Brandão anuncia nomeação de delegados, policias militares e Civis

O governador do Maranhão, Carlos Brandão (PSB), anunciou nesta quarta-feira, dia 10, reforço no setor de Segurança Pública do Estado. Serão 339 novos profissionais: 300 Policiais Militares, 13 Delegados, 13 Investigadores e 13 Escrivãs.

Outra medida anunciada hoje foi oferecimento de café da manhã e feijoada nos Restaurantes Populares, no valor de R$ 1.

MP-MA denuncia PMs acusados de homicido e tortura em São Luís Gonzaga

O promotor de justiça Rodrigo Freire Wiltshire de Carvalho ofereceu denuncia na quarta-feira, dia 17, contra os policiais militares acusados de envolvimento nos crimes contra Marcos Marcondes do Nascimento Silva (o Marquinhos) e José de Ribamar Neves Leitão (o Riba), ocorrido no inicio deste mês de fevereiro no município de São Luís Gonzaga do Maranhão.

A Denúncia é baseada em no inquérito policial da Superintendência Estadual de Homicídios e Proteção à Pessoa. Aqui mais informações

Jefferson Portela avisa sociedade e integrantes da Segurança que feminicídio é crime

 

Jefferson-Portela
Jefferson Portela, Secretario de Segurança do Estado/Foto: Reprodução

As mortes violentas de Bruna Lícia e Wilian Santos ocorridas no último sábado (25), no bairro do Vicente Fialho, em São Luís, cuja autoria são atribuídas ao policial militar Carlos Eduardo Nunes, que se encontra preso no Comando Geral da PM, ainda repercute muito no estado.

Nas redes sociais a tragédia que acabou com as vidas de duas pessoas e mudou para sempre a de outra recebeu apoios de homens e mulheres inclusive de integrantes do Sistema de Segurança. Também na internet o Secretario Jefferson Portela (Segurança do Estado), lembrou que femicídio é crime e deve ser tratado assim por todos, principalmente integrantes do Sistema de Segurança.

”Feminicídio é crime e como tal deve ser tratado por todos os integrantes do Sistema de Segurança. Informo que foi instaurado procedimento para apurar a conduta do Soldado PM Tiago de Jesus”, destacou Jefferson Portela no twitter.

Nesta segunda-feira (27), detalhes do depoimento de Carlos Eduardo tiveram destaque nos meios de comunicação oficiais e redes sociais. O acusado que se entregou e confessou o crime logo após, sendo um deles enquadrado com femicídio, no depoimento tenta afastar a possibilidade de ter premeditado a ação. A prisão do acusado foi transformada em preventiva.

A Ordem dos Advogados do Brasil no Maranhão, através da Comissão de Mulheres, se posicionou em repúdio aos crimes de femicídio no Maranhão.