Genial/Quaest: Lula abre 18 pontos e venceria no 1º turno

A 12ª rodada da Pesquisa Genial/Quaest divulgada nesta quarta-feira, dia 8, mostra Lula com 47% das intenções de votos contra 29% de Bolsonaro, diferença de 18 pontos, o que garantiria vitória do petista no 1º turno.

De acordo com Felipe Nunes, diretor da Quaest, os números são muito ruins para Jair Bolsonaro, mas dois aspectos se destacam: o índice de rejeição do presidente e do governo, e a situação econômica.

“..Há algumas formas de explicar o favoritismo de Lula. A primeira é a rejeição dos candidatos: na disputa entre os menos piores, Lula tem a menor taxa de rejeição entre os candidatos competitivos 40%, Bolsonaro tem a maior 60% (..) A péssima percepção do eleitor sobre a situação econômica atual também ajuda a entender porque Lula está na frente: para 44% dos brasileiros, a economia é o principal problema enfrentado pelo país atualmente..”, destaca Felipe Nunes.

A pesquisa perguntou sobre a percepção do eleitor em relação a vida durante os governos. Nesse quesito Bolsonaro tem outro problema, porque enfrenta o candidato cujo governo é considerado por 62% dos eleitores como o melhor da história. Até eleitores adversários reconhecem isso.

Genial/Quaest ouviu 2000 entre 2 e 5 de maio de modo presencial domiciliares em 120 municípios. A margem de erro é de 2  pontos e 95% de confiabilidade. Está registrada no TSE com número BR-03552/2022.

Maranhão cria quase 6 mil empregos com carteira assinada

O Maranhão criou 5.773 novos empregos com carteira assinada de janeiro a março deste ano. Os dados são do Ministério da Economia, do governo federal. 

Somente em março, foram gerados 1.618 postos de trabalho formais. Foi o segundo maior crescimento em todo o Nordeste. 

Este é o sexto ano seguido em que o Maranhão cria novas vagas com carteira assinada. Além disso o número vem crescendo ano a ano, de acordo com o Caged (Cadastro Geral de Empregados e Desempregados). 

Em 2017, o saldo positivo tinha sido de 1.221 postos formais. Em 2018, subiu para 9.649. Em 2019, foram geradas 10.707 vagas. Em 2020, foram 19.753 empregos com carteira assinada. E, em 2021, 40.605. 

O ambiente de negócios saudável, o incentivo às empresas, a parceria entre público e privado e os investimentos do Governo do Maranhão são alguns dos fatores que explicam a alta dos empregos formais no Estado.

‘Passaporte Vacinal protege a população e a economia’, diz Othelino

O deputado Othelino Neto (PCdoB), defendeu nesta sexta-feira, dia 14, seu projeto que determina apresentação do ‘Passaporte Vacinal’ contra a Covid-19 para acesso a estabelecimentos e eventos em geral, no estado.

Para ele a medida tem objetivo de proteger não só a população, mas, também, a atividade econômica.

“..Esse é o objetivo do projeto, proteger as pessoas e, também, a economia. Se nós não adotarmos iniciativas como essa e a rede hospitalar continuar sendo pressionada de forma crescente, medidas mais proibitivas acabarão se impondo, o que será prejudicial para a atividade econômica e para a vida das pessoas (..) Esse projeto de lei não visa tirar a liberdade de ninguém, mas garantir a liberdade daqueles que querem cuidar da sua saúde e, claro, respeitando a vida dos outros (..) temos até o início de fevereiro para que possamos, inclusive, aperfeiçoar o projeto. Por isso, esse período vai ser importante para que a gente possa acrescentar ou fazer alguma modificação no texto. A expectativa é de que, ainda no mês de fevereiro, seja aprovado pela Assembleia e encaminhado para a manifestação do governador Flávio Dino..”, destacou Othelino.

A iniciativa visa conter o aumento de novos casos de infecção pelo coronavírus e evitar que ações mais restritivas sejam tomadas, a exemplo do que vem acontecendo em outros países, principalmente na Europa, onde restrições a pessoas não vacinados já estão em vigor.

No Brasil, pelo menos 19 cidades já adotaram a obrigatoriedade do passaporte vacinal.

AL-MA concederá auxilio de R$ 500 aos funcionários

O deputado Othelino Neto (PCdoB), presidente da Assembleia Legislativa do Maranhão, anunciou nas redes sociais na noite desta segunda-feira, dia 13, a concessão de auxílio no valor de R$ 500 para os servidores do Poder Legislativo.

O valor será pago em janeiro de 2022 em parcela única.

Dino é contra ‘solução’ de Guedes e Bolsonaro para Petrobras

O governador do Maranhão, Flávio Dino (PSB), contestou nesta terça-feira, dia 26, o presidente Bolsonaro e o ministro da Economia, Paulo Gudes, que voltaram defender a privatização da Petrobras.

Ao contrário do que deseja Paulo Guedes, que para agradar o mercado quer privatizar tudo, principalmente a Petrobras, para Flávio Dino, ‘a solução não é privatização. É exatamente o contrário: desprivatização’.

O ministro da Economia, Paulo Guedes, em evento que contou com prensa do presidente Jair Bolsonaro, ontem segunda-feira, dia 25, defendeu a venda da Petrobras para ampliar investimentos públicos e em tecnologia e bancar gastos sociais.

Maranhão foi o 2º no NE com melhor resultado na balança comercial

O Maranhão teve o segundo melhor resultado na balança comercial de 2020 em todo o Nordeste, com saldo de US$ 1,39 bilhão.

Mesmo estados com economias maiores que o Maranhão não atingiram resultado melhor. Só a Bahia conseguiu desempenho melhor no Nordeste, com US$ 2,9 bilhões. 

O saldo é a diferença entre o que foi exportado e o que foi importado no mesmo período.

É importante ter um saldo positivo na balança comercial porque isso significa uma economia competitiva. Entre todos os estados brasileiros e o Distrito Federal, 16 tiveram saldo positivo e dez foram negativos.

Maranhão é destaque em investimentos em obras e serviços

O Maranhão foi o Estado do Nordeste com o maior percentual de investimentos públicos em 2020, de acordo com a Secretaria do Tesouro Nacional do Governo Federal.

O índice chegou a 10% em relação à Receita Total, num ano impactado pela pandemia e pela crise econômica. A liderança na região é divida com o Ceará, que também alcançou 10%. 

Levando em conta o país todo, o Maranhão ocupa o terceiro lugar no ranking de investimentos. 

Investimentos públicos representam novos serviços e novas obras para a população. Podem ser estradas, atendimentos de saúde, hospitais e opções de lazer. 

As informações sobre os investimentos estão no Relatório Resumido de Execução Orçamentária (Foco Estados + Distrito Federal), do Tesouro Nacional, que faz um Raio-X sobre as contas públicas desses entes federativos. 

A secretária de Planejamento e Orçamento do Maranhão, Cynthia Mota Lima, lembra que os investimentos andam de mãos dadas com a responsabilidade fiscal. Ou seja, o Maranhão não gasta mais do que pode. 

“O alto volume de investimentos é fruto da junção de responsabilidade fiscal e responsabilidade social, as duas precisam andar juntas para movimentarmos a economia, gerando renda e oportunidade de emprego para a nossa população”, afirma a secretária. 

Demais estados

Os dois estados que conseguiram percentual acima do maranhense foram Paraná (12%) e Espírito Santo (11%). Ceará e Pará igualaram os 10% do Maranhão e também estão na terceira posição no ranking nacional.

Othelino anuncia antecipação do 13º salário na Assembleia Legislativa

O deputado Othelino Neto (PCdoB), presidente da Assembleia Legislativa do Maranhão, anunciou hoje terça-feira, dia 6, antecipação da primeira parcela do 13º dos servidores da Casa para terça-feira, dia 13 de abril. 

É opcional ao servidor da Assembleia Legislativa receber ou não a antecipação da metade do 13º.

“Muitos perderam familiares, outros perderam amigos. Nós antecipamos o 13º como uma forma de auxiliar nesse momento difícil e, claro, fazer circular mais dinheiro na cidade, para que possamos diminuir um pouco as dificuldades econômicas que o Estado todo vem enfrentando, especialmente das atividades mais atingidas (..) Caso não queira, deve se dirigir à Diretoria de Recursos Humanos da Casa e informar que prefere receber no mês de dezembro”, destacou Othelino.

“Se governadores bancarem o auxilio emergencial, o presidente prova sua inutilidade”, diz Dino

A coluna Painel da Folha de SP, destaca neste sábado, dia 27, a reação de vários governadores, entre eles, o governador Flávio Dino (PCdoB), em relação a declaração do presidente Bolsonaro de que, governadores que “fecharem seus estados” devem custear o auxílio emergencial.

De acordo com Dino, se os governadores tiveram que criar o auxilio emergencial, em razão de medidas mais duras no enfrentamento à pandemia, o presidente Bolsonaro e seu governo estará assinando uma especie de atestado de inutilidade.

“Se os governadores tiverem que bancar até o auxilio emergencial, aí mesmo é que o presidente da República vai provar sua inutilidade (..) O desequilíbrio de Bolsonaro é proporcional a tragédia humana que o negacionismo provocou no Brasil”, destacou Flávio Dino.

O presidente Bolsonaro em agenda ontem sexta-feira, dia 26, em Fortaleza no Ceará, voltou provocar aglomeração, anunciou o auxílio emergencial por mais alguns meses, e atacou os governadores que, segundo ele, estão prejudicando a economia com medidas restritivas contra a Covid-19.

“LDO e orçamento sem debate e sem acompanhamento da sociedade”, Márcio Jerry sobre votação

O deputado Márcio Jerry, vice-líder do PCdoB na Câmara Federal, lamentou às circunstância em que deverá ser votado no Congresso Nacional, nesta quarta-feira, dia 16, a LDO (Lei de Diretrizes Orçamentaria) sem análise prévia da CMO (Comissão Mista de Orçamento).

“..Apreciaremos a LDO sem ainda ter sido instituída a Comissão Mista de Orçamento e sem previsão para aprovar o orçamento (..) LDO e orçamento sem debate no parlamento e sem acompanhamento da sociedade é um desses absurdos do momento. A crise da pandemia não justifica de modo algum estarmos até agora sem a CMO instituída e funcionando..”, questionou Márcio jerry.

O deputado federal, Márcio Jerry, também criticou o fato de que a eleição na Câmara Federal, tenha impedido a instalação e o trabalho da Comissão Mista de Orçamento, no momento em que sua função seria imprescindível, uma vez que há “questões graves” envolvendo a economia do país.

“Impasses políticos que tem como pano de fundo a sucessão na Mesa da Câmara impediram a instalação e funcionamento da CMO, num momento em que questões graves da economia refletidas no orçamento precisam ser ampla e profundamente debatidos”, acrescentou o deputado.

O relator da matéria é o senador Irajá Abreu (PDT-TO), ele aceitou a proposta do governo de flexibilizar a meta fiscal em cerca de R$ 247 bilhões para o resultado primário, rejeitando a ideia de uma meta flexível de trabalhar.