Produtividade da AL-MA superou em 200% anos 2019 e 2020

O deputado estadual, Othelino Neto (PCdoB), presidente da Assembleia Legislativa a imprensa nesta quarta-feira, dia 22, para apresentar o balanço das atividades do Parlamento Estadual em 2021.

Othelino destacou de inicio o que chamou de ‘recorde histórico de produtividade da Casa’, com mais de 7 mil proposições apreciadas pelo Plenário superior a 200% em relação aos anos de 2020 e 2019.

“Foram ações que ajudaram a modificar para melhor a vida das pessoas. Apesar das dificuldades e dos traumas que a pandemia impôs nos últimos dois anos, considero que 2021 foi um ano em que a Assembleia produziu de forma extraordinária para o bem do Maranhã (..) Eu sempre gosto de ressaltar as boas discussões políticas que acontecem no Parlamento, em razão de que aqui estão representadas as mais diversas vozes com posicionamentos políticos e ideológicos diferentes. Isso enriquece muito a Assembleia”, disse Othelino.

Justificativa da compra de leite condensado: “Vai pra puta que pariu, porra!”

Do Congresso em Foco

O presidente Jair Bolsonaro durante encontro com artistas numa churrascaria em Brasília, nesta quarta-feira, dia 27, voltou atacar a imprensa ao tentar justifica as compras do governo em 2020, reveladas pelo portal Metrópoles.

“Vai pra puta que pariu, porra. Essa imprensa de merda, é pra enfiar no rabo de vocês, de vocês da imprensa, essas latas de leite condensado aí”, vociferou Bolsonaro para dos presentes.

No total, os gastos alimentícios do governo federal em 2020 somaram mais de R$ 1,8 bilhão.

Eleição na FAMEM: profissionais e veículos de imprensa devem se credenciar

Em razão dos cuidados e proteção sanitária no combate a Covid-19, a Coordenadoria de Comunicação da FAMEM, está limitando o acesso dos profissionais e veículos de comunicação para cobertura da eleição da da entidade que ocorrerá quinta-feira, dia 14, das 8h e 18h.

Cadastramento e quantitativos máximos:
– 2 credenciais para mídia impressa (jornalista / fotógrafo);
– 2 credenciais para rádio (repórter / técnico de áudio);
– 2 credenciais para televisão (repórter / cinegrafista)

Os veículos têm às 17 horas desta terça-feira, dia 12, para solicitar que poderá ser feito no e-mail comunicacao@famem.org.br.

A entrega ais será amanhã, quarta-feira, dia 13, das 12 às 18 horas na Coordenação de Comunicação da Famem, na Av. dos Holandeses, quadra 6, Calhau, São Luís.

A credencial é obrigatória para acesso ao espaço reservado para a cobertura da eleição. Para as coletivas serão feitas as mesmas exigências.

Mais esclarecimentos adicionais pelo telefone (98) 98991570030 entre 8h e 17h.

Bolsonaro repudia violência contra jornalistas e a liberdade de imprensa

 

Foto: Reprodução

O presidente Bolsonaro que habitualmente ataca veículos e profissionais de imprensa, se solidarizou com Marina Araújo e Renata Vasconcelos, alvos de ataques nesta quarta-feira (10), durante invasão solitária de um homem na sede da TV Globo no Rio de Janeiro.

Um relatório da Federação Nacional dos Jornalistas (FENAJ) revelou que em 2019 os ataques a veículos e profissionais de imprensa no Brasil cresceram 54%. Os políticos foram responsáveis por quase 70% do total dos ataques, só o presidente Bolsonaro, foi autor de quase 60% dos registros.

“manifestações de Bolsonaro contra imprensa trazem consequências”, Dino sobre invasão à TV Globo

 

dino e bosa
Governador do Maranhão Flávio Dino e o Presidente da República Jair Bolsonaro/Foto: Reprodução

O governador do Maranhão, Flávio Dino, comentou a invasão à sede da TV Globo no Rio de Janeiro, nesta quarta-feira (10), por um homem que armado com uma faca fez refém a repórter Mariana Araújo.

Segundo testemunhas o invasor disse que queria falar com a jornalista Renata Vasconcelos, colega de bancada de Willian Bonner no Jornal Nacional.

De acordo com Flávio Dino o ato de violência pode ser colocado na conta do presidente Bolsonaro, que segundo o governador, todos os dias ataca a imprensa.

Bolsonaro reclama da imprensa por dizer que ele fez piada com PIB de 1,1%

 

25516422
Foto: Reprodução

Como tem sido comum, quando as provocações do governo repercutem negativamente, e o presidente normalmente transfere a culpa aos outros, nesta quinta-feira (5), ele não fugiu à regra e decidiu reclamar novamente dos jornalistas.

“Parabéns!.. Fiz piada com o PIB. Parabéns aí, valeu. Continuem agindo assim. Quando vocês aprenderem a fazer jornalismo, eu converso com vocês”, disse Bolsonaro.

Jair Bolsonaro não gostou da imprensa publicar que ele fez piada com o crescimento do PIB (Produto Interno Bruto), no primeiro ano do seu governo, que ficou no pífio 1,1%. Ele e Paulo Guedes (Ministro da Economia) esperavam algo tipo 2,2%.

“Se vocês sofrem ataque todo dia, o que vocês estão fazendo aqui? O espaço é público, mas o que vocês estão fazendo aqui? O dia que vocês (se) conscientizarem que vocês são importantes fazendo matérias verdadeiras, o Brasil muda”, criticou Bolsonaro.

Ontem quando o IBGE divulgou o resultado e a imprensa o esperava no Palácio da Alvorada, como de costume, para falar sobre o resultado do PIB, Jair Bolsonaro apareceu com humorista, Carioca, fantasiado de presidente, distribuindo bananas para os jornalistas.

Flávio Dino, Haddad, Boulos e Requião pedem afastamento de Moro e Dallagnol de suas funções

 

dino-boulos-haddad-868x644-e1564428306647
Foto: Reprodução

O governador do Maranhão, Flávio Dino (PCdoB), os ex-candidatos à Presidência da República em 20018, Fernando Haddad (PT) e Guilherme Boulos (PSOL) e o ex-senador Roberto Requião (MDB), assinaram uma nota divulgada nesta segunda-feira (29), onde defendem a Liberdade de Imprensa e o afastamento de suas funções o ministro Sérgio Moro e o procurador Deltan Dallagnol.

Nota em defesa da liberdade de imprensa e pelo afastamento de Moro e Dallagnol

Em face dos graves acontecimentos que marcaram os últimos dias no Brasil, vimos a público para

1-Manifestar a nossa defesa firme e enfática das liberdades de imprensa e de expressão, das quais é consectário o direito ao sigilo da fonte, conforme dispõe a nossa Constituição Federal. Assim sendo, são absurdas as ameaças contra o jornalista Glenn Greenwald, seja por palavras do presidente da República ou por atos ilegais, a exemplo da Portaria 666, do Ministério da Justiça. Do mesmo modo, estamos solidários à jornalista Manuela D’Avila, que não praticou nenhum ato ilegal, tanto é que colocou seu telefone à disposição para perícia, pois nada tem a esconder.

2-Registrar que apoiamos todas as investigações contra atos de invasão à privacidade. Contudo, desejamos que todo esse estranho episódio seja elucidado tecnicamente e nos termos da lei, sem interferências indevidas, como a praticada pelo ministro Sérgio Moro. Este agente público insiste em acumular funções que não lhe pertencem. Em Curitiba, comandava acusações que ele próprio julgaria em seguida. Agora, no ministério, embora seja parte diretamente interessada e suspeita, demonstra ter o comando das investigações, inclusive revelando atos sigilosos em telefonemas a autoridades da República.

3-Postular que haja o imediato afastamento do ministro Sérgio Moro, pelos motivos já indicados. Em qualquer outro país democrático do mundo isso já teria ocorrido, pois está evidente que Moro não se comporta de acordo com a legalidade, insistindo em espantosos abusos de poder. Do mesmo modo, a Lava Jato em Curitiba não pode prosseguir com a atuação do procurador Deltan Dallagnol, à vista do escandaloso acervo de atos ilícitos, a exemplo do comércio de palestras secretas e do conluio ilegal com o então juiz Moro.

4-Sustentar que é descabida qualquer “queima de arquivo” neste momento. Estamos diante de fatos gravíssimos, que merecem apuração até mesmo junto ao Supremo Tribunal Federal e ao Congresso Nacional, neste último caso por intermédio de Comissão Parlamentar de Inquérito. A República exige transparência e igualdade de todos perante a lei. Altas autoridades que estão defendendo a “queima de arquivo” parecem ter algo a temer. Por isso mesmo, nada podem opinar ou decidir sobre isso. A lei tem que ser para todos, de verdade.

5-Sublinhar que somos a favor da continuidade de todos os processos contra atos de corrupção ou contra atuação de hackers, e que todos os culpados sejam punidos. Mas que tudo seja feito em estrita obediência à Constituição e às leis. Neste sentido, reiteramos a defesa da liberdade imediata do ex-presidente Lula, que não teve direito a um julgamento justo, sendo vítima de um processo nulo. A nulidade decorre da parcialidade do então juiz Moro, já que os diálogos revelados pela imprensa mostram que ele comandava a acusação e hostilizava os advogados de defesa, o que se configura uma grave ilegalidade.

6-Por fim, lembramos que quando os governantes dão mostras de autoritarismo, esse exemplo contamina toda a sociedade e estimula violências, como a praticada contra os indígenas wajãpis, no Amapá, com o assassinato de uma liderança após a invasão do seu território. Cobramos do Governo Federal, especialmente do Ministério da Justiça, providências imediatas para garantia da terra dos wajãpis e punição dos assassinos.

Chega de “vale-tudo”, ilegalidades e abusos. Não queremos mais justiça seletiva e parcial. Queremos justiça para todos”.