PF confirma que “Pelado” confessou ter assassinado Bruno e Dom

Do UOL

Em coletiva realizada na noite desta quarta-feira, dia 15, a Polícia Federal confirmou que o pescador Amarildo da Costa Oliveira, o “Pelado”, confessou que matou e enterrou o indigenista Bruno Pereira e o jornalista Dom Phillips, na região do Rio Javari (AM).

A informação é do delegado Eduardo Alexandre Fontes, superintendente da PF no Amazonas.

Amarildo foi preso em flagrante no dia 7 por porte de munição de uso restrito. Ainda segundo Fontes, com a ajuda do próprio Amarildo, as forças de segurança do Amazonas encontraram restos humanos enterrados em uma região remota, mais de 3 quilômetros mata adentro.

A PF informou que o material orgânico será enviado para análise já nesta quinta-feira (16), com o objetivo de confirmar a identificação dos mortos.

Embora ainda estejamos aguardando as confirmações definitivas, este desfecho trágico põe um fim à angústia de não saber o paradeiro de Dom e Bruno. Agora podemos levá-los para casa e nos despedir com amor.

Hoje, se inicia também nossa jornada em busca por justiça. Espero que as investigações esgotem todas as possibilidades e tragam respostas definitivas, com todos os desdobramentos pertinentes, o mais rapidamente possível.

Agradeço o empenho de todos que se envolveram diretamente nas buscas, especialmente os indígenas e a Univaja. Agradeço também a todos aqueles que se mobilizaram mundo afora para cobrar respostas rápidas.

Só teremos paz quando as medidas necessárias forem tomadas para que tragédias como esta não se repitam jamais. Presto minha absoluta solidariedade com a Beatriz e toda a família do Bruno”, diz Alessandra Sampaio, esposa do Jornalista Dom Phillipi.

Dino alerta para demora na localização de jornalista e indigenista

O ex-governador Flávio Dino (PSB), nesta terça-feira, dia 7, mostrou-se preocupado com o desaparecimento do Jornalista Dom Philips e o indigenista Bruno Pereira. Os dois estão desaparecidos desde o domingo, dia 5, no Amazonas.

Flávio Dino lamentou o que chamou de “cruel demora em uma grande mobilização”, para encontrá-los.

Segundo a Folha de SP, as buscas chegaram hoje ao terceiro dia, mas ainda sem pistas do indigenista licenciado da FUNAI e do jornalista inglês Dom Phillipes (colaborar do jornal Guardian).

Comitiva do Amazonas visita o Maranhão para conhecer cadeia produtiva do babaçu

Uma comitiva do Amazonas com mais de 30 pessoas, liderada pelo deputado estadual Sinésio Campos, se reuniu na sexta-feira, dia 6, pelo governador Flávio Dino, no Palácio dos Leões.

O objetivo da agenda foi conhecer a experiencia do Maranhão no desenvolvimento sustentável da floresta, tendo como base a exitosa da cadeia produtiva do babaçu no Maranhão.

“Queremos fazer com que o babaçu, que é uma referência econômica, mas acima de tudo de resistência das quebradeiras de coco, uma alternativa econômica para o Amazonas. Temos mais de dez milhões de pés de babaçu adultos somente numa parte do nosso estado. E estamos saindo daqui do Maranhão muito satisfeitos diante do conhecimento técnico e de governança que o governo Flávio Dino tem, da sua Secretaria da Agricultura Familiar, que nos deu a oportunidade de dizer que queremos trabalhar para os invisíveis, para as quebradeiras de coco, para aquelas pessoas que estão nas comunidades mais distantes, as populações indígenas, as populações quilombolas”, explicou o parlamentar amazonense.

A visita institucional rendeu ainda o agendamento de uma reunião entre o Parlamento Amazônico e o Consórcio de Governadores da Amazônia Legal, presididos respectivamente por Campos e Dino – este encontro deve acontecer no final de setembro.

“Tratamos aqui de muitos projetos em comum, muitos objetivos em comum, entre os quais este da ampliação da exploração sustentável do babaçu, que é uma árvore que tem uma grande incidência no Maranhão e, por isso mesmo, há um trabalho de organização de cadeias produtivas a partir do babaçu e nós estamos prontos a dialogar, aprender e a trocar experiências também com os municípios do estado do Amazonas que estiveram conosco para que com isso nós possamos obter o principal, que é melhorar as condições de vida, combater a desigualdades sociais e regionais e garantir dignidade ao povo da Amazônia, tanto no Maranhão quanto no estado do Amazonas”, declarou Dino.

STF autoriza diligências da PF em inquérito que investiga Pazuello

Do Uol

O ministro do STF, Ricardo Lewandowski, acatou hoje o pedido da PGR (Procuradoria-Geral da República) e autorizou que a Polícia Federal realize diligências no inquérito que investiga suposta omissão do ministro da Saúde, general Eduardo Pazuello, na crise sanitária no Amazonas.

“(…) defiro os pedidos formulados pelo PGR [Augusto Aras] e determino o encaminhamento destes autos à Polícia Federal para a realização das diligências requeridas”, escreveu Lewandowski.

Entre os pedidos autorizados estão a requisição dos e-mails institucionais trocados entre o Ministério da Saúde e a Secretaria de Saúde do Amazonas, além de depoimentos de representantes da empresa White Martins, responsável pelo fornecimento de cilindros de oxigênio para o estado.

Lewandowski também permitiu à PF que o acesso às tratativas sobre o transporte de oxigênio para Manaus, bem como a remoção de pacientes da capital amazonense para hospitais universitários federais administrados pela Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares (EBSERH).

Os investigadores também poderão identificar e ouvir os desenvolvedores do aplicativo TrateCOV, que recomendava tratamento precoce contra a covid-19, mesmo sem evidências científicas de seus benefícios.

A PF ainda está autorizada a analisar os gastos com a compra e distribuição de testes e de medicamentos como a hidroxicloroquina e a cloroquina — comprovadamente ineficazes contra o coronavírus — no estado. Funcionários do Ministério da Saúde e das secretarias da Saúde do Amazonas e de Manaus devem ser ouvidos, mesmo os eventualmente exonerados.