TSE: Lula e Alckmin serão diplomados dia 12 de dezembro

O ministro Alexandre de Moraes, presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), marcou a diplomação de Lula e Alckmin para dia 12 de dezembro. A data inicial para o ato seria 19 de dezembro, data limite estabelecida pela legislação.

A solenidade acontecerá às 14h, na sede do Tribunal Superior Eleitoral, em Brasília.

Após a diplomação Lula deverá anunciar a maioria dos nomes para os ministérios do próximo governo, apenas dois nomes devem ser anunciados antes, para Defesa e o da Fazenda. Os mais cotados para as duas pastas são: o ex-ministro do TCU, José Múcio Monteiro (Defesa); e o ex-prefeito de São Paulo e ministro da Educação, Fernando Haddad (Fazenda).

A diplomação é uma cerimônia de formalização da escolha do eleito pela maioria das brasileiras e dos brasileiros nas urnas. O ato marca o encerramento do processo eleitoral e habilita candidatas e candidatos eleitos ao exercício do mandato. 

Os Tribunais Regionais Eleitorais são responsáveis pela diplomação dos demais eleitos.

Dino e Zanni na equipe de transição de Justiça e Segurança Pública

O vice-presidente eleito, Geraldo Alckmin (PSB), anunciou nesta quarta-feira, dia 16, os últimos nomes das equipes técnicas de transição para o novo governo Lula.

O ex-governador e senador eleito do Maranhão, Flávio Dino (PSB), e Cristiano Zanin, advogado de Lula, são alguns nomes que não chegam ser novidades, mas ambos são especulados para o Ministério da Justiça e Segurança Pública. Eles também figuram como potenciais escolhas para próximas indicações ao STF (Supremo Tribunal Federal). Na lista está também o nome de Andrei Passos, coordenador da equipe de segurança do presidente Lula.

O governador do Maranhão, Carlos Brandão (PSB), destacou a confirmação do nome de Flávio Dino na equipe técnica da área de Justiça e Segurança.

“O amigo e senador eleito Flávio Dino foi anunciado hoje para compor o Grupo Técnico de Justiça e Segurança Pública de transição de governo do presidente Lula. Sem dúvida, um reforço inestimável para esse processo de reconstrução do país.”, disse Brandão.

Participaram também da equipe técnica de Justiça e Segurança Pública representantes da Polícia Federal, Policia Rodoviária Federal, Polícias Civil, Polícias Militares e Guardas Municipais.

“O Maranhão e o Brasil terão dias melhores!”, diz Carlos Brandão

O governador do Maranhão, Carlos Brandão (PSB), nesta quinta-feira, dia 10, se reuniu com o vice-presidente Geraldo Alckmin (PSB), em Brasília.

Coordenador da equipe de transição do próximo governo da República, Alckmin apresentou a Brandão detalhes do processo de mudança da gestão Jair Bolsonaro para o governo do presidente eleito Luiz Inácio Lula da Silva.   

“Estive com o vice-presidente eleito, Geraldo Alckmin, amigo de longa data. Conversamos bastante sobre o andamento da transição do governo federal. Saio muito entusiasmado porque não tenho dúvida de que nossas demandas serão atendidas. O Maranhão e o Brasil terão dias melhores! (…) Essa parceria entre governo federal e governo do Estado, que a gente tanto defendeu, está cada vez mais próxima. Vai ser um momento fértil, um momento em que teremos o Maranhão como protagonista. A gente sai daqui muito feliz porque sabemos de que nós vamos avançar; o Maranhão vai crescer, vai se desenvolver, vai ter dias melhores, assim como o Brasil”, pontuou Brandão. “, destacou Carlos Brandão.

O governador Carlos Brandão está desde o inicio da semana cumprindo extensa agenda de trabalho e política na capital federal.

Um dos resultados obtidos da série de compromissos do governador Carlos Brandão em Brasília, foi o anúncio da destinação de R$ 25 milhões das chamadas emendas impositivas para custeio da saúde e início das obras do Centro de Convenções da Universidade Estadual do Maranhão (UEMA). 

Iniciada em Brasília transição para o Governo Lula e Alckmin

O vice-presidente eleito Geraldo Alckmin (PSB), coordenador da transição do novo governo, iniciou nesta quinta-feira, dia 3, a importante tarefa de preparar os trabalhos para o novo governo Lula (PT), a partir do dia 1º de janeiro de 2023.

Geraldo Alckmin se reúne pela manhã com o senador Marcelo Castro (PMDB-PI), o relator-geral do Orçamento para o ano que vem no país, no Senado Federal. Na parte da tarde, também em Brasília, Geraldo Alckmin se reunirá com o ministro da Casa Civil, Ciro Nogueira (PP-PI).

“.. O trabalho da nossa equipe será norteado pelos princípios de interesse público, colaboração, transparência, planejamento, agilidade e continuidade dos serviços (…) Nosso objetivo será fornecer ao presidente Lula, de forma republicana e democrática, todas as informações necessárias para que seu mandato, que começa em 1° de janeiro, seja bem-sucedido no atendimento das prioridades da população..”, destacou Alckmin.

A primeira agenda que contará com a participação do senador eleito Wellington Dias (PT-PI), tem objetivo de tratar das adequações no orçamento de 2023, que viabilize medidas como mudança na isenção do Imposto de Renda, aumento do salário mínimo e o Auxílio Brasil de R$ 600.

Na segunda agenda no Palácio do Planalto será formalizada a transição dos governo Bolsonaro para Lula. Participarão de Gleisi Hoffmann, presidente Nacional do PT, e Aloizio Mercadante coordenador do programa de Lula.

O local temporário para realização da transição será no Centro Cultural Banco do Brasil. A equipe de transição poderá ter até 50 integrantes. Os “Cargos Especiais de Transição Governamental” são feitas pela Casa Civil e publicadas no Diário Oficial da União.

Paulo Velten participa de almoço com Lula no Rio Grande do Norte

O ex-presidente Lula (PT) e o ex-governador Geraldo Alckmin (PSB), iniciaram ontem uma agenda por vários estados e regiões do país. Após participarem do lançamento da candidatura de Eduardo Kalil (PSD), para o governo de Minas Gerais, os pré-candidatos à presidência da república estão nesta quinta-feira, dia 16, no Rio Grande do Norte, onde intensificam as articulações políticas pelo nordeste.

“Ótimo almoço hoje com governadores do Consórcio do Nordeste. Uma oportunidade para escutar sobre a situação dos Estados e pensar em saídas para o nosso país voltar a crescer e desenvolver todas as regiões”, destaca Lula.

O governador em exercício do Maranhão, Paulo Velten, participou nesta quinta-feira, dia 16, de um almoço com o ex-presidente Lula (PT), no Rio Grande do Norte, onde também participaram governadores do Consorcio Nordeste.

O governador Carlos Brandão (PSB), candidato à reeleição no Maranhão, continua em São Paulo se recuperando de uma cirurgia.

Geraldo Alckmin fala da importância de Flávio Dino para o Senado

O ex-governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSB), pré-candidato a vice-presidente na chapa de Lula (PT), em vídeo divulgado nas redes sociais nesta segunda-feira, dia 23, destaca a importância de eleger, Flávio Dino (PSB), senador da república nas eleições 2022.

Hoje também nas redes sociais, o ex-governador do Maranhão Flávio Dino, levantou a bandeira de lutar contra o ‘orçamento secreto’ no Congresso, caso seja eleito senador.

“Todos os dias são revelados escândalos o tal “orçamento secreto”, que é inconstitucional, ilegal e imoral. Se chegar ao Senado, lutarei pelo fim dessa invenção e jamais usarei dinheiro de “orçamento secreto”. Espero que o STF acabe imediatamente com essa indústria de fraudes.”, destacou Dino no twitter.

O ex-governador terá como rival direto na disputa o senador Roberto Rocha, candidato a reeleição e eleito em 2014, com apoio e empenho decisivo do então candidato ao governo Flávio Dino, eleito em primeiro turno.

Assim como Roberto Rocha, o senador Weverton Rocha pré-candidato ao governo, também eleito pelo grupo liderado por Dino, hoje são adversários.

Maranhão é destaque no XV Congresso do PSB

O XV Congresso Constituinte da Autorreforma do PSB, segue nesta sexta-feira, dia 29, em Brasília, ontem no primeiro dia o evento contou com a presença do ex-presidente Lula (PT), que terá Geraldo Alckmin (PSB) como companheiro na chapa presidencial.

Em seu discurso Lula falou da insistências do questionamento da união com Alckmin, que classificou como ‘política’ e ‘maturidade’. Ele ainda lembrou a necessidade de ‘salvar o país’.

“Lula e o Alckmin já divergiram, porque agora eles estão juntos? Isso se chama política, se chama maturidade, compromisso com este país e com o povo brasileiro (..) A sociedade brasileira está precisando de alguém para salvar o país, alguém para cuidar do povo brasileiro, para reeditar a soberania do Brasil diante dos olhos do mundo. Nunca foi tão necessário ganhar uma eleição para restabelecer nossa dignidade, restabelecer a esperança do nosso povo”, disse Lula.

O ex-governador Flávio Dino, o governador Carlos Brandão e o deputado Bira do Pindaré, líder do partido na Câmara, tiverem posição de destaque na abertura do Congresso. Todos os oradores, entre eles, Lula e Alckmin, citaram a importância das lideranças e do PSB no Maranhão para o projeto político eleitoral 2022 no país.

Eleições 2022: Encaminhada chapa Lula e Alckmin para presidência

Em evento realizado em São Paulo nesta sexta-feira, dia 8, o PSB indicou ex-governador Geraldo Alckmin como candidato a vice de Lula (PT), na chapa presidencial para eleições 2022.

A data para que o PT confirme o nome de Geraldo Alckmin está marcada para 14 de abril.

“..ele está para Lula 2022 como a carta ao povo brasileiro de 2002..” Dino sobre Alckmin

Do UOL

O governador do Maranhão, Flávio Dino (PSB), em entrevista nesta quinta-feira, dia 24, ao site UOL News, onde informou que Geraldo Alckmin deverá ser anunciado vice-presidente de Lula (PT) em abril.

Para Dino, que disputara o Senado nas eleições, Alckmin funcionará como espécie de nova “carta ao povo brasileiro”, usado por Lula nas eleições de 2002.

“.. presença de alguém mais centrista, de outra vertente, ajuda a somar no sentido de agregar e qualificar a pré-candidatura. Creio que ele traz votos na medida que simboliza outros segmentos sociais que vão se sentir confortáveis. Alckmin é quase uma carta ao povo brasileiro. Ele está para o Lula de 2022 como a carta ao povo brasileiro esteve para o Lula de 2002. Funciona como um sinal positivo de agregação”, declarou Dino, que elogiou o discurso de Alckmin na filiação ao PSB, um dia antes (..) Ele é um herdeiro das boas tradições do PSDB, com quem sempre dialoguei. De modo que considero excessivo o colocar como de direita. Considero que ele é um sinal de ampliação de segmentos que dialogam com a candidatura de Lula. A resposta ao extremismo deve ser o centrismo. Quanto mais centrista for a candidatura do Lula, melhor para o Brasil, para quem sabe vencer em primeiro turno..”, destacou Dino.

Carlos Brandão sai motivado e grato ao PSB pela acolhida

O vice-governador, Carlos Brandão, agradeceu nesta quarta-feira, dia 23, ao Partido Socialista Brasileiro, que passou a fazer parte hoje junto com ex-governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, que deverá ser confirmado em breve como candidato a vice-presidente na chapa com Lula (PT).

Carlos Brandão que assumira no próximo dia 2 de abril, o governo do Maranhão, concorrerá ao governo no cargo em outubro, saiu do evento motivado, confiante e agradecido pela acolhida no PSB.

Além de Brandão, Alckmin e o senador Dário Berger o PSB recebeu a filiação de mais 40 integrantes.