Lula lidera também em pesquisa da campanha de Moro

Da Revista Fórum

Pesquisa interna, feita pela campanha de Sérgio Moro, ex-juiz e ministro de Bolsonaro, confirmou a liderança com folga de Lula, que aparece 38% das intenções de voto.

Bolsonaro aparece em segundo lugar, com 22%, e seu ex-ministro em seguida, com 11%.

Ciro Gomes (PDT), tem 5%; e João Doria (PSDB) com 2%.

A pesquisa foi realizada pela agência do marqueteiro de Sérgio Moro, que ouviu 2 mil pessoas e foi divulgada pelo site Metrópoles.

Dino, Othelino, Márcio Jerry, Rubens Jr. e a ‘migração’ de Moro e Deltan para política

A decisão do ex-juiz, Sérgio Moro, e do ex-procurador, Deltan Dallagnol, líderes da Operação Lava Jato, que tinha objetivo de combater a corrupção e ‘depurar’ a política brasileira, ao anunciarem oficialmente a mudança pra política partidária receberam o ‘reconhecimento’ de políticos maranhenses, pelo ativismo político de ambos ex-representantes da Justiça e do Ministério Público.

Sérgio Moro está com filiação no PODEMOS marcada para próxima quarta-feira, dia 10, legenda que deverá receber também Deltam Dallagnol.

Deltan deixa o MPF e deverá usar a política como ‘tabua de salvação’

O procurador, Deltan Dallagnol, comunicou nesta quinta-feira, dia 4, seu desligamento do Ministério Público Federal. Sua decisão foi oficializada ontem junto ao órgão.

Deltan deverá deixar o MPF para ingressar na política que tentou ‘destruir’, como está fazendo Sérgio Moro, ex-juiz da Lava Jato e ministro de Jair Bolsonaro.

Ele deverá se filiar também ao Podemos, programa comandado pelo senador Alvaro Dias, lavajatista assumido.

Gilmar Mendes anula todos os atos processuais de Moro contra Lula

Do Conjur

O ministro do STF, Gilmar Mendes, estendeu a suspeição do ex-juiz Sergio Moro, nesta quinta-feira, dia 24, para todos processos contra Lula.

Hoje em atendimento aos advogados do ex-presidente, o ministro Gilmar tornou Moro suspeito nos casos do sítio de Atibaia e do Instituto Lula.

“Estendo a decisão que concedeu a ordem neste Habeas Corpus às demais ações penais conexas processadas pelo julgador declarado suspeito em face do paciente Luiz Inácio Lula da Silva, de modo a anular todos os atos decisórios emanados pelo magistrado, incluindo-se os atos praticados na fase pré-processual”, decidiu Gilmar Mendes.

‘Inês é Morta’: confirmada parcialidade e incompetência de Moro em relação a Lula

O STF formou maioria de votos 7 a 2 nesta quinta-feira, dia 22, pela parcialidade do ex-juiz da Lava Jato Sergio Moro em relação aos processos contra Lula.

A 2ª turma já havia decido a suspeição, mas a questão foi levado ao plenário e confirmada.

O ministro Marco Aurélio pediu vista e a conclusão do julgamento ficou para a próxima quarta-feira, dia 27, quando também votará Luis Fux presidente da corte.

Consideraram Sérgio Moro parcial: Gilmar Mendes, Alexandre de Moraes, Ricardo Lewandowski, Dias Tofffoli, Cármen Lúcia, Kassio Nunes e Rosa Weber.

Votaram a favor de Moro: Edson Fachin e Roberto Barroso.

Com a decisão do STF de hoje Lula fica também livre e mais tranquilo para se dedicar às eleições de 2022.

Não faz sentido.., que reconhecer direitos de Lula “prejudicam a Lava Jato”, diz Dino

O governador e ex-juiz federal, Flávio Dino (PCdoB), comentou nesta quinta-feira, dia 15, a importância do julgamento no STF das ilegalidades praticadas contra o ex-presidente Lula.

“Muito importante que o STF esteja julgando múltiplas ilegalidades perpetradas contra o ex-presidente Lula. Óbvias incompetência e suspeição do juiz, por parcialidade no caso concreto. Outros processos legítimos por corrupção, contra outros réus, podem e devem continuar (..) Não faz sentido o argumento de que reconhecer os direitos do presidente Lula “prejudicam a Lava Jato”. Tal “operação” não pode ser canonizada e ser intocável. Acertos e erros devem ser reconhecidos. As leis não podem deixar de ser aplicadas por argumentos puramente políticos”, pontuou Dino.

O pleno do STF julga hoje a anulação dos processos contra Lula no âmbito da Lava-Jato em Curitiba, que já havia sido descido na 2ª turma, mas que ontem os ministros decidiram levar ao plenário.

Um dos mais contundente críticos da condução dos processos contra Lula em Curitiba, o governador Flávio Dino, sempre contestou e questionou a competência de Moro e Deltan nas investigações e julgamentos dos casos envolvendo o petista.

Kássio Nunes pede vista e decisão sobre suspeição de Moro no STF é adiado novamente

O ministro Kássio Nunes Marques, indicado por Jair Bolsonaro, pede vista no julgamento de suspeição de Sérgio Moro em processo contra Lula e resultado final fica adiado novamente. Ele alegou desconhecer com profundida o caso.

O julgamento foi retomado nesta terça-feira, dia 9, na 2ª turma do STF, após dois anos. O ministro Edson Fachin ainda tentou adiar, mas sem sucesso sendo vencido por 4 a 1, ele já se posicionou contra a suspeição de Moro.

O ministro Gilmar Mendes, presidente da 2ª turma, em longo e devastador voto entendeu que o ex-juiz Sérgio Moro não foi imparcial. Ricardo Lewandowiski também votou pela suspeição.

O ‘hacker de Araraquara’ conta porque grampeou Moro e Procuradores da Lava Jato

247 – Walter Delgatti, o ‘hacker de Araraquara’, revelou em entrevista ao vivo à TV 247 nesta terça-feira (16) que descobriu, por meio das conversas a que teve acesso, que o ex-presidente Lula foi traído por uma pessoa próxima.

Questionado pelo jornalista Joaquim de Carvalho, disse ser uma pessoa que fazia parte do governo da ex-presidente Dilma Rousseff, respondeu positivamente. E informou que foi uma ação – e não uma mensagem, ou declaração – que “acabou ajudando a Lava Jato e prejudicando Lula”.

Walter Delgatti contou em detalhes sobre o que o motivou a invadir os celulares de procuradores e do ex-juiz Sergio Moro: ele próprio foi alvo de uma operação do Ministério Público, pela qual foi acusado injustamente de traficante, preso por seis meses e perdeu todos os amigos, namorada e emprego.

“merece Prêmio Nobel.., ou é o maior escândalo judicial do mundo”, Gilmar sobre diálogos na Lava Jato.

O ministro Gilmar Mendes, do STFl, afirmou em voto proferido nesta terça-feira (9), durante julgamento da Segunda Turma, que ou os diálogos da Lava Jato “são ficcionais e merecem o Prêmio Nobel de literatura, ou é o maior escândalo judicial do mundo”.

“Ou nós estamos diante de uma obra ficcional fantástica, ou estamos diante de um caso extravagante, que o colunista do The New York Times tem razão de dizer: é o maior escândalo judicial da História da Humanidade”, declarou Gilmar, em referência a artigo publicado hoje no The New York Times.

Votaram a favor do compartilhamento das conversas da Lava Jato, com diálogos comprometedores entre o ex-juiz Sérgio Moro e procudadores da Força Tarefa, em conluiou contra o ex-presidente Lula: Gilmar Mendes, Ricardo Lewandowski, Kassio Nunes Marques e Cármen Lúcia. O único voto contrário foi do ministro Luiz Fachin. (brasil 247)

Lula posta vídeo de 2017, em que pergunta a Moro, se ele é ‘imparcial’

O ex-presidente Lula, divulgou nas redes sociais nesta quinta-feira, dia 4, um vídeo de 2017, em que durante uma audiência em Curitiba, comandada pelo então ex-juiz Sérgio Moro, ele pergunta se ao chegar em casa, poderia dizer à sua família que foi a Curitiba prestar depoimento a um ‘juiz imparcial’.

A atitude de Lula ocorre após divulgação e repercussão de novas conversas entre o então ex-juiz Sérgio e os procuradores da Lava Jato, autorizadas pelo ministro do STF Ricardo Lewandowski.