CONASS apoia Anvisa em vacinar crianças de 5 a 11 anos

A liberação da vacina contra a covid-19 pela Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) nesta quinta-feira, dia 16, para crianças de 5 a 11 anos, tem apoio do CONASS (Conselho Nacional de Secretários de Saúde), presidido por Carlos Lula (Secretário de Saúde do Maranhão).

A vacina que será aplicada é a da Pfizer e serão duas doses com três semanas de intervalo entre elas. Atualmente, a vacina estava apenas autorizada para maiores de 12 anos.

Não há informações sobre o inicio da distribuição e aplicação das vacinas.

Segurança Pública recebe 3ª dose contra Covid de 3 a 6 novembro

A Secretaria de Saúde do Maranhão inicia a partir da próxima semana, a aplicação da terceira dose da vacina contra a Covid-19 nos trabalhadores das Forças de Segurança e Salvamento e Forças Armadas.

A ação tem início na quarta-feira, dia 3, e ocorre até a sábado, dia 6. Para a terceira dose, será utilizada a vacina Pfizer.

Serão vacinados os profissionais no Comando Geral, localizado no Calhau; na Sede do Corpo de Bombeiros, no Bacanga; na Sede do Comando da Aeronáutica, localizada no aeroporto; e na Sede da Secretaria de Segurança Pública, na Vila Palmeira.  

Assim como os idosos e trabalhadores da saúde, a aplicação da dose de reforço nos trabalhadores da segurança pública será realizada com o intervalo de cinco meses após a última dose do esquema completo (D1 + D2) ou dose única.

São Luís é a primeira cidade a iniciar aplicação da 3ª dose da Covid-19

A Prefeitura de São Luís iniciou nesta quinta-feira, dia 26, a vacinação da 3ª dose para Covid-19, tornando-se a primeira cidade brasileira a iniciar a aplicação da dose de reforço em em idosos.

Na capital, os primeiros a receber a terceira dose são os idosos acima de 70 anos e imunossuprimidos residentes em oito instituições de longa permanência.

“São Luís fez a lição de casa muito antes do início da campanha, por isso, tem conseguido cumprir com rapidez todas as orientações do Ministério da Saúde para garantir a proteção da nossa população contra o novo coronavírus. É fundamental garantir a imunização 100% dos nossos idosos. Começamos por aqueles que moram nas instituições de longa permanência e ainda esta semana vamos divulgar o calendário para os demais públicos definidos pelo Ministério da Saúde”, destacou o prefeito Eduardo Braide.

Nesta fase, a Prefeitura está vacinando com a terceira dose, um total de 142 idosos que têm mais de 70 anos e imunossuprimidos que vivem nas oito em instituições de longa permanência de São Luís, entre a rede pública e privada.

Eles estão recebendo a dose de reforço da Pfizer. Serão atendidas duas instituições por turno (manhã e tarde) entre esta quinta-feira (26) e a sexta-feira (27).

A ação ocorre em parceria entre as secretarias municipais da Criança e Assistência Social (Semcas) e de Saúde (Semus). 

3ª dose da vacina contra Covid começa dia 15 de setembro

Do Uol

O ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, anunciou nesta quarta-feira, dia 25, a aplicação da terceira dose da vacina contra Covid-19, em idosos e imunossuprimidos no próxima dia 15 de setembro.

Na mesma data começará a redução do intervalo da vacinação da Pfizer e AstraZeneca, de 12 para 8 semanas.

A imunização extra contemplará idosos a partir de 70 anos, sendo que os primeiros a receberem a vacinação serão os acima de 80 anos.

MA já recebeu 7.030.320 milhões de doses de vacinas contra a Covid-19

O Maranhão recebeu, segunda-feira (23), novos lotes das vacinas Pfizer, CoronaVac e AstraZeneca para continuidade à vacinação contra a Covid-19.

São 228.020 doses de imunizantes, sendo 56.600 doses de CoronaVac, 59.670 doses de Pfizer e 111.750 doses da AstraZeneca. 

Com a nova remessa, o Maranhão totaliza 7.030.320 doses recebidas, sendo 2.013.990 doses da CoronaVac, 3.548.700 doses da AstraZeneca, 1.354.730 doses da Pfizer e 112.900 doses da Jansen.

“Negligência e imperícia matam”, Dino sobre governo Bolsonaro ignorar Pfizer

O governador, Flávio Dino (PCdoB), reagiu com indignação à confirmação nesta quarta-feira, dia 12, na CPI da Covid-19 no Senado, que o governo Bolsonaro negligenciou a oferta da vacina Pfizer.

“Atrasar irresponsavelmente a compra da vacina Pfizer custou a vida de dezenas de milhares de pessoas. Negligência e imperícia matam. Quem responderá por isso?”, Flávio Dino.

Hoje na CPI, o ex-secretário de Comunicação do governo Bolsonaro, Fábio Wanjgarten, confirmou o recebimento de uma carta da Pfizer enviada ao governo em 12 de setembro com objetivo de negociar a compra de 70 milhões de doses da vacinas que foi ignorada.

Dino pede ao embaixador dos EUA intermediação junto as vacinas Pfizer e Janssen

Durante reunião virtual sexta-feira, dia 5, do Consórcio da Amazônia Legal com o embaixador Todd Chapman dos EUA, o governador Flávio Dino solicitou que sinalize aos laboratórios Pfizer e Janssen que os estados da Amazônia Brasileira possuem interesse em adquirir diretamente vacinas contra a Covid-19.

“.. se for possível sinalizar a fornecedores que nós desejamos comprar vacinas. Todos os nove estados têm endereçado essa demanda aos grandes fabricantes e com avanço do plano de vacinação dos Estados Unidos, queremos crer que talvez seja possível esse esforço de diplomacia. Nós temos os recursos disponíveis em cada um dos estados (..) Não temos intenção de concorrer com o PNI, queremos complementar o PNI, porque consideramos que em um país continental como o nosso, com 210 milhões de pessoas, 25 milhões só na Amazônia Legal, temos uma necessidade muito elevada”, afirmou o governador Flávio Dino, presidente do Consórcio da Amazônia Legal. 

O embaixador dos EUA informou que acompanha a situação e está à disposição dos estados para auxiliar diplomaticamente na situação

“Estamos completamente abertos para poder oferecer vacinas do mundo, com a tecnologia mais moderna que existe. Queremos trabalhar com vocês, queremos cumprir com as normais legais do país, e vocês terão todo acesso a essas empresas. Entendo completamente que essa é a prioridade número um para um governador agora, a saúde da sua gente”, respondeu Todd Chapman.