Avançam tratativas com a Oil Group para implantação de Refinaria no MA

 

BR-Distribuidora-não-disputará-compra-de-refinarias
Foto:Reprodução /Ilustração

O Maranhão está no estudo de viabilidade econômica da empresa americana Oil Group, destinado à construção de quatro maiores refinarias do total de seis unidades planejadas para o País, com investimento total de US$ 2 bilhões.

As tratativas acontecem desde 2017 e no fim do ano passado representantes do governo do Maranhão estiveram na França para conhecer e debater pessoalmente a viabilidade do projeto com representantes da empresa.

As unidades maiores terão capacidade de 20 mil a 30 mil barris diários e serão instaladas próximas a portos. As duas menores terão capacidade de 3 mil a 5 mil barris diários, próximas à produção terrestre de petróleo.

O projeto do Oil Group já está avançando no Rio de Janeiro, no Porto do Açu e será executado pela Entrepose e Axens, onde o grupo busca reproduzir a mesma estrutura no Maranhão e Espírito Santo. A quarta e as duas unidades menores ainda não possuem localização, mas os estudos estão entre a Bahia e Sergipe.

Flávio Dino comemora recordes sucessivos do Porto Itaqui, 2019 fecha com 25 milhões em toneladas

 

porto-de-itaqui

‘O Porto do Itaqui, do Maranhão, teve em 2019 a maior movimentação de cargas da sua história, ultrapassando pela primeira vez a marca de 25 milhões de toneladas. Parabéns à equipe da nossa EMAP, aos trabalhadores e aos parceiros privados’ comemorou Flávio Dino

O volume cerca de 12% acima do que foi registrado em 2018 celebra os cinco melhores anos de sua história com recordes e um modelo de gestão que é referência em gestão pública no país.

O porto voltou ao top 3 em desempenho ambiental da Antaq e as quatro principais cargas operadas (combustíveis, soja, celulose e fertilizantes) movimentaram R$ 37,5 bilhões nos últimos 12 meses, contribuindo diretamente para o crescimento do PIB do Maranhão e do Brasil.

Somente em granéis líquidos (derivados de petróleo, GLP, soda cáustica) foram R$ 12 bilhões, seguidos pela soja, que chegou aos R$ 11,2 bi. As cargas de celulose atingiram a marca de R$ 2,7 bilhões e a importação de fertilizante foi responsável pela movimentação de R$ 1,2 milhões.

Esses resultados consolidam a posição do Itaqui no top 3 do Brasil em movimentação de soja e primeiro lugar entre os portos do Arco Norte, além de afirmar seu papel como hub de combustíveis do centro norte do país.

O ano que termina foi marcado também por grandes obras: quatro novos grandes projetos de expansão tiveram os serviços iniciados (2ª fase do Tegram e os terminais de celulose, fertilizantes e granéis líquidos) e quatro novos arrendamentos foram aprovados pelo Governo Federal para granéis líquidos.

Deputado Edilázio Junior volta perder compostura em agenda política em São Luís

 

porto
Foto: Reprodução

O deputado federal Edilázio Júnior (PSD), não terá a semana que esperava. Apostou em duas agendas para causar desgaste político ao governo Flávio Dino, mas não deu certo. Provavelmente foi essa a razão para o deputado está tão nervoso e dando piti ontem quinta-feira (4), durante visita ao Porto do Itaqui.

Na primeira agenda ocorrida em Brasília, na Comissão de Segurança da Câmara Federal, terça-feira (2), com o ex-delegado Thiago Bardal e o delegado licenciado Ney Anderson sobre denúncias de suposta ‘espionagem’ realizada pelo Secretário de Segurança do Estado, Jefferson Portela, ficou no que todos já sabem, mas sem provas e resultado prático.

A segunda, a visita técnica ao Porto do Itaqui, solicitada pelo próprio Edilázio, ocorrida ontem e que contou com participação da Comissão de Fiscalização Financeira da Câmara, CGU, TCU, deputados estaduais e Secretários de Estado para esclarecer denúncias de irregularidades na utilização dos lucros do Porto, o destaque foi o destempero e chiliques do deputado de oposição ao governo do Estado.

(Com Informações do Marrapá)