Câmara mantém prisão de Daniel Silveira; maioria da bancada maranhense votou SIM

A Câmara dos Deputados decidiu manter na prisão o deputado Daniel Silveira (PSL-RJ), na noite desta sexta-feira, dia 19, com 364 votos SIM; 130 NÃO e 3 abstenções.

O parlamentar está detido desde a última terça-feira, no âmbito de inquérito do STF que investiga fake news, calúnias, ameaças e infrações contra o tribunal e seus membros.

Abaixo como votaram os deputados do Maranhão:

André Fufuca (PP-MA) – Sim

Bira do Pindaré (PSB-MA) – Sim

Cleber Verde (REPUBLICANOS-MA) – Sim

Dr. Gonçalo (REPUBLICANOS-MA) – Sim

Edilazio Junior (PSD-MA) – Sim

Gastão Vieira (PROS-MA) – Sim

Gil Cutrim (PDT-MA) – Sim

Hildo Rocha (MDB-MA) – Não

João Marcelo S. (MDB-MA) – Sim

Josimar Maranhãozi (PL-MA) – Sim

Josivaldo JP (PODE-MA) – Não

Junior Lourenço (PL-MA)

Juscelino Filho (DEM-MA) – Abstenção

Pastor Gil (PL-MA) – Não

Pedro Lucas Fernan (PTB-MA) – Sim

Zé Carlos (PT-MA) – Sim

Biden assume defendendo a Democracia, que o antecessor tentou destruir

O novo presidente dos EUA, Joe Biden, 76 anos, que tomou posse nesta quarta-feira, dia 20, assumiu defendendo a Democracia e União no seu país e no mundo.

“Aprendemos de novo que a democracia é preciosa. A democracia é frágil. E nesta hora, meus amigos: a democracia prevaleceu! Este é o dia da América … Hoje celebramos o triunfo não de um candidato, mas de uma causa – a causa da democracia”, destacou Joe Biden.

Eventual participação de Moro racha Ato Virtual em defesa da Democracia

 

image
Foto: Reprodução

A eventual participação de Sérgio Moro, ex-juiz da Lava Jato e ministro de Bolsonaro, no ato virtual pela Democracia, organizado pelo movimento ‘Direitos Já’, rachou o evento. O evento está marcado para amanhã sexta-feira (26).

A inclusão de Moro no ato foi proposto pelo deputado José Nelto (Podemos-GO).

Alguns dos convidados se posicionaram de forma contrária à  participação do ex-juiz e ministro de Bolsonaro. Entre eles, o também ex-ministro Aldo Rebelo que pediu “que o avisem quando acontecer”.

Outro é Guilherme Boulos que avisou se Moro entrar ele sai: “Se ele entrar por uma porta, eu saio por outra”.

Os ex-presidentes Sarney e Temer que haviam confirmado presença, ontem desistiram. Alegaram que o ato havia se transformado em movimento contra Bolsonaro.

Está claro que a união de forças políticas em defesa da Democracia, nos moldes do movimento ‘Diretas Já’, não acontecerá.

Mas, não é apenas Moro que dificulta uma união desse nível no país. O estrago e polirazação política nos últimos anos no Brasil foi maior que se imagina. (Informações de Mônica Bergamo)

Sarney e Temer cancelam participação em ato contra ameaças à democracia

 

sarney e temer
Foto: Reprodução

Os ex-presidente José Sarney e Michel Temer desistiram de participar do ato que ocorrerá na proxima sexta-feira (26), em defesa da Democracia.

De acordo com a coluna da Monica Bergamo Monica Bergano, segundo eles o movimento se tornou um ato político contra Bolsonaro.

O ministro Dias Toffoli, presidente do STF, também não vai mais participar.

Ato Virtual reunirá FHC, Haddad, Flávio Dino, Sarney, Ciro Gomes e outros

 

Ato virtual com lideranças políticas e representantes de várias entidades e instituições acontecerá na proxima sexta-feira (26). Segundo a coluna Painel da Folha de S.P, o evento é organizado pelo Sociólogo Fernando Guimarães, coordenador do grupo ‘Direitos Já.

Estão confirmadas as participações de Fernando Henrrique (PSDB), José Sarney (MDB), Michel Temer (MDB), Flávio Dino (PCdoB), Fernando Haddad (PT), Ciro Gomes (PDT) e Guilherme Boulos (PSOL).

Também deverão participar do ato Dias Toffoli (Presidente do STF), Felipe Santa Cruz (Presidente da Ordem dos Advogados do Brasil), Odilo Scherer (Arcebispo Metropolitano de São Paulo) e o apresentador Luciano Huck.

O ex-presidente Lula também foi convidado, mas disse  que não participará. O ex-juiz e ministro da Justiça, Sergio Moro, não foi chamado.

Torcidas de Vasco e Corinthians juntas em defesa da Democracia

 

vasco-corinthians
Foto: Reprodução

Torcedores do Vasco e do Corinthians lideram movimentos de protesto em defesa da democracia e criticas ao governo Bolsonaro neste domingo (21), em Brasília.

Torcidas de vários outros clubes e movimentos sociais também participam. Do outro lado da Esplanada dos Ministérios, um grupo protesta a favor do governo Bolsonaro.

vasco- corintians 1
Foto: Reprodução

Antes do início do protesto, o grupo chamado “Somos Democracia”, dirigiu-se ao presidente da Câmara dos Deputados Rodrigo Maia por meio de uma carta.

“Não é admissível conviver com tamanha crueldade e irresponsabilidade de um governo que – sequer – respeita a diplomacia entre as instituições e costuma desrespeitar os poderes, as autoridades e o próprio congresso nacional. Bolsonaro passa dos limites diariamente, entrevistas que debocham das pessoas mortas pelo covid-19, sem ministro da saúde e sem estratégia para conter o avanço do vírus no Brasil (..) O Presidente brinca com a vida da população, governa exclusivamente para os seus apoiadores e não compreende o que significa governar uma nação”, diz trecho da carta.

(Com informações do UOL)

Tensão entre Poderes: Forças Armadas não aceitam tomada de poder por outro poder

 

Foto: Reprodução

O presidente Bolsonaro, o vice-presidente, general Mourão e o ministro da Defesa, Fernando Azevedo, assinaram uma nota divulgada pela Secom que afirmam que as Força Armadas não aceitam “ordens absurdas”, como “tomada de Poder”.

Na última sexta-feira (12), o ministro da Secretaria de Governo, general Luiz Eduardo Ramos, disse que é “ultrajante e ofensivo” falar em “golpe” com apoio das Forças Armadas, porém, ele fez a ressalva de que isso nunca acontecerá se a oposição “não esticar a corda”.

A declaração voltou criar um clima de tensão e reações entre os poderes.

“A missão institucional das Forças Armadas na defesa da Pátria, na garantia dos poderes constitucionais e na garantia da lei e da ordem não acomoda o exercício de poder moderador entre os poderes Executivo, Legislativo e Judiciário”, disse o ministro Fux do STF em uma ação.

A nota assinado por Bolsonaro, Mourão e Fernando Azevedo foi em resposta à repercução da decisão do ministro STF.

“As FFAA do Brasil não cumprem ordens absurdas, como p. ex. a tomada de Poder. Também não aceitam tentativas de tomada de Poder por outro Poder da República, ao arrepio das Leis, ou por conta de julgamentos políticos”, afirma a nota.

(Congresso em Foco)

Manifestações em Brasília em defesa da democracia e contra o racismo

 

manifestação

manifestação 1

manifestação 3

manifestação 4

manifestação 5

“Ou nos unimos em 2020 ou pode nem haver 2022”, Eliziane sobre pandemia e bolsonarismo

 

1580210094-3559282-747x429
Senadora Eliziane Gama (Cidadani-MA)/Foto:Reprodução

A senadora Elizaene Gama (Cidadania-MA), líde do partidido no Senado, nesta terça-feira (2), defendeu a unidade para enfrentar e vencer a pandemia, e ainda, ameaça autoritária bolsonarista, que deseja o caos e rompimento instucional no país.

“..precisamos nos unir com quem divergimos.., nossa convergência tem que ser no ponto principal: a defesa irrestrita do estado democrático de direito..”, alerta Eliziane

Eliziane se referia a iniciativa da frente ampla e suprapartidaria lançada no final de semana formada por políticos e artistas de várias matizes. Para ela, a unidade precisa se consolidar agora durante a batalha contra o coronavírus e fortalecer a luta em defesa do Estado Democratico de Direitos.