“Ninguém é obrigado a continuar como ministro meu..”. E aí Paulo Guedes??

 

guedes e bosa
Paulo Guedes e Jair Bolsonaro/Foto Reprodução

O todo poderoso ministro da Economia, Paulo Guedes, o ‘Posto Ipiranga’ do presidente Jair Bolsonaro, parece não desfrutar mais dessa condição. Após sua declaração publicada na revista Veja, que pegará um avião e vai embora se a Reforma da Previdência for transformada em ‘reforminha’, teve que engolir uma resposta no minimo intrigante.

“Ninguém é obrigado a continuar como ministro meu. Logicamente, ele está vendo uma catástrofe. E é verdade, concordo com ele se nós não aprovarmos uma reforma muito próxima da que nós enviamos para o parlamento..”, disse Bolsonaro em solo nordestino nesta sexta-feira (24).

Deputado Edilázio Júnior tem seis parentes contemplados com Passaporte Diplomático

 

Deputado-federal-Edilázio-Júnior-e-o-presidente-eleito-Jair-Bolsonaro
Deputado Federal Edilázio Júnior (PSD-MA) e o Presidente Bolsonaro/Foto: Reprodução

Pelo menos 404 pessoas, entre cônjuges e filhos de deputados federais, foram contemplados com o passaporte diplomático. O documento permite privilégios em viagens internacionais.

Com sete parentes agraciados, o presidente da Câmara Federal, Rodrigo Maia (DEM), lidera a lista de deputados que presentearam esposas(os) e filhas (os), com o documento especial.

Na lista dos demais parlamentares que privilegiaram os seus com o documento está o deputado maranhense, Edilázio Júnior (PSD), que contemplou seis parentes. É o mesmo parlamentar envolvido na polêmica sobre a presença de pobres na Península da Ponta D’Áreia, área nobre da capital do Maranhão.

A liberação do documento especial para os parentes dos parlamentares, superou até o número de deputados que possuem o passaporte diplomático, um total de 369.

Os documentos liberados para cônjuges e filhos dos parlamentares tem validade média de quatro anos. O Itamaraty e a Câmara Federal informaram que a medida é legal, mas, será moral? Pelo visto a ‘mamata’ não acabou.

Deputados Federais brigam por causa de ‘milhões’ para aprovar Reforma da Previdência

 

machado
Foto: Reprodução

A sessão na Câmara Federal nesta quarta-feira (24), foi suspensa após uma confusão generalizada. Os deputados foram aos empurrões e agressões verbais. O motivo foi a negociação que estaria sendo acertada entre o governo Bolsonaro e os deputados para aprovação da Reforma da Previdência. O assunto foi tratada na Folha de SP.

A confusão começou quando o deputado Aliel Machado (PSB-PR), ao usar a palavra no plenário começou tratar do assunto. Imediatamente o deputado José Medeiros (Podemos-MT), partiu para cima do colega e o chamando de ‘vaga bundo’.

De acordo com a matéria, em reunião que participaram o presidente da Câmara, Rodrigo Maia, o ministro da Casa Civil, Onyx Lorenzoni (DEM-RS)  foi oferecido um extra de R$ 40 milhões em emendas parlamentares até 2022 a cada deputado federal que votar a favor da Reforma da Previdência.

Dallagnol não aparece para falar de acordo bilionário e deputados querem instalar CPI

 

cpi dalagnol
Cadeira reservada para Dallagnol ficou vazia durante o debate na Comissão de Trabalho, Administração e Serviço Público; à mesa, o deputado Rogério Correia – Foto: Gabriel Paiva

Convidado pela Comissão de Trabalho, Administração e Serviço Público da Câmara Federal, nesta quinta-feira (11), parar esclarecer o acordo que envolveria R$ 2,5 bilhões da Petrobras a uma fundação privada e administrada pela Lava Jato no Paraná, o procurador Deltan Dallagnol não compareceu.

Diante da ausência do procurador os membros da Comissão defenderam a instauração de uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) para apurar essa e outras movimentações da Força-Tarefa do Ministério Público Federal (MPF).

Informações Revista Fórum

Bancada Maranhense debate com Marcos Pontes utilização do Centro de Lançamento de Alcântara

 

alcantara acordo
Centro de Lançamento de Alcântara no Maranhão/Foto: Reprodução

A Comissão de Ciência e Tecnologia, realizou nesta quarta-feira (10), na Câmara Federal, Audiência Pública com a participação do Ministro Marcos Pontes, onde foi discutido o acordo para utilização do Centro de Lançamento de Alcântara, no Maranhão.

O deputado Márcio Jerry abriu o debate reconhecendo a importância do acordo de utilização do CLA, porém destacou ser imperativo ficar claro de que maneira se dará esse acordo.

“Se Alcântara é o melhor lugar do mundo para lançar foguetes, tem que ser também para viver […] com direitos, em acordo com a comunidade local e as comunidades quilombolas”, destacou o deputado Márcio Jerry.

Durante a audiência o ministro Marcos Pontes confirmou sua presença no próximo domingo (14), em Alcântara, e na segunda-feira (15), no Seminário sobre o Acordo em São Luís, promovido pelo governo do Maranhão através da Secretaria de Estado da Ciência e Tecnologia.

 

Guedes é chamado de ‘tchutchuca’ e sessão na CCJ termina com confusão

 

Paulo-Guedes-na-CCJ-1024x576
Ministro da Economia Paulo Guedes/Foto: Reprodução

Acabou em grande confusão e troca de palavrões a sessão na Comissão de Constituição e Justiça, na noite desta quarta-feira (3), na Câmara Federal, com o ministro da Economia, Paulo Guedes, onde estava sendo debatido a reforma da previdência.

Após o deputado Zeca Dirceu (PT-PR) chamar Guedes de “tigrão” com os aposentados, idosos de baixa renda e agricultores, mas “tchutchuca” com privilegiados do Brasil, o ministro explodiu e reagiu com palavrões e agressões verbais.

O presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), lamentou o ocorrido.

“Chamar um ministro de ‘tchutchuca’ é um absurdo. É péssimo para a Câmara. Paulo Guedes tem dialogado com respeito com o Parlamento”.