”Chega de falar bobagens e de negligência”, Dino sobre ataques de Bolsonaro a China

O governador do Maranhão, Flávio Dino (PCdoB), nesta terça-feira, dia 11, fez uma especie de apelo e protesto contra o presidente Bolsonaro em relação a China, para que milhares de pessoas não morram.

“É urgente que o presidente do Brasil telefone para o presidente da China a fim de destravar os insumos para que o Butantan produza mais vacinas. Cada dia de demora custa milhares de vidas. Chega de falar bobagens e de negligência”, Flávio Dino no twitter.

Comitiva do Maranhão é recepcionada em São Paulo pelo governador João Dória

A comitiva do governo do Maranhão, liderada pelo vice-governador, Carlos Brandão (PSDB), em São Paulo, nesta segunda-feira, dia 5, foi recepcionada pelo governador João Dória (PSDB).

O governador Flávio Dino, nas redes sociais agradeceu ao Dória, a acolhida aos membros do governo maranhense.

“Agradeço a acolhida do governador @jdoriajr à equipe do @GovernoMA, liderada pelo vice-governador @carlosbrandaoma, na visita ao Butantan”, agradeceu Dino nas redes sociais.

Acompanharam o vice governador Carlos Brandão os secretários Carlos Lula (Saúde) e Rubens Júnior (Articulação Política).

“Chega de confusão. O Brasil não merece isso”, Dino sobre calendário de vacinação

O Ministério da Saúde mudou na noite de ontem, quinta-feira, dia 18, o cronograma de vacinação contra Covid-19, que havia sido informado e acertado durante reunião com governadores na última quarta-feira, e anunciada para próxima semana aos Estados.

De acordo com o cronograma inicial, o Maranhão receberia cerca de 386.546 mil novas doses de vacinas, quantidade divulgado pelo secretário Carlos Lula, conforme informou o Ministério da Saúde, e que deverá mudar.

Nas redes sociais o governador Flávio Dino lamentou a mudança no calendário.

“Ontem foi anunciado um calendário nacional de vacinação. Hoje já mudou. Realmente assim é muito difícil. Precisamos de quantitativos e datas claras. Chega de confusão. O Brasil não merece isso”, disse Flávio Dino.

De acordo com o governo federal o motivo da mudança no cronograma é em razão da quantidade de doses que receberia que seria de 9,3 milhões, mas apenas 30% do total acordado para fevereiro foram disponibilizados, cerca de 2,7 milhões de doses do Instituto Butantan. O sec. Executivo Elcio Franco comentou a decisão.

Maranhão receberá 386.546 mil novas doses de vacinas na próxima semana

Na próxima semana o Maranhão receberá 386.546 novas doces de vacinas contra a Covid-19, a anuncio foi realizado no inicio da noite desta quinta-feira, dia 18, pelo Secretário de Esatado da Saúde, Carlos Lula.

Cerca de 289 mil pessoas serão beneficiadas essa nova etapa de vacinação, os alvos nessa fase serão idosos de 80 a 89 anos, povos e comunidades ribeirinhas e quilombolas e profissionais de saúde.

Na tarde de ontem quarta-feira, dia 17, o ministro Eduardo Pazuello informou durante reunião com governadores, o envio de novas doses do Butantan para todo país a partir da próxima semana, hoje foi confirmado.

O ministro também disse que até 31 de julho serão distribuídos 230 milhões de doses de vacinas para os estados, fornecidas pelos institutos Butantan (Sinovac), Fiocruz (AstraZeneca), União Química (Sputnik) e Precisa (Bharat Biotech) serão os fornecedores. 

Carlos Lula defende em São Paulo incorporação ao PNI de todas as vacinas contra a Covid-19

O secretário de Saúde do Maranhão e presidente do Conass (Conselho Nacional de Secretários de Saúde), Carlos Lula, defendeu em agenda nesta segunda-feira, dia 14, em São Paulo, a incorporação ao Programa Nacional de Imunização, todas as vacinas consideradas eficazes e seguras.

“O que todos os secretários de Saúde do país sugerem é que haja uma Coordenação Nacional, que deixemos de lado qualquer tipo de disputa política ou animosidade para pensarmos em cuidar das pessoas e que possamos, o quanto antes, incorporar todas as vacinas ao PNI, para que ele possa de fato dar uma resposta”, disse Lula.  

Carlos Lula ressaltou ainda que o Conass se coloca como mediador para qualquer tipo de divergência que haja entre o Governo do Estado de São Paulo e o Ministério da Saúde, para que seja iniciada o quanto antes a imunização no Brasil.

“O objetivo, afinal de contas, é um só, garantir a imunização de toda a população brasileira ainda em 2021. Menos que isso não é possível, não é razoável e nem aceitável”, enfatizou Carlos Lula.

O Instituto Butantan durante a agenda anunciou a conclusão dos testes com a vacina CoronaVac, em parceria com a Sinovac, e o envio do resultado testes da vacina à Anvisa e ao órgão correspondente da China.