Governador Flávio Dino volta se posicionar sobre o ‘Cajueiro’ e diz que não é oportunista

 

flaxxvio-dino-1
Governador Flávio Dino/Foto: Reprodução

No inicio da manhã desta terça-feira (13), o governador Flávio Dino voltou se posicionar sobre a polêmica da Comunidade do Cajueiro. Segundo ele, decisões judiciais precisam ser respeitadas e que ele não é oportunista.

“Cumprir decisões judiciais e respeitar as leis não é uma questão de o governante concordar ou não, gostar ou não. Não sou oportunista. Tenho responsabilidades com a autoridade da Constituição, das leis e dos demais Poderes do Estado”, disse Flávio Dino.

Ainda repercuti a ação de reintegração de posse realizada na manhã de ontem, segunda-feira (12), zona rural de São Luís. A área em questão pertenceria a uma empresa que construirá um Porto.

No final da noite ontem um grupo que protesta contra a medida foi retirado da frente do Palácio dos Leões pela Polícia Militar, a informação é eles pretendia invadir a sede do governo.

Preso PM suspeito de participação em ‘chacina’ na Zona Rural de SL

 

colagem-meninos
Jovens mortos Joanderson da Silva Diniz, 17 anos; Gustavo Feitosa Monroe, 18 e Gildean Castro Silva, 14 anos/Foto: G1 MA

O policial militar identificado como Hamilton Cairos Linhares, lotado no COI (Centro de Operações Especias da PM), foi preso temporariamente nesta segunda-feira (7), por suspeita de envolvimento na morte dos três jovens na comunidade Mato Groso/Coquilho, zona rural de São Luís. Ele está recolhido no Comando Geral da PM, no Calhau.

O caso está sendo investigado pela Superintendência de Homicídios e Proteção a Pessoa (SHPP). Além de Hamilton Caires preso temporariamente por 30 dias, outros quatro PMs e um Agente Penitenciário estão sendo investigados por suspeitas no triplo homicídio. De acordo com as investigações, os jovens teriam ainda sido perseguidos dentro da área de construção das casas do Programa Minha Casa Minha Vida.

O crime aconteceu na última quinta-feira (3), e teve como vítimas Joanderson da Silva Diniz, 17 anos; Gustavo Feitosa Monroe, 18 e Gildean Castro Silva, 14 anos. Segundo a polícia os crimes tem fortes indícios de execução e os jovens também teriam sido torturados.

O Secretário de Segurança Pública, Jefferson Portela, esteve no último sábado (5), reunido com moradores das comunidades Mato Grosso e Coquilho, onde ouviu os reclames sobre o crime e informou sobre o andamento das investigações.

De acordo com a policia, testemunhas informaram que o policial Hamilton Linhares, seria muito conhecido na área e teria sido visto circulando na região no dia do crime. Com base em vários depoimento a polícia pediu ainda no domingo (6), a prisão temporária do militar.