“..foi à CPI e não pôde defender certos absurdos..”, Dino sobre Queiroga

Do Uol

‘Foi uma espécie de retaliação’, segundo o governador, Flávio Dino (PCdoB), o ‘parecer de desobrigação do uso da vacina’ pedido ao ministro Marcelo Queiroga, pelo presidente Jair Bolsonaro.

Ainda para Dino, nenhum médico do Brasil liberaria o uso de máscara nesse momento.

“O ministro foi à CPI e não pôde defender certos absurdos. A minha visão é que as atitudes do presidente, chamando-o de modo depreciativo, [como quando disse] ‘esse tal Queiroga’, e essa encomenda impossível de ser atendida, eu acredito que infelizmente foi uma retaliação do presidente da República contra o seu ministro (..) O Bolsonaro não consegue conviver com qualquer pessoa que minimamente discorde dele”, afirmou Flávio Dino.

Após fala de Bolsonaro, com a palavra o ministro Marcelo Queiroga

O presidente Jair Bolsonaro colocou o ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, em uma verdadeira ‘encruzilhada’, nesta quinta-feira, dia 10, onde o conceituado médico terá que escolher entre a ciência, carreira e história profissional ou obediência incondicional ao seu presidente.

“..acabei de conversar com um tal de Queiroga, não sei se vocês conhecem. É nosso ministro da Saúde, ele vai ultimar um parecer visando a desobrigar o uso de máscara para quem já foi vacinado ou infectado..”, disse o presidente.

MA recebe 600 mil testes e intensifica rastreamento de casos da Covid-19

O maranhão recebeu 600 mil testes de detecção da Covid-19 do Ministério da Saúde, no domingo, dia 2, a ação foi motivada pelo registro da variante no estado.

A entrega foi realizada pelo ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, que também anunciou aumentou em 5% de doses de vacinas contra a covid-19 em São Luís, São José de Ribamar, Paço do Lumiar e Raposa.

A testagem será realizada nos aeroportos de São Luís e Imperatriz, na região portuária de São Luís e em outros pontos da Grande Ilha.

“Nós trabalhamos juntos não só para evitar a transmissão comunitária da variante indiana, mas também para enfrentar a pandemia da Covid-19. Nosso objetivo aqui é fortalecer o Sistema Único de Saúde nessa grande ação integrada. Serão mais 300 mil doses para a Ilha e realização, de maneira pioneira no Brasil, de testagem em massa com teste de antígeno rápido”, afirmou Marcelo Queiroga.

O governador Flávio Dino ressaltou a disposição do estado em atuar como parceiro das ações de monitoramento.

“Tanto no que se refere a aeroportos e portos, onde o comando é da Anvisa, a Secretaria da Saúde do Estado e, creio que a do município, estão à disposição para ceder recursos humanos, a fim de que essas ações sejam possíveis dentro do planejamento feito pelo Ministério da Saúde. No que se refere à comunidade, nós já temos uma ação muito intensa e vamos ampliar isso com a disponibilização desses testes rápidos para detecção da Covid-19”, disse o governador.

A testagem para rastreamento de casos da Covid-19 começou ainda neste domingo (23), no Porto do Itaqui.

“Um saiu, mas não saiu. Um entrou, mas não entrou”, Dino sobre Pazuello e Queiroga

O governador do Maranhão, Flávio Dino (PCdoB), classificou a situação da mudança no comando do Ministério da Saúde como ‘absurda, entre tantos absurdos’.

“Situação desta semana é tão absurda, entre tantos absurdos, que temos dois ministros da Saúde, por conseguinte nenhum. Um saiu, mas não saiu. Um entrou, mas não entrou”, governador Flávio Dino.

Queiroga diz que não vai “fazer mágica”, quando o país mais precisa de respostas

Os ministros da Saúde que sai e outro que assume respectivamente, Eduardo Pazzuello e Marcelo Queiroga, concederam entrevista coletiva, no final da tarde desta terça-feira, dia 16.

Quando mais se precisa de respostas do novo ministro sobre a pandemia, o governo evita perguntas. Entre os destaques da fala de Queiroga, está o aviso de que não vai “fazer mágica”.

“.. não vou fazer mágica e resolver os problemas da saúde que temos. Mas, teremos a ajuda dos brasileiros, com isso ter um resultado, é, mais desejável no enfrentamento da pandemia..”, disse Queiroga.

Ele também ratificou que dará continuidade ao trabalho de Pazzuelo. Mais cedo, Marcelo Queiroga, disse que a política de saúde é do presidente, ele apenas executa,

Médico Marcelo Queiroga aceita ser Ministério da Saúde de Bolsonaro

Da CNN

O presidente Jair Bolsonaro convidou o presidente da Sociedade Brasileira de Cardiologia (SBC), Marcelo Queiroga, para ocupar o Ministério da Saúde, que aceitou substituir o general Pazuello.