Transporte Coletivo volta operar nesta quinta, dia 31, em São Luís

Após nova audiência no TRT-MA, nesta quarta-feira, dia 30, com representantes da Prefeitura de São Luís, Sindicato dos Rodoviários e do sindicato patronal (SET), as partes chegaram a um entendimento e a greve no sistema de transporte coletivo na capital acabou.

“Depois de todos esses meses de intensas negociações e a deflagração de um movimento grevista que durou mais de 40 dias, chegamos a um percentual, em que poderíamos sentar retomar as discussões. De fato, 8% de reajuste nos salários e no ticket, não é o ideal, mas sem dúvida, não deixa de ser uma importante conquista, já que durante todo esse tempo, não tínhamos a garantia nem de 1% de aumento em nossos salários. A luta foi difícil, foi árdua, inclusive, com mandados de prisão expedidos para toda a diretoria do nosso sindicado, mas mesmo diante de todas essas situações, conseguimos garantir o nosso reajuste. Essa vitória é de todos nós, companheiros!”, destacou Marcelo Brito, presidente do Sindicato dos Rodoviários.

O município apresentou a seguinte proposta: manutenção do pagamento referente ao Cartão Cidadão, no valor de um milhão e meio de reais. Além disso, se comprometeu em fazer o repasse que garante o reajuste de 8%, tanto nos salários, como no ticket alimentação dos trabalhadores Rodoviários.

Os empresários ainda tentaram não aceitar a proposta, mesmo a Prefeitura se comprometendo em assumir as despesas que seriam obrigação deles com o reajuste dos trabalhadores.

A desembargadora do TRT-MA, bateu o martelo e acatou a proposta da Prefeitura. Com a decisão, o sistema de transporte público em São Luís, volta a operar normalmente nesta quinta-feira (31).

Acordo entre Empresários e Rodoviários não avança em São Luís

Mais uma audiência de conciliação entre Rodoviários e Empresários esta semana, com intermediação do TRT-MA, não avança e uma nova tentativa de entendimento ficou para próxima sema.

O encontro contou ainda com representantes da Município (SMTT) e Estado (MOB).

“Até quarta-feira (16), seguiremos com a frota de ônibus reduzida, acatando determinação do TRT-MA, para que circule o mínimo de 60% dos coletivos. Depois da pressão do desembargador Carvalho Neto, que entende os prejuízos contabilizados pelo movimento grevista, estamos confiantes de que teremos uma resposta positiva, para as reivindicações dos trabalhadores. Esperamos que isso de fato, se concretize até quarta”, destacou Marcelo Brito, Presidente do Sindicato dos Rodoviários do Maranhão.

Os Rodoviários exigem: 15% de reajuste salarial; 800 reais de ticket alimentação e manutenção do plano de saúde concedido aos trabalhadores. Mas, os empresários alegam não terem condições. Eles disseram na reunião que os vinte centavos reajustados no valor das tarifas de ônibus, não cobrem o rombo financeiro nas contas do setor.

O Presidente do TRT-MA, Francisco José de Carvalho Neto, também pediu esclarecimentos do Município, já que é quem regulamenta o serviço em São Luís. No entendimento do Presidente do TRT-MA, uma solução para esse impasse, precisa ser tomada com urgência.

Braide ratifica que não terá aumento na passagem em São Luís

O prefeito de São Luís, Eduardo Braide (Podemos), concedeu entrevista à TV Mirante, nesta segunda-feira, dia 25, onde repetiu o que havia dito antes no inicio da greve do transporte coletivo na capital.

O prefeito tem sido muito cobrado para adotar providencia em razão da paralização.

O próprio Braide, ontem domingo, dia 24, usou as redes sociais para informar sobre a entrevista, onde falaria a respeito da paralização que entrou hoje no quinto dia, com 100% da frota parada.

No sábado (23), empresários do setor transportes coletivo e trabalhadores tentaram um entendimento, mediado pelo desembargador, José Evandro de Souza, mas sem nenhum avanço.

Hoje às 15 horas, as partes voltarão se reunir no O Ministério Público do Trabalho no Maranhão.

Empresários não cumprem acordo e população é prejudicada em São Luís

 

onibus
Empresáros não cumprem acordo com rodoviários e São Luis amanhece sem ônibus/Foto: Reprodução

Empresários e Rodoviários não se entendem e a população de São Luís volta ser prejudicada com paralisação de ônibus na manhã desta terça-feira (26), em São Luís. Milhares de usuários na capital maranhense estão buscando outras alternativas para chegarem ao trabalho, assim como cumprir outras obrigações.

O movimento ocorre nas principais empresas do transporte coletivo da capital, entre elas: 1001, Primor, Taguatur, Ratrans e Ratrans.

De acordo com o Sindicato dos Rodoviários, em dezembro de 2018, o TRT (Tribunal Regional do Trabalhoh) intermediou um um cordo entre as partes para garantir direitos dos trabalhadores que não foi cumprido pelos patrões. Por essa essa razão os funcionários das empresas que não estão circulando com apoio do Sindicato, cruzaram os braços.

Motoristas e cobradores do transporte coletivo atribuem a paralisação a incapacidade da Justiça do Trabalho, Prefeitura e Empresários em encontrarem uma solução para situação. Segundo eles, os ônibus só voltarão circular após o acordo ser cumprido.