São João do Maranhão começa dia 27 de maio e vai até 31 de julho

O governador Carlos Brandão em coletiva no Palácio dos Leões, nesta terça-feira (10), lançou o São João do Maranhão 2022. Foram apresentadas estratégias, programação e expectativa para impulso dos setores turístico, econômico e cultural.

“..Esse é um momento histórico, de resgate da nossa cultura e do nosso São João. Tivemos um período delicado do coronavírus, com muito sofrimento, muitas dificuldades, óbitos; mas, nosso estado foi um dos que se saiu melhor no combate à pandemia e avançamos muito no que diz respeito à vacinação, que é o principal mecanismo contra a doença. Agora, vivemos outro momento, em que outros estados também retomam suas atividades de trabalho e também, culturais (..) Sabemos da importância, da necessidade de divulgação e do compromisso destes grupos. Não podemos deixar de pagar o São João e isso não vai acontecer. O recurso tem que vir antes da festa e já está garantido..”, destacou o governador Carlos Brandão.

Os festejos juninos iniciam dia 27 deste mês e prosseguem até 31 de julho, sempre de quinta a domingo, em arraiais na Região Metropolitana de São Luís e interior do estado. Serão mais de 500 atrações e a previsão é de cerca de 450 mil visitantes no período. 

A descentralização das atividades é outro diferencial do festejo junino, que alcançará municípios da Região Metropolitana de São Luís e do interior. A programação estará, entre outros espaços, na Praça Nauro Machado, Ipem, Parque do Rangedor, zona rural, Shopping da Ilha, Cohama, Ceprama, Vila Palmeira, Madre Deus, Cidade Operária, Maiobão, Santo Antônio, Lagoa da Jansen, Convento das Mercês e em vários bairros da Grande Ilha; e, também, em municípios do interior do estado com tradição junina, incluindo cidades das regiões do Munim, Baixada e Tocantina.

Eduardo Nicolau e Paulo Vitor conversam sobre São João do MA

O procurador-geral de justiça, Eduardo Nicolau, e o Secretario de Estado da Cultura, Paulo Vitor, se reuniram nesta quinta-feira, dia 28, para conversarem sobre o São João do Maranhão.

 “O objetivo é garantir a moralidade no pagamento dos cachês. Não vamos realizar o pagamento de cachês milionários a bandas de fora e sim vamos atender nosso público, nossas entidades folclóricas (..) . Quando a gente paga um cachê não se trata apenas da atração, mas também o profissionalismo dos fazedores da cultura. Além disso, a economia e o comércio informal giram. É muito importante a gente incentivar a cultura de maneira responsável, focando na população”, destacou Paulo Vitor.

Outro objetivo foi esclarecer ao chefe do Ministério Público que as festas juninas vão priorizar os grupos e artistas locais e garantir a diversidade das apresentações culturais.

“Nós nunca nos opusemos à realização das festas e é preciso deixar isso bastante claro. Recentemente, o Ministério Público se manifestou contra o pagamento de cachês exorbitantes, em alguns casos, milionários, para poucas horas de shows, em cidades com graves problemas sociais e onde há ações buscando resolver necessidades básicas da população”, explicou Nicolau.

Recentemente o Ministério Público do Maranhão ingressou com ações contra os municípios de Bacabal, Barra do Corda e Vitória do Mearim contra essas situações, mas jamais se opôs ao São João. O motivo pagamento milionários pelas prefeituras, quando a população padece de condições mínimas de serviços públicos como: saúde, educação, saneamento básico, dentre outros.