Othelino se posiciona sobre assassinato de petista e estupro de parturiente

O deputado Othelino Neto (PCdoB), (12), o presidente da Assembleia Legislativa do Maranhão, nesta terça-feira, dia 12, repudiou o assassinato do tesoureiro do Partido dos Trabalhadores (PT), Marcelo Arruda, em Foz do Iguaçu (PR), vítima de intolerância política.

“Marcelo Arruda foi assassinado de forma absolutamente covarde e injustificável. Nenhuma divergência justifica um ato de estupidez e de violência como aquele. O que leva alguém ao extremo da estupidez, da loucura, da maldade, da desumanidade, de se sentir no direito de tirar uma vida porque o cidadão, que estava comemorando o seu aniversário, homenageava um líder político? (..) É óbvio que o presidente da República não é culpado no aspecto legal ou criminal pelo ocorrido, mas ele tem a responsabilidade política por estimular a violência e o uso de armas e, certamente, será responsabilizado no momento em que for analisado por Deus. Esse, sim, fará o julgamento daqueles que cometem ou estimulam esse tipo de violência”, destacou Othelino. 

O parlamentar também falou sobre outro crime cometido pelo anestesista Giovanni Quintella, que violentou uma mulher durante o parto, em São João de Meriti (RJ). 

“Aquilo chocou a todos, imaginar que uma mulher, no momento do parto, pudesse sofrer aquele tipo de violência. Infelizmente, percebemos no dia a dia vários tipos de violência contra a mulher, desde o feminicídio às agressões verbais, violência psicológica e diversas formas de constrangimento. Mas, essa realmente nos assustou ainda mais (..) Que este anestesista perca o registro e que o Conselho Regional de Medicina, de nenhuma forma, proteja ou protele a punição deste profissional. Que a Justiça cumpra o seu papel e o mantenha fora de circulação, porque ele é um perigo para a sociedade”, finalizou.

Preso suspeito de assassinar médico em Imperatriz

O policial militar, Adonias Sadda, suspeito de assassinar o médico, Bruno Calaça Barbosa, 24 anos, em Imperatriz, foi preso nesta terça-feira, dia 27, e conduzido para a Delegacia Regional.

A informação foi confirmada pelo secretário de Segurança, Jefferson Portela, nas redes sociais.

“Informo que o soldado Adonias Sadda acaba de ser preso na cidade de Imperatriz. Nesse momento, ele está sendo conduzido para a Delegacia Regional”, informou Jefferson Portela nas redes sociais.

O crime aconteceu na madrugada do último domingo, dia 25, e teve grande repercussão na região e no estado.