“traído e desgostoso”: Tiririca perde número para Eduardo Bolsonaro

Do G1

O deputado federal Tiririca (PL-SP), perdeu seu número de legenda para Eduardo Bolsonaro (PL-SP), filho do presidente Jair Bolsonaro. O comediante foi eleito em várias eleições com votações expressivas com o número 2222.

“Foi uma covardia o que fizeram. Estou muito chateado e me sinto desrespeitado. Já decidi que não sairei candidato neste ano (..) Achei um gesto desrespeitoso. Por três anos seguidos o número foi meu e conquistei votações expressivas, elegendo vários membros do partido junto comigo. Fiquei sabendo por terceiros que o número foi dado ao filho do Bolsonaro, e eles até agora não me procuraram para dar uma justificativa”, declarou Tiririca.

Tiririca foi eleito pela primeira vez em 2010 fazendo piadas no horário eleitoral e chamando o eleitor de “abestado”. Nesse pleito foi eleito o deputado mais votado no país com 1,3 milhões de votos.

‘Pior que está não fica’: Tiririca gasta R$ 70 mil em voos para o Ceará

 

tiririca-info

Em suas três eleições, o deputado Tiririca (PL-SP) recebeu quase 3 milhões de votos dos eleitores paulistas. A votação recorde, no entanto, não garante a proximidade entre o representante e os seus representados.

Desde o início do ano, Tiririca só voou uma vez para São Paulo, de acordo com os registros oficiais da Câmara. Nascido no Ceará, ele está cada vez mais perto de seus conterrâneos: foram 70 trechos voados entre Brasília e Fortaleza no mesmo período, ou seja, 35 viagens de ida e volta. Somente com esses deslocamentos aéreos a Câmara gastou R$ 70.760,57.

De acordo com as regras da Casa, a cota de passagens aéreas só deve ser utilizada para atividades relacionadas ao mandato e deslocamento do parlamentar para sua base eleitoral. Servidores só podem viajar se estiverem a serviço.

A Câmara expediu, ao todo, R$ 142,9 mil para o gabinete de Tiririca. Foram R$ 70,5 mil apenas para custear passagens de três servidores. Procurados, o deputado e sua assessoria declararam que não comentariam os motivos das viagens.

Primeiro palhaço profissional a se eleger para a Câmara, Tiririca foi o deputado mais votado entre os 513 em 2010, quando recebeu 1,3 milhão de votos – então a segunda maior votação da história da Casa. Quatro anos depois, foi o segundo mais votado, novamente ultrapassando a barreira do 1 milhão de votos. Em 2018 recebeu 445 mil, ficando outra vez entre os mais votados. (Congresso em Foco)