Hemomar comemora Dia Mundial do Doador nesta segunda-feira (14)

A campanha Junho Vermelho reforça as ações anuais que buscam captar doadores para os bancos de sangue e aumentar o volume de doações. O mês foi escolhido também porque abriga o Dia Mundial do Doador de Sangue, comemorado no dia 14 de junho.

A data, criada pela Organização Mundial de Saúde (OMS), será marcada em São Luís por uma ação especial realizada pelo Centro de Hematologia e Hemoterapia (Hemomar), na Jordoa. 

“No mês de junho é comum que os bancos de sangue fiquem desfalcados, já que é a temporada de doenças respiratórias. A campanha é uma forma de reforçar o estoque, considerando que julho é o mês de férias escolares e é comum também haver uma queda nas doações. O fato é que as doações têm caído a cada ano, em especial no último por conta da pandemia, contudo a necessidade não diminui”, explica a diretora geral do Hemomar, Clícia Galvão. 

Este ano, a campanha no Maranhão tem como slogan “Doação é como seu coração, não pode parar”, que além de incentivar a doação, chama atenção para a necessidade de fazê-lo de forma recorrente durante todo o ano.

Por isso, na segunda-feira (14), Dia Mundial do Doador de Sangue, o Hemomar convidou os doadores que mais doações têm registradas na instituição, para receber uma homenagem

Comparando 2020 com 2019, houve uma redução de 10,5% no número de doações de sangue no Hemocentro de São Luís. Ano passado, foram registradas 50.656 doações, enquanto no ano anterior, foram 56.579.  

Quando a comparação é da hemorrede, formada pelo hemocentro de São Luís e hemonúcleos de Santa Inês, Caxias, Balsas, Pedreiras, Codó, Imperatriz e Pinheiro, a queda das doações é de 18,5%, com 107.169 doações, em 2019, e 87.354, em 2020. 

Comparando o primeiro trimestre de 2021 com o mesmo período de 2019 (pré-pandemia), houve redução de 2,3% de doações no hemocentro, com respectivamente 12.392 e 12.673 doações feitas. Na hemorrede, a queda foi de 14,8%, com 25.426 (2019) e 21.682 (2021).

“Parecer não é maior que o bom senso e as leis”, Dino sobre uso da máscara

O governador do Maranhão, Flávio Dino, também reagiu com indignação nesta sexta-feira, dia 11, a intensão do governo Bolsonaro em desobrigar o uso da máscara.

Para o governador, o ‘parecer’ que foi cobrado ao ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, sobre a desobrigação é inconcebível no que tange ao bom senso e as leis.

“Parecer não é maior do que o bom senso. E nem do que as leis. USAR MÁSCARAS salva a sua vida e a do próximo”, disse Dino no twitter.

Durante coletiva de imprensa realizado hoje em Genebra, a porta voz da OMS (Organização Mundial da Saúde), Margaret Harris, questionada sobre o uso da máscara deixou claro ser muito importante para prevenção e recomendou o uso.

“Deixamos a cada país tomar sua decisão, mas essa é a nossa recomendação (..) Vacinas são muito boas para evitar doenças. Mas ela não é um tratamento e só agem se você já foi infectado (..) O que queremos é reduzir a transmissão da doença e não sabemos se as vacinas podem evitar transmissão (..) Usar a máscara, portanto, é para prevenir a transmissão”, disse Harris.

Especialistas consideram temerária e trágica a medida de desobrigação do uso da máscara, o Brasil caminha rapidamente para atingir a marca de 500 mil mortos por Covid-19, com apenas 11% da população imunizada com as duas doses da vacina.

‘.. fiquei feliz com a nova posição do governo dos EUA..’, Dino sobre quebra de patentes

O governo dos EUA decidiu apoiar nesta quarta-feira, dia 5, a ideia de suspender patentes de vacinas e juntar aos países emergentes na OMC (Organização Mundial de Comércio).

A decisão do governo Biden está sendo considerada histórica. O Brasil que já foi a favor da medida, mas desde o ano passado passou ser contra, se alinhando ao então governo de Donald Trump.

O governador do Maranhão, Flávio Dino (PCdoB), lembrou nas redes sociais que mês passado numa reunião virtual dos governadores com a Secretária Geral Adjunta da ONU, defendeu a suspensão temporária das patentes de vacinas.

Justiça proibe Bolsonaro de adotar medidas contra Isolamento Social

 

BOçal
Foto: Reprodução

O presidente Bolsonaro e seu governo estão proibidos de adotarem medidas contra o isolamento social, recomendação da Organização Mundial de Saúde para prevenção do novo coronavírus.

Dois decretos do presidente que ia nesse sentido foram suspensos, o que classificava as igrejas e casas lotéricas como serviços essenciais, o que, na prática, permitia o funcionamento desses estabelecimentos, mesmo em estados em que os governos municipais ou estaduais tivessem proibido aglomerações.

O pedido foi feito pelo Ministério Público Federal (MPF). Na decisão, o juiz da 1ª Vara Federal de Duque de Caxias, Márcio Santoro Rocha, determinou que o governo federal e a prefeitura da cidade de Duque de Caxias, “se abstenham de adotar qualquer estímulo à não observância do isolamento social recomendado pela OMS”, a multa em caso de desobediência é de R$ 100 mil.

O presidente vem afirmando que o isolamento social não é a medida mais eficaz contra a pandemia do coronavírus. Com os dados e os conselhos da Organização Mundial da Saúde (OMS), Ministério da Saúde, secretarias estaduais da saúde e maiores cientistas de todo mundo, é possível afirmar que ou o presidente está mentindo ou está extremamente mal informado.

Para Bolsonaro, quem tem seguido os conselhos dos órgãos acima mencionados, está agindo com “histeria”. Sem apresentar um dado científico, o presidente tem pedido abertamente, inclusive em campanha bancada com dinheiro público, para as pessoas voltarem as atividades normal.

O coronavírus já vitimou fatalmente 23.335 seres humanos no mundo e já contaminou 509.164 pessoas. Estamos falando de meio milhão de vidas.

No Brasil a situação não é nada esperançosa. Em um mês desde que a doença chegou por aqui, são 3.417 pessoas infectadas e 92 mortos. (Informações Congresso em Foco)

Presidente do Senado Davi Alcolumbre está com o Coronavírus

 

15492279765c5757c875997_1549227976_3x2_md
Davi Alcolumbre (DEM-AP), Presidente do Senado/Foto: Reprodução

A assessoria do Senado Federal, confirmou através de nota, nesta quarta-feira (18), que o senador Davi Alcolumbre (DEM-AP), testou positivo para o novo coronavírus. Ele está em isolamento domiciliar.

Nota

Depois de o primeiro exame dar negativo, o presidente do Congresso Nacional, senador Davi Alcolumbre, refez o exame na noite de ontem (17) e, nesta quarta-feira (18), atestou positivo para Covid-19.

Davi Alcolumbre, no entanto, está bem, sem sintomas severos, salvo alguma indisposição, e segue em isolamento domiciliar, conforme determina o protocolo de conduta do Ministério da Saúde e a OMS.

Projetos do Maranhão na área de Saúde serão modelo para América Latina

 

saude
Representantes da OPAS estiveram reunidas com o governador Flávio Dino nesta quinta-feira (11). (Foto: Handson Chagas).

A sala CUIDAR, rede de atenção às urgências e emergências obstétricas, e a Casa de Apoio Ninar, que presta assistência especializada a crianças com problemas de neurodesenvolvimento e seus familiares, servirão de modelo para implantação de políticas públicas de saúde na América Latina.

A afirmação foi feita por Suzanne Serruya, diretora do Centro Latino-Americano de Perinatologia, Saúde da Mulher e Reprodutiva, da Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS), braço latino-americano da Organização Mundial da Saúde (OMS).

Serruya e outras representantes da OPAS estiveram reunidas com o governador Flávio Dino na manhã desta quinta-feira (11), no Palácio dos Leões, para discutir os avanços da saúde materno-infantil no Maranhão e os novos passos do trabalho em conjunto das instituições no estado.