Flávio Dino esclarece ritmos de vacinação contra Covid-19

O governador do Maranhão, Flávio Dino, usou as redes sociais na manhã desta quinta-feira, dia 10, para esclarecer o ritmo diferente de vacinação contra Covid-19 nos municípios.

Ele também destacou o papel do governo do estado na processo, e ainda, como vem colaborando para agilizar a vacinação, uma vez que a aplicação das vacinas é atribuição precípua dos municípios.

“O modo como o Plano Nacional de Imunização foi estruturado, com grupos prioritários definidos nacionalmente e critérios etários, determinou ritmos diferentes de vacinação em cada município. Ademais, há vacinas que são orientadas pelo Min. da Saúde exclusivamente para capitais (..) Estamos ajudando os municípios, com 700 profissionais cedidos, além de doarmos insumos. Ainda há muitas fichas de vacinação em municípios que não foram informadas ao Min. da Saúde. E estamos fazendo os “arraiais da vacinação” para colaborar no aumento da velocidade da aplicação”, destacou Flávio Dino.

Esta semana o Maranhão avançou 11 posições no ranking nacional na aplicação da 1ª dose da vacina. O Estado estava em 24o lugar agora ocupa a 13o.

O governador Flávio Dino e o prefeito de São Luís, Eduardo Braide, usaram as respectivas redes sociais nesta semana para anunciarem ações para acelerar a vacinação.

Governo muda discurso após tentar negar doença e sabotar vacinação

O tom do discurso do presidente Jair Bolsonaro, nesta quarta-feira, dia 16, durante lançamento do Plano Nacional de Imunização, chamou mais atenção da imprensa e dos presentes que a ação do governo em relação a doença.

O mesmo presidente que desde o início da crise sanitária chegou classificar a pandemia de “histeria” e a doença de “gripizinha”, hoje na solenidade no Palácio do Planalto, disse que o coronavírus “afligiu a todos desde o início”.

“Realmente, nos afligiu desde o início. Não sabíamos o que era esse vírus, como ainda não sabemos. Irmanados, estamos na iminência de apresentar uma alternativa concreta para nos livrarmos desse mal”, destacou Bolsonaro.

Ele ainda fez uma especie de ‘pedido de desculpas’, caso tenha havido algum excesso do governo durante a pandemia, segundo o presidente, foi no “afã de encontrar solução”.

“A grande força agora é a união para buscar a solução de algo que nos aflige há meses. Se algum de nós extrapolou ou até exagerou, foi no afã de buscar solução”, acrescentou o presidente.

Carlos Lula defende em São Paulo incorporação ao PNI de todas as vacinas contra a Covid-19

O secretário de Saúde do Maranhão e presidente do Conass (Conselho Nacional de Secretários de Saúde), Carlos Lula, defendeu em agenda nesta segunda-feira, dia 14, em São Paulo, a incorporação ao Programa Nacional de Imunização, todas as vacinas consideradas eficazes e seguras.

“O que todos os secretários de Saúde do país sugerem é que haja uma Coordenação Nacional, que deixemos de lado qualquer tipo de disputa política ou animosidade para pensarmos em cuidar das pessoas e que possamos, o quanto antes, incorporar todas as vacinas ao PNI, para que ele possa de fato dar uma resposta”, disse Lula.  

Carlos Lula ressaltou ainda que o Conass se coloca como mediador para qualquer tipo de divergência que haja entre o Governo do Estado de São Paulo e o Ministério da Saúde, para que seja iniciada o quanto antes a imunização no Brasil.

“O objetivo, afinal de contas, é um só, garantir a imunização de toda a população brasileira ainda em 2021. Menos que isso não é possível, não é razoável e nem aceitável”, enfatizou Carlos Lula.

O Instituto Butantan durante a agenda anunciou a conclusão dos testes com a vacina CoronaVac, em parceria com a Sinovac, e o envio do resultado testes da vacina à Anvisa e ao órgão correspondente da China.