‘Não subestime a inteligência dos brasileiros’, Barbosa para Mourão

O ex-ministro do STF, Joaquim Barbosa, neste domingo , dia 22, enquadrou o general da reserva e senador eleito, Hamilton Mourão, que ontem após Lula exonerar Comandante do Exército, general Cesar de Arruda, disse que “Lula alimenta crise com o Exército”.

Em tom de indignação, Joaquim Barbosa, não economizou nem nos adjetivos contra o ex-vice-presidente de Jair Bolsonaro, “poupe-nos da sua hipocrisia, do seu reacionarismo, da sua cegueira deliberada e do seu facciosismo político! Fatos são fatos!”, reagiu o ex-ministro do STF nas redes sociais.

“Ora, ora, senhor Hamilton Mourão. Poupe-nos da sua hipocrisia, do seu reacionarismo, da sua cegueira deliberada e do seu facciosismo político! Fatos são fatos! Mais respeito a todos os brasileiros! “Péssimo para o país” seria a continuação da baderna, da “chienlit” e da insubordinação claramente inspirada e tolerada por vocês, militares. Senhor Mourão, assuma o mandato e aproveite a oportunidade para aprender pela primeira vez na vida alguns rudimentos de democracia! Não subestime a inteligência dos brasileiros!”, diz Joaquim Barbosa

“Dez centavos de aumento? Difícil”, diz Mourão sobre reajuste

Do Metropole

O vice-presidente Hamilton Mourão (PRTB) comentou rapidamente nesta segunda-feira, dia 24, o Orçamento de 2022 sancionado por Bolsonaro, ao chegar no Palácio do Planalto.

Ele fez referência principalmente ao valor para reajuste dos servidores públicos que ficou em R$ 1,7 bilhão.

“Tem esse espaço aí de R$ 1,7 bilhão, mas ele é pequeno, né?! Não dá para todo mundo. Vai dar quanto para cada um? Dez centavos de aumento? Difícil”, disse Mourão.

A tesourada total foi de R$ 3,18 bilhões em relação ao texto aprovado pelo Congresso.

Cortes no Orçamento Federal 2022:

Educação: R$ 739,9 milhões
Ministério do Trabalho: R$ 1 bilhão
Desenvolvimento Regional: R$ 458,7 milhões;
Cidadania: R$ 284,3 milhões;
Infraestrutura: R$ 177,8 milhões;
Agricultura: R$ 87,2 milhões;
Saúde: R$ 74,2 milhões;
Ciência, Tecnologia e Inovações: R$ 73 milhões;
Comunicações: R$ 63,5 milhões;
Defesa: R$ 62,1 milhões;
Justiça e Segurança Pública: R$ 54,8 milhões;
Meio Ambiente: R$ 35,1 milhões;
Turismo: R$ 35,1 milhões;
Mulher, Família e Direitos Humanos: R$ 16,5 milhões;
Minas e Energia: R$ 11,4 milhões;
Relações Exteriores: R$ 3,6 milhões;
Presidência da República: R$ 1,8 milhão
Banco Central: R$ 100 mil
Ministério da Economia: R$ 100 mil

“Vice é igual a cunhado, tem que aturar”, Bolsonaro sobre Mourão

O presidente Jair Bolsonaro durante entrevista à Rádio Arapuan FM, nesta segunda-feira, dia 26, voltou mostrar toda sua insatisfação com seu vice-presidente Hamilton Mourão.

“..Ele tem uma independência muito grande. Por vezes, aí, atrapalha um pouco a gente. Mas o vice é igual cunhado: você casa e tem que aturar o cunhado do teu lado. Você não pode mandar o cunhado embora..”, disse Bolsonaro.

Dino e Mourão se reúnem para discutir ações para Amazônia

O governador Flávio Dino se reuniu na quarta-feira, dia 2, em Brasília, com o vice-presidente Hamilton Mourão, presidente do Conselho Nacional da Amazônia.

Flávio Dino é presidente do Consórcio Interestadual de Desenvolvimento Sustentável da Amazônia Legal.

“Estive debatendo vários temas, entre os quais o chamado Plano Amazônia, que o vice-presidente Mourão tem tratado junto a grandes bancos brasileiros visando a obtenção de recursos para projetos de interesse da sustentabilidade (..) Também conversamos sobre o Cadastro Ambiental Rural (CAR), que é vital para que haja a regularização fundiária na região e com isso maior eficácia no combate ao desmatamento”, destacou Flávio Dino.

Outros pontos de destaque, segundo Flávio Dino, é a realização este ano de uma conferência sobre mudanças climáticas e a tendência de agravamento de problemas na região.

“.. é imprescindível que o Brasil compareça nesse Fórum Internacional em condições de, mostrando bom desempenho, obter apoio aos projetos de desenvolvimento da Amazônia brasileira (..) o vice-presidente Mourão fez questão de enfatizar que nós temos uma tendência muito grave para este ano de 2021. Eu sugeri uma série de providências práticas para que haja intensificação da integração de ações federais e estaduais para que, com isso, o Brasil não venha a ter indicadores negativos no que se refere a desmatamento ilegal e queimada..”, completou Dino.

Bolsonaro e Mourão beneficiados com salários acima do teto

Do Uol

Portaria publicada no último dia 30 de abril pelo Ministério da Economia permitirá a reservistas e servidores públicos aposentados que exercem também determinados cargos públicos receber acima do teto constitucional, atualmente em R$ 39,2 mil.

Com a nova regra, o presidente Jair Bolsonaro (sem partido), por exemplo, deverá ter um “aumento” de R$ 2,3 mil por mês e o vice-presidente Hamilton Mourão, de R$ 24 mil mensais.

Com a nova regra, Bolsonaro deverá passar receber o valor bruto total de R$ 41.544. Já Mourão passará a receber R$ 63.511 de remuneração bruta.

“Se tiver grandeza moral, tem que se retratar”, Mourão sobre Gilmar Mendes

 

Vice-presidente, Hamilton Mourão, e o ministro do STF, Gilmar Mendes/Reprodução

“Com certeza.., se ele tiver grandeza moral, tem que se retratar (..) Vi o cidadão Gilmar Mendes fazendo uma crítica totalmente fora de propósito, ao comparar o que ocorre no Brasil com um genocídio. Genocídio foi cometido por Stalin contra as minorias russas, foi cometido por Hitler contra os judeus, foi cometido na África, em Ruanda, e outros casos. Saddam Hussein contra os curdos. Agora, o ministro acho que ele exagerou demais no que ele falou”, disse Mourão à CNN.

Dino elogia reunião de Mourão com governadores da Amazonia Legal

 

mourão
Foto: Reprodução

O vice-presidente, Hamilton Mourão, voltou se reunir nesta quinta-feira (25), através de vídeo conferência, com governadores da Amazônia Legal. O governador do Maranhão, Flávio Dino, classificou a agenda como positiva.

Hamilton Mourão que coordena o Conselho da Amazônia, disse aos governadores que em relação à carta escrita por dezenas de instituições, que administram US$ 3,7 trilhões em todo o mundo, contra o desmatamento da Amazônia, disse que a resposta será com “verdade e trabalho”.

Cerco em torno de Bolsonaro pode fazer governo cair no colo de Mourão

 

JairBolsonaro-PauloGuedes-HamiltonMourao-OnixLorenzoni-RogerioMarinho-30Jul2019
Foto: Reprodução

O Estado de S. Paulo, publicou nesta sexta-feira (19) a informação que militares da ativa e da reserva se preparam para possibilidade real de queda de Bolsonaro.

Segundo a colunisista  Eliane Cantanhêde, o cerco que está se fechando no STF em torno do presidente já está sendo visto por alguns setores como “alívio” diante da decepção com a condução do governo Bolasonaro, entre eles, militares da ativa e reserva.

“O temor desses setores era de que o torniquete fosse do TSE e estrangulasse a chapa Bolsonaro-Mourão, mas o cerco contra Bolsonaro, filhos, advogado e apoiadores mais radicais se fecha não no TSE, que pode cassar a chapa, mas no Supremo, onde as investigações envolvendo bolsonaristas de todos os tipos levam diretamente ao presidente e não há nada contra o vice”, afirma a colunista.

Gov. Flávio Dino se reúne com o vice-presidente Hamilton Mourão

 

dino
Flávio Dino (Governador do Maranhão) e o vice-presidente Gen. Hamilton Mourão/Foto: Reprodução

O Governo do Maranhão Flávio Dino se reuniu nesta quinta-feira (14), em Brasília, com  o Vice Presidente da República, General Hamilton Mourão.

O Governador defendeu uma agenda de desenvolvimento para o Nordeste e convidou o Vice Presidente para uma visita ao Porto do Itaqui, o porto que mais cresce no Brasil.

‘Caso Queiroz’ faz “sumir” da agenda de Bolsonaro entrevista coletiva na Suíça

 

bolsonaro-2
Hamilton Mourão (Vice-Presidente), Flávio Bolsonaro (Senador Eleito) e Jair Bolsonaro (Presidente do Brasil)/Foto:Reprodução

Jair Bolsonaro viaja na noite deste domingo (20), para Suíça. Será sua primeira viagem internacional como presidente do Brasil. Os ministros Paulo Guedes (Economia) e Sérgio Moro (Justiça e Segurança) farão parte da comitiva presidencial.

O comando do país atá quinda-feira (25), ficará nas mãos do general Hamilton Mourão, também pela primeira vez. Jair Bolsonaro participará do Fórum Econômico Mundial em Davos.

A comitiva brasileira apresentará na Suíça as medidas que está adotando na área econômica e de combate a corrupção. Na agenda de Jair Bolsonaro em Davos, no primeiro dia do Fórum, havia a realização de uma entrevista coletiva que “sumiu” da escala de compromissos do presidente.

A coletiva de imprensa em Davos teria saído da programação oficial, após a revelação e repercussão dos 48 depósitos totalizando R$ 96 mil na conta do senador eleito Flávio Bolsonaro (PSL-RJ), filho do presidente Bolsonaro. Na manhã de hoje eles se reuniram, certamente para tratarem do assunto e evitar ainda desdobramentos sobre o caso.

O presidente ainda não se pronunciou sobre o relatório do COAF, que levantam suspeitas sobre movimentações atípicas realizadas por Fabrício Queiroz, ex-assessor de Flávio Bolsonaro na Assembléia Legislativa do Rio de Janeiro, até poucos dias antes de se tornarem públicas.

Semana passado as investigações foram suspensas pelo Supremo Tribunal Federal (STF), a pedido de Flávio Bolsonaro, o que acabou aumentando as suspeitas contra o filho e a família do Presidente, de envolvimento no caso.