Carla Zambelli não adivinhou a Operação de hoje da Polícia Federal

 

carla
Deputada Carla Zambelli (PSL-SP), hoje não comemorou a Operação da Polícia Federa/Foto: Reprodução

Seis deputados bolsonaristas deverão ser ouvidos no inquérito sobre fake news e ameaças ao STF. A determinação é do ministro Alexandre de Moraes.Os parlamentares tem 10 dias para prestarem os esclarecimentos e estão proibidos de deletarem publicações nas redes sociais.

Eles são todos suspeitos e investigados no inquérito objeto da ação do ministro do Alexandre Moraes.

Entre os parlamentares estão Carla Zambelli (PSL-SP), que ontem comemorou a operação da PF no Rio de Janeiro contra Wilson Witzel (PSC-RJ, e ainda, Luís Phillipe de Orleans e Bragança (PSL-SP), descendente da família real portuguesa.

Os outros deputados são: Bia Kicis (PSL-DF); Daniel Silveira (PSL-RJ); Filipe Barros (PSL-PR); Cabo Junio Amaral (PSL-MG). Outros dois deputados estaduais ambos do PSL também serão ouvidos Gidelvanio Santos Diniz, o “Carteiro Reaça” (PSL) e Douglas Garcia.

Joice Hasselmann e Carla Zambelli usam CPI para lavarem ‘roupa suja’

 

hasselmann e zambelli
Foto: Reprodução

A reunião da CPI das Fake News na Câmara Federal na quarta-feira (4), com a presença da deputada federal Joice Hasselmann (PSL), que se ofereceu para depor e denunciou um ‘gabinete do ódio’, que segundo ela, seria comandado pelos irmãos Carlos e Eduardo Bolsonaro, filhos do presidente, promoveu um embate triste entre as antigas amigas e deputadas Joice Hasselmann e Carla Zambelli.

A classificação para o que aconteceu durante a sessão da CPI em vários momentos foi uma verdadeira e lamentável ‘lavem de roupa suja’. As revelações e baixarias foram de conspirações na campanha e após a chegada ao poder de Jair Bolsonaro a questões pessoais.

Deputada usa assovio para controlar sessão na Câmara Federal

 

assovio

Quem conhece a rotina nos parlamentos, principalmente nas atividades no plenário, não estranha o barulho num ambiente que muitas vezes parece incontrolável. Na Câmara Federal essa situação é notória exigindo de quem conduz os trabalhos habilidade e muita paciência.

Mas, a deputada Carla Zambell (PSL-SP), ao que parece encontrou uma forma curiosa e simples para controlar os colegas deputados e manter o silêncio durante os trabalhos.

Nesta semana, quando presidia uma sessão solene na Câmara Federal, num ato quase de desespero teve que recorrer a um recurso no mínimo curioso para manter o controle no plenário: o assovio.