Para evitar confusão 51% deixaram de falar em política no WhatsApp

 

whatsApp

Pesquisa Datafolha divulgada nesta terça-feira (24), pelo jornal  Folha de S. Paulo mostra que mais da metade da população brasileira (51%) desistiu de comentar sobre política só no WhatsApp. A motivação foi para evitar brigas e confusões principalmente com parentes e amigos.datafolha2-677x1024

O estudo também demonstra que 59% dos entrevistado acreditam que as redes sociais divulgam mais fake news assim desinformando, mas 77% acha que as redes dão voz aos ‘anônimos’ na sociedade.

O número de pessoas que seguem o presidente Jair Bolsonaro de acordo com a pesquisa é de 18%. Sobe para 27% em simpatizantes do PSL e 31% nos que ganham mais de 10 salários mínimos.

54% acreditam que as redes sociais são importantes para a classe política saiba o que a sociedade está discutindo, e 48% acham importantes canais de criação de movimentos sociais e políticos.

A pesquisa ouviu 2.948 pessoas nos últimos dias 5 e 6, em 176 cidades do país. A margem de erro é de dois pontos percentuais, para mais ou para menos. As respostas da pesquisa se referem a comportamentos adotados de dezembro de 2018 a dezembro de 2019.

Prefeito de São Luís lamenta selvageria no Centro Histórico e diz que não será tolerado

O prefeito Edivaldo Holanda Junior (PDT) lamentou nesta segunda-feira (2), a confusão ocorrida na noite de domingo (1º), no Centro Histórico de São Luís. As imagens e vídeos de selvagerias envolvendo jovens se espalharam rapidamente nas redes sociais.

Edivaldo Holanda Junior disse está adotando providencias para que não volte ocorrer.

prefeito centro

Deputado Fábio Macedo pede desculpas pela confusão que se envolveu no PI

 

IMG-20190309-WA0069
O cantor Léo Cachorrão e o deputado Fábio Macedo/Foto: Reprodução

A detenção e condução do deputado do Maranhão, Fábio Macedo (PDT), na madrugada deste sábado (9), em Teresina, capital do Piauí, continua repercutindo principalmente nas redes sócias.

De acordo com as informações, ele foi conduzido à delegacia após se envolver numa briga com o cantor Léo Cachorrão, durante uma festa na capital piauiense. Na confusão ele teria lesionado um musico na altura da testa, e durante a condução um policial militar foi ferido na mão.

Vídeos e áudios do momento da ação policial se espalharam rapidamente em na internet e redes sociais. Além das acusações de agressão contra o parlamentar, um áudio registra graves ameaças contra policias, atribuídas ao parlamentar.

Segundo o Portal GP1, ao ser ouvido na unidade policial onde foi registrada a ocorrência, Léo Cachorrão informou que a confusão começou por volta das 3h40 da madrugada, quando se apresentava e o deputado pediu para cantar uma música sendo permitido. Mas, quando Fábio Macedo pediu para cantar novamente e ele negou, o deputado teria se irritado e atirado um copo em sua direção que atingiu um dos músicos na testa, que foi levado a uma unidade de saúde em seguida também prestou depoimento na delegacia.

Em principio o deputado seria autuado em flagrante, mas o procedimento acabou se limitando a um TCO (Termo Circunstanciado de Ocorrência), neste caso o acusado é liberado após pagamento de fiança.

Na tarde deste sábado (9), o deputado Fábio Macedo, usou as redes sócias para se desculpar com seus eleitores e o povo do Maranhão. Ele atribui o episódio a problemas de depressão e alcoolismo.

nota

nota2

Em vídeo deputada Tabata Amaral fala do imbróglio com Hildo Rocha

 

agora.jpeg
Tabata Amaral (PDT-SP) e Hildo Rocha (MDB-MA)

Nesta quinta-feira (31), a deputada federal Tabata Amaral (PDT-SP) divulgou um vídeo contando a surpresa e constrangimento que viveu ao chegar no apartamento funcional que vai morar em Brasilia e não poder entrar, porque o filho do deputado federal Hildo Rocha (MDB-MA), está morando no local.