“CPI tem provas do atraso intencional na compra de vacinas” diz Flávio Dino

O governador do Maranhão, Flávio Dino (PSB), crítico contumaz do governo Bolsonaro, principalmente em relação à pandemia da Covid-19, disse nas redes sociais neste sábado, dia 26, que a CPI já tem elementos para provar o ‘atraso intencional na compra de vacinas’.

Após serem ouvidos na CPI da pandemia da Covid-19, ontem sexta-feira, dia 25, o deputado federal Luis Miranda (DEM-DF) e seu irmão Ricardo Miranda (funcionário do Ministério da Saúde), aumentaram as suspeitas de corrupção praticadas pelo governo federal.

Durante seu depoimento o deputado Luis Miranda, foi desafiado a declinar o nome do deputado citado pelo presidente Bolsonaro que estaria por trás da compra da vacina Covaxin, em resposta à senadora Simone Tebet (MDB-MS), ele indicou o deputado Ricardo Barros (PP-PR), lider do governo na Câmara Federal, autor de emenda para a compra da vacina sem autorização da Anvisa.

“.. Não é que eu não esteja querendo colaborar. A CPI vai chegar [ao nome] e o Brasil vai perceber que estamos vivendo uma hipocrisia — declarou Luis Miranda, emocionado, para pouco depois confirmar o nome de Ricardo Barros..”, desabafou Luis Miranda.

O deputado Ricardo Barros usou as redes sociais para negar envolvimento no negocio da compra da vacina Indiana. Segundo os depoentes, era o líder do governo na Câmara por trás da pressão para obtenção da vacina com valor superfaturado, no valor de R$ 1,6 bilhão por 20 milhões de doses.

“..é falácia dizer que não existe corrupção no governo Bolsonaro..” diz Flávio Dino

O governador do Maranhão, Flávio Dino (PSB), em entrevista nesta quinta-feira, dia 24, ao canal MyNews, falou sobre as suspeitas de corrupção no governo Bolsonaro em relação ao caso da vacina Covaxin da India.

Flávio Dino disse que é grave ‘denuncia e conduta do governo’ em relação ao negocio envolvendo a compra da vacina é poderá se configurar em crime.

“..muito grave seja a denuncia e conduta do governo em relação a esse fato, várias denuncias vem se acumulando de corrupção desse governo do presidente Bolsonaro, é falácia dizer que não existe corrupção no governo, existe sim, há muitos casos que estão sendo investigados, inquéritos, ações e mais este agora. A conduta em relação a denuncia é absolutamente inusitada que é ameaçar e coagir o denunciante, isso pode configurar crime, seja sob a ótica da legislação própria da CPI (Lei 1579), seja pela perspectiva do crime de obstrução à justiça cuja a pena é de 3 a 8 anos. Segundo a Lei 58 da Constituição a CPI tem poderes próprios de investigação de uma autoridade judicial, o crime de obstrução à justiça se configura impedimento ou embaraço à investigação. Espero que a CPI do Senado tenha muita firmeza para garantir a apuração da verdade”, disse Flávio Dino.

O deputado federal Luis Miranda (DEM-DF) e seu irmão, o servidor do ministério da Saúde Luis Ricardo Miranda, deverão ser ouvidos amanhã sexta-feira, dia 25, autores da denuncia sobre a Covaxin.

O ministro-chefe da Secretaria-Geral da Presidência da República, Onyx Lorenzoni, deverá ser convocado ou convidado para prestar esclarecimentos à CPI. O tom das declarações do ministro na quarta-feira teriam soado como ameaça a testemunhas.

“Por livre e espontânea pressão”; Bolsonaro se reúne com a Pfizer

Da Veja

Através de vídeo conferencia Jair Bolsonaro se reuniu nesta segunda-feira, dia 14, com Carlos Murillo, presidente da Pfizer na América Latina.

Fora da agenda oficial também participaram os ministros: Marcelo Queiroga (Saúde), Carlos Alberto França(Relações Exteriores) e Luis Eduardo Ramos(Casa Civil).

Vacina Janssen será distribuída para 13 municípios no Maranhão

A Comissão Intergestores Bipartite aprovou nesta sexta-feira (11), a distribuição da vacina Janssen na proporção de 30% para a Grande Ilha (São Luís, São José de Ribamar, Paço do Lumiar e Raposa) e 70% para os municípios de Imperatriz, Balsas, Caxias, Bacabal, Pinheiro, Coroatá, Açailândia, Santa Inês e Presidente Dutra.

De acordo com o Ministério da Saúde o público prioritário da vacina são pessoas com comorbidades, deficientes permanentes e trabalhadores de educação do ensino básico.

Se os municípios que receberem o imunizante já tiverem concluído a vacinação deste público, poderão prosseguir com a imunização da população geral, por faixa etária, em ordem decrescente a partir de 59 anos.  

Na reunião foi definido também que as equipes da Coordenação Estadual de Imunizações seguem prestando apoio no planejamento e supervisão aos municípios que receberão as doses da Janssen.

As três milhões de doses da vacina da Janssen que, devem chegar ao Brasil na semana que vem, com prazo de validade até 27 de junho.

Hoje também o governador Flávio Dino anunciou a abertura de mais postos de vacinação contra a Covid-19 durante o mês de junho, ampliando o Arraial da Vacinação.

A idade também diminuiu, sendo agora pessoas com 29 anos já liberadas para imunizar.

Novas medidas anunciadas – 11/06/2021

ARRAIAL DA VACINAÇÃO

Grande Ilha
Drive-thru no Shopping Pátio Norte
Público: 29 anos ou mais
Das 19h de sexta (11) até 12h de domingo (13)

Timon
Drive-thru no Shopping Cocais
Ginásio Francisco Carlos Jansen
Público: 50 anos ou mais
Das 8h às 18h de sábado (12).

MEDIDAS VIGENTES ATÉ 21 DE JUNHO

Eventos com até 100 pessoas

Realização dos eventos: até 23h

Administração pública estadual: 50% da capacidade

Igrejas: 50% de capacidade

ILHA DE SÃO LUÍS

Grupo de risco vacinado poderá retornar ao trabalho após 30 dias (exceto gestantes). Setores público e privado

Comércio e indústria entre 9h e 21h

Bar e restaurante: até 23h

Supermercados: das 6h à 0h

Supermercados, academias, salões, bares e restaurantes: 50% de capacidade

APOIO À POPULAÇÃO

Distribuição de mais 11 mil cestas básicas na segunda-feira (14). Municípios contemplados: Alto Alegre do Maranhão, Cantanhede, Matões do Norte, Paço do Lumiar, Peritoró, Pirapemas, São Mateus do Maranhão e Timbiras.

Após fala de Bolsonaro, com a palavra o ministro Marcelo Queiroga

O presidente Jair Bolsonaro colocou o ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, em uma verdadeira ‘encruzilhada’, nesta quinta-feira, dia 10, onde o conceituado médico terá que escolher entre a ciência, carreira e história profissional ou obediência incondicional ao seu presidente.

“..acabei de conversar com um tal de Queiroga, não sei se vocês conhecem. É nosso ministro da Saúde, ele vai ultimar um parecer visando a desobrigar o uso de máscara para quem já foi vacinado ou infectado..”, disse o presidente.

‘..irei aguardar manifestação técnica de cientistas..”, Dino sobre decisão da ANVISA

O governador Flávio Dino (PCdoB), usou as redes sociais na manhã desta terça-feira, dia 27, para dizer o que fará após o posicionamento contrário da ANVISA à importação e uso da vacina Sputnik, “irei aguardar manifestação técnica de cientistas brasileiros e russos”.

“Sobre decisão da Anvisa quanto à vacina Sputnik, irei aguardar manifestação técnica de cientistas brasileiros e russos. Posteriormente, teremos reunião com governadores da Amazônia e do Nordeste para avaliar fundamentos técnicos, a serem apresentados ao STF e à própria Anvisa”, disse Dino no twitter.

Um total de 14 estados tem interesse em adquirir a Sputnik, entre eles, o Maranhão. A vacina está sendo utilizada em mais de 60 país, inclusive 4 na America do Sul: Argentina, Paraguai, Venezuela e Bolivia.

São Luís inicia vacinação dos profissionais da Educação particular neste sábado (24)

O prefeito de São Luís, Eduardo Braide, através das redes sociais na noite desta sexta-feira, dia 23, anunciou a vacinação dos profissionais da Educação da Rede Particular na capital a partir deste sábado, dia 24.

“A partir de amanhã (24), os profissionais da rede particular e pública de ensino, com 52 anos ou mais, serão vacinados no Centro de Convenções da UFMA”, informou Braide.

“O Maranhão está pedindo o que está na Lei”, Dino sobre ação no STF para adquirir Sputnick V

O governador Flávio Dino nesta sexta-feira, dia 23, informou que entrou com ação no STF pedindo a manutenção da data de 28 de abril, para que a Anvisa se posicione sobre a vacina Sputinicki V.

Medida do governo se deu em razão da solicitação do governo Bolsonaro através da Anvisa, que pediu também oa STF a prorrogação do prazo.

“.. o Maranhão está pedindo é aquilo que esta na Lei 14124/2021, nós não entramos com ação judicial sem que esteja dentro da legalidade..”, disse Dino.

“Não cabe ao governo federal sabotar a Lei”, Flávio Dino sobre compra da Sputinik V

O governador Flávio Dino (PCdoB), reagiu nesta quarta-feira, dia 21, à tentativa da Anvisa de suspender a decisão do ministro Ricardo Lewandowiski do STF, que estabeleceu a data limite de 28 de abril para que seja dado um parecer sobre a vacina Sputinick V.

De acordo com Dino, o governo Bolsonaro tenta atrapalhar a compra da vacina pelos governos do Nordeste e da Amazônia, enquanto movimenta para adquirir. A vacina Sputinick V está sendo utilizada em vários países.

“Governo Federal quer ainda mais prazo para analisar a vacina Sputnik, largamente empregada em vários países, inclusive a vizinha Argentina. A Lei 14124/2021 ampara a importação pelos estados da Amazônia e do Nordeste. Não cabe ao governo federal sabotar a Lei, e sim cumpri-la (..) O curioso é que, enquanto protela a vacina Sputnik, o próprio governo federal diz querer adquiri-la. Comitiva técnica já foi à Rússia. Documentos previstos na Lei 14124 e na Resolução 476 já foram apresentados. E basta examinar as informações técnicas da Argentina”, questionou Flávio Dino.

Em atendimento a uma ação do governo do Maranhão, o ministro do STF Ricardo Lewandowiscki, no último dia 29 de março, determinou que a Anvisa tem até o dia 28 de abril para decidir sobre a importação da Sputnik V, caso não ocorra o Maranhão, que já acertou a compra de 4.582.862 doses, está autorizado importar.

Dino pede quebra de patentes e produção da vacina em reunião com a ONU

Representando o Nordeste, o governador Flávio Dino, em reunião virtual nesta sexta-feira, dia 16, entre o Fórum de Governadores do Brasil e a Organização das Nações Unidas (ONU), defendeu a quebra temporária das patentes das vacinas contra a Covid-19 para acelerar a imunização da população mundial.

Dino destacou que existe uma super-demanda e uma capacidade limitada na produção de vacinas. Além disso, pontuou a necessidade ou não a necessidade realizar anualmente a imunização contra o coronavírus.

“Nós temos mecanismos internacionais em que há a quebra de patentes para que outros países possam produzir vacinas em maior quantidade, inclusive o Brasil. Percebi uma acolhida muito positiva por parte da ONU e quero crer que esse debate vai se colocar para uma deliberação internacional, uma vez que há muitos organismos, entidades, lideranças e personalidades em nível global defendendo essa saída”, destacou Flávio Dino.

Secretária geral adjunta da ONU, Amina Mohammed, comentou que é realmente necessário buscar a vacina, além de trabalhar para diminuir a transmissão da doença.

“..Vamos olhar para outros países e ver a necessidade de redobrar esse esforço para produção o mais rápido possível, para vacinarmos 75% da população que se qualifica para a vacina..”, disse Amina.

A reunião virtual foi moderada por Marlova Noleto, cordenadora residente da ONU no Brasil.

Participaram ainda do encontro os governadores Wellington Dias, do Piauí; Wilson Lima, do Amazonas; Ronaldo Caiado, de Goiás; José Renato Casagrande, do Espírito Santo; e Eduardo Leite, do Rio Grande do Sul.