“Para bom entendedor, meia palavra basta”, FHC ‘declara voto’ em Lula

O ex-presidente Fernando Henrique Cardoso, presidente de honra do PSDB, através de uma nota pública, divulgada nesta quinta-feira, dia 22, se posicionou sobre as eleições para Presidência da República.

“..Peço aos eleitores que votem no dia 2 de outubro em quem tem compromisso com o combate à pobreza e à desigualdade, defende direitos iguais para todos independentemente da raça, gênero e orientação sexual, se orgulha da diversidade cultural da nação brasileira..”, destaca FHC na nota.

Sem citar o nome de nenhum dos presidenciáveis, duas coisas ficam claras no posicionamento de FHC: a primeira, é a recomendação ao eleitor para não votar em Bolsonaro (PL); a segunda, é que as razões elencadas por FHC, mostram pautas defendidas por Lula (PT), o que leva a conclusão do apoio ao petista.

Nota pública | Voto Pró-Democracia nas Eleições:

“Como é do conhecimento público, tenho idade avançada e, embora não apresente nenhum problema grave de saúde, já não tenho mais energia para participar ativamente do debate político pré-eleitoral (…) Peço aos eleitores que votem no dia 2 de outubro em quem tem compromisso com o combate à pobreza e à desigualdade, defende direitos iguais para todos independentemente da raça, gênero e orientação sexual, se orgulha da diversidade cultural da nação brasileira, (…) valoriza a educação e a ciência e está empenhado na preservação de nosso patrimônio ambiental, no fortalecimento das instituições que asseguram nossas liberdades e no restabelecimento do papel histórico do Brasil no cenário internacional”. Fernando Henrique Cardoso.

Eleições 2022: violência política pode afastar 9% dos eleitores das urnas

A última pesquisa Datafolha revelou que 9% dos eleitores poderão não votar no dia 2 de outubro. O motivo é o medo da violência política. De acordo com o levantamento, cerca de 40% dos eleitores ouvidos disseram acreditar que poderá ocorrer atos de violência por causa da eleição.

Entre os que acham ou temem que aconteçam violência política na s eleições estão: mulheres (45%) e homens (35%); eleitores de Lula (50%) e Bolsonaro (26%).

Já ocorreram duas mortes no período eleitoral de militantes políticos envolvendo apoiadores de Bolsonaro e Lula. Além de inúmeros episódios que poderiam ter levado e desfechos mais trágicos, inclusive ameaças a pesquisadores sondagem eleitoral.

Produtora reage a ‘intolerância’ e confirma show de João Gomes em ITZ

Do G1

A Imperial Produções, responsável pelo show de João Gomes em Imperatriz, classificou o pronunciamento do SinRural como ‘intolerância’ e afirma que a atitude só prejudica a cidade.

Em nota, disse ainda que o show não será cancelado e que poderá acontecer em outro local da cidade, ou em municípios vizinhos.

“A intolerância dos diretores do sinrural em relação ao show do João Gomes que aconteceria no Parque de Exposições deixa claro o porque de Imperatriz ainda não ter a relevância que merece no cenário nacional. A movimentação econômica que vai acontecer aqui na região é gigantesca. O comércio movimentará milhões. Todos são afetados: a manicure, o salão de beleza, o motorista de aplicativo, a rede hoteleira, os restaurantes, os vendedores ambulantes e toda cadeia alimentar que leva o sustento para dentro de sua casa através das oportunidades geradas em um festival como esse”, diz a nota.

Pesquisa IPEC/GLOBO: Lula tem 46% e Bolsonaro 31%

Pesquisa Ipec/Globo divulgada na noite desta segunda-feira (12), mostra Lula (PT) com 46% das intenções de voto, e Bolsonaro (PL) com 31% na eleição para a Presidência da República em 2022.

Em relação ao levantamento realizado na semana passada, Lula subiu dois pontos dentro da margem de erro, quando apresentou 44%, já Bolsonaro se manteve como estava.

Foram ouvidas 2.512 pessoas entre os dias 9 e 11 de setembro em 158 municípios. A margem de erro é de 2% pontos para mais ou para menos, a confiança é de 95%. Foi registrada no TSE sob o protocolo BR-01390/2022.

Ipec/Globo: Lula tem 44% e Bolsonaro 31%, diferença de 13 pontos

Pesquisa Ipec divulgada na noite desta segunda-feira, dia 5, mostra na pesquisa estimulada Lula (PT) com 44% das intenções de voto. Jair Bolsonaro (PL) tem 31% para a Presidência da República em 2022.

Os números revelam estabilidade na corrida eleitoral em comparação aos levantamentos anteriores realizados pelo Ipec. Lula também vence na pesquisa espontânea.

A pesquisa ouviu 2.512 pessoas entre os dias 2 e 4 de setembro em 158 municípios. A margem de erro é de dois pontos percentuais para mais ou para menos, o nível de confiança de 95%. Foi registrada no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) sob o protocolo BR-00922/2022.

Lula e Bolsonaro estarão no debate, domingo dia 28, na Band

Do UOL

Lula (PT) e Bolsonaro (PL) estarão lado a lado no próximo domingo, dia 28, no debate em São Paulo, organizado por UOL, Band, Cultura e Folha, segundo a coordenação da sua campanha.

As participações foram confirmadas nesta quarta-feira, dia 24, pelas assessorias dos dois candidatos.

O debate acontecerá no estúdio da Band, e reunirá Felipe d’Avila (Novo), Soraya Thronicke (União Brasil), Simone Tebet (MDB), Bolsonaro, Lula e Ciro Gomes (PDT).

Datafolha: Lula tem 51% dos votos validos e pode vencer no 1º turno

Pesquisa Datafolha divulgada na noite desta quinta-feira, dia 18, a primeira após o inicio oficial da campanha, mostra Lula com 51% dos validos contra Bolsonaro que tem 35%, excluindo os 6% de votos brancos e nulos, mantém as chances do petista vencer a eleição presidencial no 1º turno.

Lula na liderança pós inicio do pagamento do Auxilio Brasil

Os números da Pesquisa Quaest/Consultoria divulgada nesta quarta-feira, dia 17, não são nada bons para expectativa do governo Bolsonaro, que esperava melhorar de imediato as intenções de votos com inicio do pagamentos do Auxílio Brasil de R$ 600.

No cenário estimulado o ex-presidente Lula (PT) lidera a corrida eleitoral para presidência da república com 45%, enquanto o presidente aparece com 33%.


Foram entrevistadas 2.000 de modo presencial, entre os dias 11 e 14 de agosto. A confiança é de 95%. A pesquisa foi registrada no TSE, sob o número BR-01167/2022 e custou R$ 139.005,86.

Eleições 2022: Posse no TSE mobiliza classe política e jurídica

Do G1

Os ministros do STF, Alexandre de Moraes e Ricardo Lewandowski, tomam posse nesta terça-feira, dia 16, respectivamente na presidência e vice-presidência do Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

Eles comandarão a corte eleitoral nas eleições de outubro.

Deverão participar da solenidade o presidente Jair Bolsonaro (PL), o ex-presidente Lula (PT), a ex-presidente Dilama Rousseff (PT), o ex-presidente José Sarney (MDB) o ex-presidente Michel Temer,  e ainda, Ciro Gomes (PDT) e Simone Tebet (MDB), que assim como Lula e Bolsonaro concorrem ao Palácio do Planalto.

O ex-presidente Fernando Henrique (PSDB), não participará, mas deverá enviar uma mensagem em apoio a nova corte eleitoral.

Entre os participantes estarão ainda ministros do STF, parlamentares, governadores de estado, ministros do governo.

A cerimônia está mobilização meios político e jurídico em Brasília. A segurança do TSE está preparada para atuar num evento com mais de 2 mil pessoas.

Fim das Convenções: Lula e Bolsonaro definem palanques nos estados

Com o fim das Convenções no último dia 5 de agosto, segundo o Jornal Folha de SP os palanques de aliados de Lula e Bolsonaro definem seus palanques nos estados, mesmo com algumas situações ainda por resolver. A eleições 2022 terão 12 candidatos a presidente.

Lula (PT) e Geraldo Alckmin (PSB); Jair Bolsonaro (PL) e Braga Neto; Ciro Gomes (PDT) e Ana Paula Matos(PDT); Simone Tebet (MDB) e Mara Gabrilli (PSDB); Soraya Thronicke (União Brasil) e Marcos Cintra (União Brasil); Vera Lúcia (PSTU) e Raquel Tremembé (indígena Kunã Yporã, PSTU); José Maria Eymael (DC) e João Barbosa Bravo (DC); Roberto Jefferson (PTB) e Padre Kelmon Luís da Silva Souza (PTB); Felipe D’Avila (Novo) e Tiago Mitraud (Novo); Léo Péricles (UP) e Samara Martins (UP); Pablo Marçal (Pros) e Fátima Pérola Neggra (Pros); Sofia Manzano (PCB) e Vice: Antonio Alves (PCB).