Flávio Dino mostra para Assis Ramos como deve ser relação entre entes federativos

 

O governador do Maranhão, Flávio Dino (PCdoB), voltou nesta quinta-feira (18), tratar no twitter sobre a polêmica criada pelo prefeito, Assis Ramos (DEM), em relação à situação de infraestrutura das ruas em Imperatriz.

O governador que havia classificado o comportamento do prefeito de ‘baixaria’, usou exemplos de agendas esta semana em São Luís, com ministros do governo Bolsonaro, para mostrar que divergências políticas, ideológicas e eleitorais não devem impedir uma postura respeitosa e responsável entre representantes da federação.

“Nosso governo mantém o diálogo respeitoso com o governo federal, em busca de parcerias e medidas que possam ajudar o Maranhão. Nesta semana, recebemos a visita no nosso Estado do Ministro da Ciência e Tecnologia e do Ministro do Meio Ambiente”, destacou Flávio.

ministros
Marcos Pontes (Ministro de Ciência e Tecnologia) e o governador Flávio Dino/Foto: Reprodução
ministros 1
Ricardo Salles (Ministro do Meio Ambiente) e o governador Flávio Dino/Foto: Reprodução

“Divergências políticas não podem impedir o diálogo entre os entes da Federação, tampouco entre partidos e correntes de opinião diversas. Exerço meu direito de oposição, porém jamais com intolerância, desrespeito pessoal ou ódios. O Brasil  precisa proteger a democracia”, acrescentou Flávio Dino.

“A mesma coisa faço aqui em relação aos municípios. Defiro cessão de funcionários para prefeituras governadas pela oposição e tenho obras em todas elas. Só considero incabíveis mentiras e agressões pessoais. Mesmo assim, mantenho as ações do governo nas cidades”, lembrou o governador sobre a relação com todos municípios.

Flávio Dino sobre polêmica criada pelo prefeito de Imperatriz

 

resposta de flavio
Governador Fávio Dino/Foto: Reprodução

“Não respondo a agressões pessoais de baixo nível. Sempre estou lutando para resolver os problemas. Alguém já me viu “exigindo” que o governo federal tape buraco de estrada MA, de competência estadual ? Esse tipo de grosseria e disparate não condiz com a minha formação”, disse Flávio Dino no twitter.

Márcio Jerry chama Assis Ramos de ‘ingrato’, ‘incapaz’ e ‘falso’ por culpar o governador pelos estragos em ITZ

 

marcio e assis
Deputado Márcio Jerry e o Assis Ramos Prefeito de Imperatriz/Foto: Reprodução

Trajando uma camisa do Imperatriz, Campeão Maranhense de Futebol em 2019, acompanhado de assessores em uma rua com pavimentação destruída e que leva o nome do pai do governador, o prefeito Assis Ramos, gravou um vídeo e postou nas redes sociais cobrando Flávio Dino e dizendo que ele não está fazendo nada pelo povo e cidade de Imperatriz.

Aliado do governador, o deputado federal Márcio Jerry, reagiu tão forte quanto as chuvas que castigam o Maranhão, a atitude do prefeito Assis Ramos de transferir a obrigação de recuperar os estragos causados pelas chuvas em Imperatriz, ao governador Flávio Dino.

Márcio Jerry classificou Ramos de “ingrato” e outros adjetivos nada gentis ao prefeito.

“Assis, o ingrato, tenta esconder as ações do Governo do Maranhão no município de Imperatriz. Não consegue porque são muitas, importantes, permanentes. Mas ele também é Assis, o falso, que comparece aos eventos do Governo para agradecer e depois, covardemente, fala mal”, reagiu Jerry.

“Assis, siga o exemplo do governador Flávio Dino e de seus auxiliares: se dedique à querida Imperatriz, respeite o bravo povo imperatrizense, trabalhe!!!”, acrescentou o deputado.

Também nas redes sociais, o prefeito Assis Ramos respondeu às criticas do deputado Márcio Jerry. De acordo com o prefeito sua reclamação e cobranças não foram direcionadas ao deputado. Márcio Jerry também voltou se posicionar.

“A assessoria do prefeito Assis, o faz nada, redigiu um texto para ele assinar respondendo as minhas críticas à postura oportunista dele de querer esconder a incompetência acusando o governador por este não “tapar os buracos” das ruas de Imperatriz”, disse Márcio Jerry.

Dutra é acionado na Justiça por contratação irregular no setor de trânsito

 

dutra
Domingos Dutra (Prefeito de Paço do Lumiar)/Foto: Reprodução

O prefeito Domingos Dutra terá que enfrentar mais uma ação na Justiça contra sua gestão em Paço do Lumiar. No último dia 20 de fevereiro o Ministério Público ingressou com Ação de Improbidade contra ele e alguns assessores.

O objetivo da Ação de Improbidade é anular os efeitos do decreto ilegal que justifica o desvio de função de servidores municipais para trabalharem temporariamente como agentes de trânsito no município.

Além de Dutra estão sendo acionados na Justiça o Pádua Nazareno (Secretário de Mobilidade Urbana); Renato Valdeilson Ribeiro (Coordenador Municipal de Trânsito); e Cristiano Aguiar Oliveira (Assessor Jurídico da Secretaria Municipal de Infraestrutura).

De acordo com a promotora de justiça Gabriela Brandão da Costa Tavernard, o prefeito Domingos Dutra editou, em 27 de julho de 2017, o Decreto nº 3.118 regulamentando o processo seletivo interno para o exercício temporário de agente de trânsito para atender as necessidades da Coordenação de Trânsito de Paço do Lumiar, mas a medida contraria a legislação.

O decreto estabelecia que servidores efetivos participariam de um processo seletivo realizado pela Secretaria Municipal de Infraestrutura, Urbanismo, Transporte e Trânsito e, após classificação e avaliação de conhecimento referente às atribuições do cargo, seriam investidos na função de agente de trânsito pelo período de um ano, prorrogável por igual período, até a realização de concurso público para preenchimento dos cargos.

A Lei Municipal nº 670/2015 alterou a estrutura administrativa e criou a Coordenação de Trânsito e cinco cargos de agentes de trânsito. Posteriormente, com Lei nº 751, de 23 de agosto de 2018, foi ampliado o número de vagas 25 cargos de agente de trânsito com remuneração até o limite de R$ 2.500 mil.

Em depoimento ao MPMA, Pádua Nazareno informou que o seletivo seria uma etapa indispensável para a municipalização do trânsito em Paço do Lumiar atendendo as exigências do Denatran. O secretário também afirmou que o seletivo só foi realizado porque um concurso público demandaria mais tempo para ser concluído. Ele afirmou que o edital teria sido divulgado em todos os murais das secretarias e teve seis servidores inscritos. Destes, cinco cumpriam os pré-requisitos previstos no Decreto 3.118/2017.

Porém, o referido decreto foi assinado em 27 de julho de 2017, com publicação no Diário Oficial em 6 de outubro. A ata de instalação e deliberações da comissão do seletivo é de 9 de outubro, assim como o edital, publicado em 14 de novembro. Em março de 2018 foi realizado o curso de formação dos agentes de trânsito e, em agosto, os servidores foram deslocados para exercer a função.

“Portanto, decorrido o período de um ano entre a edição do Decreto nº 3.118/2017 e o deslocamento dos servidores para trabalharem no trânsito, intervalo de tempo mais que suficiente para realização de concurso público”, afirmou, na ACP, a promotora de justiça.

A titular da 1ª Promotoria de Justiça de Paço do Lumiar destaca, ainda, que o cargo de agente de trânsito compõe a estrutura administrativa municipal, tratando-se de cargo efetivo a ser provido mediante concurso público, cujas funções específicas deverão ser exercidas por servidor legalmente investido neste cargo, ou seja, aprovado em concurso público.

Na ACP, Tavernard classifica o seletivo como um “artifício para burlar o concurso público”. Outra ilegalidade, apontada pelo Ministério Público, é a falta de designação formal dos servidores selecionados. Segundo suas próprias declarações, receberam telefonemas ou mensagens via aplicativo whatsapp para que passassem a trabalhar como “orientador do trânsito”, jamais uma comunicação formal ou um documento designando-os para o exercício de funções diversas daquelas do cargo originalmente ocupado.

Além da condenação do prefeito e dos demais demandados por improbidade administrativa, o MPMA requer a condenação deles ao pagamento do dano moral difuso no valor de R$ 20 mil, por pessoa.

(Informações do Ministério Público do Maranhão)

Prefeito de São Luis Gonzaga, Dr. Júnior, é eleito Presidente da AMMM

 

Dr
Dr. Júnnior (Prefeito de São Luis Gonzaga) e novo Presidente da Associação dos Municípios do Médio Mearim /Foto: Reprodução

O médico Francisco Pedreira Martins Junior, o Dr. Junior (PDT), foi eleito nesta sexta-feira (15), Presidente da Associação dos Municípios do Médio Mearim (AMMM). Ele está no exercício do primeiro mandato de Prefeito em São Luís Gonzaga do Maranhão.

Após eleito presidente da Associação, Dr. Júnior disse que pretende pautar sua gestão no diálogo e melhorar a parceria da AMMM com a FAMEM (Federação dos Municípios do Maranhão), que também está sob nova direção do prefeito Erlanio Xavier, de Igarapé Grande, e do mesmo partido do prefeito de São Luís Gonzaga.

“Vamos dialogar com todos os prefeitos da região e fortalecer os vínculos com a Famem, para que as cidades do Médio Mearim tenham força na busca por recursos, para melhorar a vida das pessoas” destacou Dr. Júnior.

A Associação dos Municípios do Médio Mearim é composta pelos municípios de Altamira do Maranhão, Bacabal, Brejo de Areia, Bom Lugar, Conceição do Lago Açu, Lago Verde, Marajá do Sena, Olho D’gua das Cunhas, Paulo Ramos, São Luís Gonzaga e Vitorino.

Luciano Leitoa cobra responsabilidade dos vereadores com o povo de Timom

 

luciano-leitoa-prefeito-de-timon
Luciano Leitoa (Prefeito de Timom)/Foto: Reprodução

A Câmara Municipal da cidade de Timom ainda não aprovou a Lei Orçamentária do Município para o exercício 2019. O motivo é a disputa política entre o governo e oposição que se acirrou desde o resultado da eleição da Mesa Diretora ocorrido na semana passada.

A demora na definição da medida poderá trazer sérios problemas ao município.

Para explicar a gravidade da situação e fazer um apelo aos vereadores para votarem e aprovarem o orçamento, o prefeito Luciano leitoa (PSB), reuniu sua equipe de governo e através de um vídeo postado nesta terça-feira (8), na sua conta no facebook explicou as consequências da não votação e aprovação da Peça Orçamentaria, que poderá causar sérios prejuízos na prestações de serviços à população, inclusive no pagamento dos servidores públicos municipais.

Caso Ivanildo Paiva: Famem destaca trabalho da Polícia do Maranhão

 

12.jpg
Foto: Reprodução

A Confederação dos Municípios do Estado do Maranhão (Famem), reconheceu o empenho e resposta rápida do trabalho do Sistema de Segurança Pública, com relação ao assassinato do prefeito de Davinópolis, Ivanildo Paiva, 57 anos, cujo corpo foi encontrado no dia 11 de novembro deste ano, nas proximidades de uma  propriedade da vitima.

O presidente da Federação dos Municípios do Estado do Maranhão (Famem), Cleomar Tema, voltou se reunir nesta quinta-feira (27), com a cúpula do Sistema de Segurança para agradecer e reconhecer o trabalho da Polícia maranhense no esclarecimento do crime e prisão dos suspeitos.

O caso teve grande repercussão pela violência aplicada para assassinar Ivanildo Paiva. Ele foi alveja com vários tiros quando se encontrava na própria fazenda, localizada no município de Davinópolis.

O último preso suspeito de envolvimento crime foi o empresário e fazendeiro Antônio José Messias, 62 anos, conhecido por “Messias do Pneu Zero”. Ele foi na noite de ontem quarta-feira (26), em Imperatriz. Ele é acusado de ser um dos mandantes do crime.

Segundo a polícia, “Messias do Pneu Zero”, possui negócios na cidade de Davinópolis e concorreu por duas vezes à Presidência da Câmara Municipal, sem obter sucesso.

Outros presos suspeitos de envolvimento no crime já haviam sido presos e identificados Como: Francisco de Assis Bezerra Soares, conhecido como “Tita”, policial militar no Pará detido em Dom Elizeu; José Denilton Guimarães, o “Boca Rica”, que é mecânico; Willame Nascimento da Silva, policial militar do Maranhão lotado em Grajaú; e Jean Dearlen dos Santos, o “Jean Listrado”, que, segundo as investigações, é pistoleiro.

Tita e José Guimarães, segundo a polícia, foram os responsáveis pela articulação para a contratação dos assassinos. E segundo a Polícia Civil, Jean Listrado e Willame da Silva foram chamados para serem os executores.