tribunal Federal agora está discutindo se homofobia pode ser tipificada como racismo. Desculpem, ministros do supremo tribunal federal, a quem eu respeito, e jamais atacaria um outro Poder. Mas, ao que parece, estão legislando. O Estado é laico, mas eu sou cristão. Como todo respeito ao Supremo Tribunal Federal, existe algum, entre os 11 ministros, evangélico, cristão assumido? Não me vem à imprensa dizer que quero misturar Justiça com religião. Será que não está na hora de termos um ministro do Supremo Tribunal Federal evangélico?”, disse.

(Da Revista Forum)

“Ninguém é obrigado a continuar como ministro meu..”. E aí Paulo Guedes??

 

guedes e bosa
Paulo Guedes e Jair Bolsonaro/Foto Reprodução

O todo poderoso ministro da Economia, Paulo Guedes, o ‘Posto Ipiranga’ do presidente Jair Bolsonaro, parece não desfrutar mais dessa condição. Após sua declaração publicada na revista Veja, que pegará um avião e vai embora se a Reforma da Previdência for transformada em ‘reforminha’, teve que engolir uma resposta no minimo intrigante.

“Ninguém é obrigado a continuar como ministro meu. Logicamente, ele está vendo uma catástrofe. E é verdade, concordo com ele se nós não aprovarmos uma reforma muito próxima da que nós enviamos para o parlamento..”, disse Bolsonaro em solo nordestino nesta sexta-feira (24).

COAF: Enquanto Bolsonaro e Moro eram derrotados, deputados governistas faziam ‘lives’

 

Bolsonaro em Curitiba
Jair Bolsonaro e Sergio Moro ( Imagem/Fotoarena/Folhapress)

Uma cena curiosa no plenário da Câmara Federal na noite de ontem quarta-feira (22), chamou atenção durante a votação da MP 870, cujo o resultado da votação devolveu o COAF (Conselho de Controle de Atividades Financeiras) ao Ministério da Economia.

xbancada-lives.jpg.pagespeed.ic.6TNtDjf8Tm
No plenário da Câmara Coaf voltava para o Ministério da Economia e a bancada governista nos celulares fazendo live/Foto: Daniel Marenco / Agência O Globo

Enquanto vários deputados do PSL, inclusive a líder do governo Joice Joice Hasselmann, faziam ‘lives’, Sérgio Moro e Bolsonaro eram derrotados, com muitos votos de parlamentares da base do governo.

Os governistas usavam as redes sociais para defenderem a permanência do COAF sob o comando do Ministério da Justiça como queria Moro, já no plenário da Câmara, a oposição articulava e acabou aplicando mais uma derrota no governo Bolsonaro por 228 votos a 210.

(Com informações de O Globo)

Movimentos ‘Vem Pra Rua’ e ‘NasRuas’ não estão organizando manifestações

 

vemprarua

Segundo o blog O Antagonista, os movimentos Vem Pra Rua e NasRuas não estão convocando manifestações nas redes sociais marcadas para o próximo dia 26/05.

“Não apoiamos políticos nem governos, apoiamos ideias e iniciativas. A Nova Previdência, a Reforma Tributária e o Pacote Anticrme são ideias que apoiamos. Mas as pautas dessas manifestações do dia 26 são confusas e dispersas”, diz Adelaide Oliveira, coordenadora nacional do Vem Pra Rua.

“O Movimento Nas Ruas não está administrando ou organizando a manifestação divulgada”, afirma Tomé Abduch, porta-voz do grupo.

Parece fadado ao fracasso o movimento antes mesmo de começar.

Educação é a ‘arma’ mais poderosa para fazer um país ser ‘levado a sério’

 

crianca-protesto-masp
Foto: Reprodução
m6
Foto: Reprodução
m5
Foto: Reprodução
m4
Foto: Reprodução
m3
Foto: Reprodução
m2
Foto: Reprodução
m1
Foto: Reprodução
m7
Foto: Reprodução
m8
Foto: Reprodução
m9
Foto: Reprodução

À BBC Lula volta atacar e desafiar Sérgio Moro a provar seus crimes

 

lula-sergio-moro-1024x768-1024x768
Ex-presidente Lula e o ministro Sérgio Moro/Foto: Reprodução

O ex-presidente Lula voltou conceder entrevista à chamada grande Imprensa. Dessa vez à BBC, em quase duas horas o petista falou sobre vários temas, entre eles, a atuação do ex-juiz Sérgio Moro em relação sua condenação, e atualmente como ministro da Justiça.

Para Lula, o ministro Moro, usou a toga para fazer política agora na condição de político foge do debate.

“Ele nasceu para se esconder atrás de uma toga e ficar lendo o Código Penal. Ele tem que se expor a debate. Eu, por exemplo, adoraria fazer um debate com o Moro sobre os crimes que cometi”, disse Lula.

Veiculada na noite de ontem, sexta-feira (10), a entrevista foi concedida ao jornalista Keneddy Alencar, Lula bateu forte principalmente no presidente de Jair Bolsonaro  e o ministro Sérgio Moro.

Abaixo o vídeo editado da entrevista exibido pelo canal Inglês.

Flávio Dino defende Educação durante reunião com o presidente Bolsonaro

 

D6J9-9dXoAAOCvW
Flávio Dino e governadores do Nordeste durante reunião com participação do presidente Bolsonaro/Foto: Reprodução

O governador Flávio Dino defendeu o Maranhão e a retomada do crescimento do país, na tarde desta quinta-feira (9), em Brasília, na reunião dos governadores do Nordeste que contou com presença do presidente Bolsonaro, no Palácio do Planalto.

Foi apresentado um documento em que os governadores pleiteiam o novo FUNDEB  e a revisão dos cortes em Universidades e Institutos Federais. Flávio Dino defendeu a manutenção dos recursos do Fundeb, que hoje é utilizado por Estados e Municípios para arcar com parte dos gastos na educação, especialmente salário dos professores.

“Esperamos que o governo federal estude o assunto e apresente uma proposta o quanto antes. Nós vamos insistir nessa pauta para que não haja retrocessos nas conquistas educacionais que nós tivemos nas últimas décadas”, declarou Flávio Dino.

Para o governador do Maranhão, entre as várias questões tratadas, houve avanço na proposta de equilíbrio fiscal com o Plano de Estabilidade Financeira (PEF) do governo federal, mas que a maioria serão esquecidos, principalmente a educação.

Além de Bolsonaro participaram da reunião os ministros Paulo Guedes (Economia), Onyx Lorenzoni (Casa Civil), Santos Cruz (Secretaria de Governo), Bento Albuquerque (Minas e Energia), e o Advogado-Geral da União, Luiz de Almeida.

fundeb

fundeb 1