‘A dor é dos dois lados’: mãe do sequestrador morto no Rio é consolada por pai de vítima

 

sequestrador
Renata mãe do sequestrado morto no Rio consolada pelo pai de uma das vítimas Foto: Pedro Teixeira / Agência O Globo

Ainda em meio ao clima tenso no Rio de Janeiro, na Delegacia de Homicídios de Niterói e São Gonçalo (DHNSG), nesta terça-feira (20), uma cena chamou atenção.

Após chegar à especializada acompanhada do marido, Renata Paula da Silva, mãe de Willian Augusto da Silva, de 20 anos, morto por um sniper da Polícia Militar enquanto mantinha 37 pessoas reféns num ônibus na Ponte Rio-Niterói, se sentiu mal e precisou ser amparada.

Quem consolou a mulher e lhe ofereceu uma garrafa d’água foi Paulo César Leal, de 54 anos: pai de Raiane Leal, 23 anos, uma das vítimas mantidas dentro do coletivo.

‘Eu nao tenho poder de julgar. Falei para ela ter calma e confiar. O que você fala para uma familia que perdeu o filho? Tentei confortar. Tentei ajudar. A minha intenção como um ser humano foi de tentar ajudar. Porque a dor é dos dois lados. E ali, naquele momento, ela estava precisando. Fui falar alguma coisa. Ela sofreu um desmaio. Não adianta ver so o meu lado familiar’, disse Paulo.

(Informações O Globo)

Quem poderia imaginar: hacker disse que repassou ao The Intercept Brasil conversas de Moro

 

Vermelho
Walter Delgatti Neto, ‘o Vermelho’/Foto: Reprodução

O jornal O Estado de SP nesta quinta-feira (25), informa a partir da confirmação de altas autoridades ligadas à operação da PF, que um dos hackers presos na última terça-feira (23), em São Paulo, identificado com Walter Delgatti Neto, ‘o Vermelho’, disse que passou dados hackeados de autoridades ao Jornalista Glenn Greenwal.

A defesa do jornalista, fundador do site The Intercept Brasil, disse, em nota, que “não comenta assuntos relacionados à identidade de suas fontes anônimas”.

A Polícia Federal tem indícios de que os quatro suspeitos presos são os mesmos que acessaram conversas trocadas pelo Telegram de várias autoridades dos Três poderes, entre elas, Sérgio Moro, o ministro da Economia, Paulo Guedes; e a líder do governo Bolsonaro no Congresso, Joice Hasselmann (PSL-SP).

Coincidente a deputada Joice Hasselmann e o ministro Paulo Guedes anunciaram que seus celulares teriam sido invadido na véspera da realização da Operação, que prenderam os quatro hackres’.

Os investigadores tratam o relato do hacker com cautela, uma vez que ele é apontado como estelionatário. Razão pela qual tudo o que ele informar será investigado, especialmente a partir da quebra dos sigilos bancário, fiscal e telemático do grupo, autorizada pelo juiz Vallisney Oliveira, da 10.ª Vara Federal de Brasília.

Um dos supostos hackrs chegou a responder a uma postagem de Deltan

brasil 247 – Walter Delgatti Neto, um dos quatro supostos hackers presos na terça-feira (23) pela Polícia Federal, comentou sobre de que maneira as investigações poderiam demonstrar que, mesmo com o histórico de conversas de Sergio Moro e Deltan Dallagnol no Telegram tendo sido apagado, seria possível identificar a autenticidade das mensagens trocadas entre o ex-juiz e o chefe da Lava Jato em Curitiba, informa o BR18.

“No Twitter, em resposta a uma mensagem em que Deltan alega que após os ataques terem sido identificados, a decisão foi de ‘desativar a conta’, o suposto hacker indicou: ‘Mesmo apagando tudo, os caches ficam no celular, eles são arquivos fragmentados, sem o conteúdo da mensagens, mas com todas saídas e entradas de mensagens, EX: 23/04/2016 15:15:17 saiu uma mensagem, 15:30:18 recebeu uma, e se comparado com o material vai confirmar autenticidade!’, escreveu em 20 de junho, poucos dias após as primeiras reportagens serem publicadas. O conteúdo da Vaza Jato, aliás, é o principal assunto compartilhado por Walter na rede social”, conta a reportagem.

MP e Polícia fecham cerca contra maus gestores municipais e empresários no Maranhão

 

policia-novo
Policia Civil e GAECO fazem operação em São Luis, Aldeias Altas e Caxias/Foto: Foto: Reprodução

Operação realizada na manhã desta terça-feira (16), envolvendo o Ministério Público e a Polícia Civil no Maranhão, cumpriu mandados de prisões, buscas e apreensões, em  Aldeias Altas, Caxias e São Luís.

Em Aldeias Altas oram presos Antônio José de Sousa Paiva (secretário Municipal de Infraestrutura de Aldeias Altas) e Jaime Neres dos Santos (presidente da Comissão Permanente de Licitação de Aldeias Altas) por subtração de documentos. Este também foi autuado por posse ilegal de arma.

Estão em aberto estão as prisões temporárias de Melissa Lima Barroso, Paulo Roberto Feitosa Wanderley, Paulo Valério Mendonça (empresário) e George Luis Damasceno Borralho, que podem ser considerados foragidos, caso não se apresentarem espontaneamente.

A ação atendeu pedido da 1ª Promotoria de Justiça da Comarca de Caxias, que apura possíveis irregularidades na contratação da empresa M L Barroso Moura – ME para a realização de serviços de limpeza urbana na cidade de Aldeias Altas no ano de 2017, cujo contrato foi aditivado nos anos de 2018 e 2019.

De acordo com a investigação, o procedimento licitatório foi superfaturado, bem como foram identificados indícios de associação criminosa com o objetivo de fraudar a licitação, envolvendo tanto a empresa vencedora do certame como também uma das perdedoras, a Impacto Construção Civil Ltda., cujo responsável legal, Paulo Valério Mendonça, recebeu mais de R$ 1 milhão da empresa M L Barroso Moura – ME.

Além disso, foi constatado que a empresa investigada também fez transferências bancárias para familiares do secretário Municipal de Infraestrutura, Antônio José Sousa Paiva, e do presidente da Comissão Permanente de Licitação, Jaime Neres dos Santos.

Localizado a 399 km de São Luís, o município de Aldeias Altas é termo judiciário de Caxias.

O Antagonista site a serviço de Moro anuncia prisão do ‘hacker’

 

img_brasil-247_glenn-greenwald-e-sergio-moro
Foto: Reprodução

Funcionando como especie de braço midiático a serviço do ex-juiz e atual ministro da Justiça Sérgio Moro, o site o Antagonista, anunciou junto nesta sexta-feira (12), com estardalhaço a prisão do suposto ‘hacker’ dos vazamentos das conversas com evidências de ilegalidades praticadas por Sérgio Moro e Deltan Dallagnol, no âmbito da Lava Jato.

“O hacker que roubou as mensagens de Deltan Dallagnol vai ser preso”, anunciou o site junto com a revista Crusoé, do mesmo grupo de comunicação.

(Revista Forum)

Governador ratifica apoio e confiança em Portela durante entrega de 90 viaturas às Policias Militar e Civil

 

IMG-20190711-WA0028
Entrega de viaturas às policias Civil e Militar/Foto: Karlos Geromy

Em solenidade muito concorrida nesta quinta-feira (11), na Praça Maria Aragão, centro de São Luís, o governador Flávio Dino entregou mais 90 viaturas novas para ao Sistema de Segurança que serão utilizadas pelas policias civil e militar. Os investimentos nos equipamentos entregues hoje custaram R$ 145 milhões e contemplam 65 municípios.

Para um público formado em sua maioria de servidores do Sistema de Segurança Pública, durante sua fala Flávio Dino se referiu, mesmo que indiretamente, sobre a acusação contra o Secretário de Segurança, Jefferson Portela, de ”espionar’ membros do judiciário e políticos de oposição ao governo, e que vem sendo utilizado pela oposição para atacar o governo.

Segundo Flávio Dino, muito do sucesso e avanços alcançados pelo governo desde 2015 no setor de Segurança Pública do Maranhão deve-se a seriedade e dedicação de Jefferson Portela à frente do sistema de segurança. Ele defendeu ainda a unidade no sistema e ratificou a confiança e apoio em Portela, e ressaltou que o combate ao crime organizado no estado não terá trégua, seja ele praticado por quem quer que seja e aonde.

Participaram da solenidade Secretários de Estado, Delegados de Polícia, Oficias da PM e Corpo de Bombeiros, Policias Militares e Civis, deputados estaduais, prefeitos e lideranças comunitárias.

IMG-20190711-WA0016
Entrega de viaturas às policias Civil e Militar/Foto: Karlos Geromy
IMG-20190711-WA0020
Entrega de viaturas às policias Civil e Militar/Foto: Karlos Geromy

Comitiva da Câmara Federal visitará Alcântara para avaliar passivos com comunidades nativas

 

maxxrcio-jerry
Deputado Federal Márcio Jerry (PCdoB)/Foto: Richard Silva

Fórum – O deputado Márcio Jerry (PCdoB-MA) é um dos deputados federais que participarão da comitiva que visitará a cidade de Alcântara, nos próximos dias 4 e 5 de julho. A viagem foi agendada pela Comissão de Direitos Humanos da Câmara Federal.

O objetivo da visita será acompanhar de perto a situação das famílias de quilombolas e o possível impacto do Acordo de Salvaguardas Tecnológicas (AST), firmado pelo Governo do Brasil e dos Estados Unidos, em março deste ano.

Para Jerry, o encontro com representantes alcantarenses configura um passo fundamental para que se avance com a tramitação do Acordo no Congresso Nacional.

“Este é um debate que tem, naturalmente, algumas controvérsias, e por isso mesmo precisa ser feito de maneira muito transparente, com elementos que nos assegure três questões fundamentais: que tenhamos um Acordo que preserve integralmente a soberania do nosso país; o desenvolvimento da política aeroespacial brasileira; e o terceiro e o mais importante: que respeite os direitos das populações quilombolas, legítimos donos do espaço onde está instalado o Centro de Lançamentos, e que já foram vítimas de um processo de expansão em seus territórios”, apontou.

Será a segunda diligência da CDHM a Alcântara. A primeira, em 2018, resultou na definição que estabelece a distribuição dos lucros gerados pelas operações do CLA como medida de reparação dos danos sofridos ao longo de décadas. Desta vez, a programação incluirá a visita a duas comunidades de quilombolas em Alcântara, uma delas remanejada na década de 1980 (Agrovila), e outra do litoral.

Na sexta-feira (5), pela manhã, parlamentares se reúnem com integrantes da sociedade civil em Alcântara. À tarde, será realizada audiência com o Governador do Estado do Maranhão, Flávio Dino, no Palácio dos Leões, em São Luís.