Dino destrói boato sobre ‘negação de segurança’ a Bolsonaro em Balsas no MA

O governador Flávio Dino (PCdoB), reagiu rápido ao boato de que teria negado segurança ao presidente Bolsonaro, em Balsas, região Sul do Maranhão.

Dino ao tomar conhecimento da informação, contestou a ‘negativa de segurança’ ao presidente, e classificou o ocorrido de mentira e irresponsabilidade.

“Alguns irresponsáveis estão mentindo à população de Balsas sobre o cancelamento de uma suposta visita de Bolsonaro à cidade. Não houve nenhuma negativa de segurança a ele. Gostaria que mostrassem o documento que provaria a fantasiosa versão”, alertou o governador do Maranhão.

O governador do Maranhão voltou se posicionar nas redes sociais, ainda na noite de ontem, para em tom de indignação mostrar de onde surgiu o boato e cobrar provas.

“..descobrir que a mentira de que eu neguei segurança a Bolsonaro em Balsas partiu dele próprio..”, destacou Dino no twitter.

Ciro e Lula ameaçam mais Bolsonaro do que Doria e Huck em 2022

Para líderes no Congresso Nacional ouvidos pela nova edição do Painel do Poder, ferramenta do site Congresso em Foco, as chances de Bolsonaro (sem partido) se reeleger em 2022 cresceram.

Os nomes mais fortes contra ele são Ciro Gomes (PDT) e Lula (PT).

O apresentador de TV e empresário Luciano Huck e o ex-juiz e ministro Sérgio Moro empataram na quarta posição, em quinto está João Dória (PSDB). Aqui mais detalhes sobre o levantamento

Eleições 2022: PoderData mostra Bolsonaro e Lula empatados em eventual 2º turno

Pesquisa realizada pelo PoderData mostra o presidente Jair Bolsonaro à frente na corrida eleitoral para 2022, com 35% das intenções de voto. O ex-presidente Lula aparece em 2º lugar, com 21%.

Em eventual 2º turno, Jair Bolsonaro venceria Fernando Haddad (PT), Ciro Gomes (PDT) e João Dória na eleição presidencial de 2022. Mas, empataria com Lula e Sérgio Moro.

O levantamento mostra que Bolsonaro e Lula aparecem ambos com 41% de intenções de voto.

Os dados foram coletados de 14 a 16 de setembro, por meio de ligações para celulares e telefones fixos. Foram 2.500 entrevistas em 459 municípios, nas 27 unidades da Federação. A margem de erro é de 2 pontos percentuais.

IBOPE: para 33% Bolsonaro é o maior culpado pela situação da pandemia

Pesquisa Ibope divulgada neste domingo(6), mostra que para 38% dos entrevistados o povo é o maior responsável pela situação da covid-19 no Brasil.

O presidente Bolsonaro é apontado por 33% o principal responsável

O levantamento também aponta que 71% dos brasileiros concordam que o país sofreu mais do que o esperado com a pandemia.

Entre os que se dizem de direita, 8% disseram que Bolsonaro agravou a pandemia, enquanto 45% culpam a população.

Quanto aqueles que se declaram de esquerda, 78% responsabilizam Bolsonaro, já 15% destes atribuem ao o povo. Aqui mais detalhes no O GLOBO

Bolsonaro entregará várias obras no país, a maioria iniciadas nas gestões Lula e Dilma

Focado em 2022 e surfando na popularidade adquirida com o auxílio emergencial, o presidente Bolsonaro viajará ainda este ano pelo Brasil, segundo a coluna  Painel, da Folha para inaugurar obras de infraestrutura, a maioria iniciadas nos governos Dilma e Lula.

Das 33 obras, 25 foram iniciadas na gestão petista na presidência e 2 no governo de Temer. Apenas seis foram autorizadas pelo governado Bolsonaro, algumas delas vinham sendo pensadas em governos anteriores.

A maioria das obras fazem parte do PAC (Programa de Aceleração do Crescimento), criado em 2007 na gestão do PT.

Movimento Negro e várias entidades pedem impeachment de Bolsonaro

 

Foto: Reprodução

Movimento Negro que reúne 150 organizações protocola nesta quarta-feira (12), um pedido de impeachment de Jair Bolsonaro.

O documento acusa Bolsonaro de cometer crimes de responsabilidade contra a vida da população negra e suas comunidades.

Além da Coalizão do Movimento, apoam a iniciativa 600 entidades e instituições de todo o país, entre elas, trabalhadores e trabalhadoras domésticas, saúde, informais, plicativos, construção civil e cultura e religião.

Bolsonaro vincula mortes pela Covid a governadores adversários

 

q1reaLsM

247 – Enquanto o país ultrapassa os mais de 100 mil óbitos em decorrência da Covid-19, o governo Jair Bolsonaro, sem ministro da Saúde, prepara uma lista para relacionar governadores e prefeitos com as regiões com maiores índices da doença.

De acordo com reportagem do jornal O Globo, o nome do aliado Ibaneis Rocha, governador do Distrito Federal, foi omitido.

No entanto, o documento que O Globo teve acesso mostra que há um “top 5” de locais com mais “novos casos” e “novos óbitos”.

Ao lado dos indicadores, vem o nome dos cinco chefes do Executivo estadual respectivos, começando por João Doria, governador de São Paulo e adversário político de Bolsonaro.

O documento foi elaborado pela Secretaria de Governo (Segov) da Presidência da República usando dados do Ministério da Saúde justamento do último sábado, dia em que o Brasil ultrapassou os 100 mil mortos pela Covid-19.

Eleição 2022: Bolsonaro na frente com 38%; Flávio Dino aparece com 3%

 

49968327352_247b1a99a9_c-660x372
Foto: Reprodução

O presidente Jair Bolsonaro continua liderando a corrida eleitoral para a presidência em 2022. Em levantamento divulgado nesta quinta-feira (6), realizado pelo site Poder 360, Bolsonaro aparece ainda com ampla vantagem em relação a Fernando Haddad (PT),  segundo colocado.

Bolsonaro tem 38% seguido por Haddad com 14%, em seguida, na terceira posição está Sérgio Moro com 10%, o quarto é Ciro Gomes (PDT), com 6%.

Os outros que pontuam na sequência da pesquisa são: Luiz Henrique Mandetta com 5%; o governador de São Paulo, João Dória (PSDB), com 4%; e governador do Maranhão, Flávio Dino (PCdoB), com 3%.

Brancos e nulos somam 12%, enquanto 8% dos entrevistados não sabem ou não responderam.

EexL7IiWsAAKJE4

Poder

poder 3

 

Bolsonaro mais que dobrou número de militares em cargos no governo

 

Foto: Reprodução

De acordo com o jornal O Globo um levantamento realizado pelo Tribunal de Contas da União (TCU), constatou que a quantidade de militares da ativa e reserva em cargos civis mais do que dobrou no governo  Bolsonaro.

Em 2018, havia 2.765 militares em cargos civis do governo federal. Em 2019, o número chegou a 3.515 cargos destinados a servidores oriundos da caserna. E em 2020, o total chegou a 6.157, um aumento de 122%.

É a primeira vez que um levantamento mostra a militarização do governo Bolsonaro. Um dos maiores aumentos ocorreu entre militares que passaram a ocupar cargos comissionados.

Em 2016 eram 1.965, em 2018 caiu para 1.934. Já no primeiro ano do governo Bolsonaro, a quantidade subiu para 2.324, um aumento de 20%. Neste ano, são 2.643 militares ocupando esses cargos, ou 34,5% a mais. Aqui mais informações

General Pazuello interino da Saúde cancela agenda no Maranhão

 

General Eduardo Pazzuello, ministro interino da Saúde/Foto: Reprodução

O ministro interino da Saúde, General Eduardo Pazuello, cancelou sua viagem ao Maranhão marcada para esta terça-feira (14).

Na agenda estava reunião com o secretário de Estado da Saúde, Carlos Lula, que também é presidente do CONASS (Conselho Nacional dos Secretários Estaduais de Saúde).

O motivo do cancelamento não ficou claro, o que acabou sendo objeto de especulações, como: interferência de políticos maranhenses próximos a Bolsonaro e adversários de Flávio Dino, e também, a posição do governador do Maranhão em relação à polêmica envolvendo o ministro do STF Gilmar Mendes e as Forças Armadas.