Presidente da Vale fica sentado durante homenagem às vitimas de Brumadinho

 

sentado
Fábio Shavartsman (Presidente da Vale) sentado durante homenagem às vitimas de Brumadinho/Foto: Reprodução

O presidente da Vale Fábio Shavartsman participou nesta quinta-feira (14), na Câmara Federal, de uma audiência com deputados federais sobre a tragédia de Brumadinho. Ele defendeu a empresa, disse que a Vale não pode ser punida pelo ocorrido. Durante o pedido de um minuto de silêncio em homenagens às vítimas, quando todos ficaram de Fábio Shavartsman se manteve sentado.

Bombeiros do Maranhão continuam atuando em Brumadinho

 

avião
Bombeiros maranhenses estão integrando grupos de resgate em Brumadinho. Foto: Divulgação

O grupo de bombeiros militares enviados pelo Governo do Maranhão para o estado de Minas Gerais continuam auxiliando nas operações de resgate na tragédia ocorrida em Brumadinho. Eles são especializados em buscas, salvamentos especiais e resgate em estruturas colapsadas. Os bombeiros maranhenses estão distribuídos em grupos de busca e na terça-feira (29) auxiliaram na retirada de três corpos na chamada ‘zona quente’ do desastre.

A operação é dificultada pelas condições da área e as buscas avançadas estão sendo feitas com o auxílio de aeronaves. Devido a todas as condições adversas, a operação está sendo realizada de forma diferente do habitual e esse conhecimento será compartilhado com os bombeiros maranhenses.

“Inclusive no que diz respeito aos protocolos empregados aqui e seguidos por todas as equipes de bombeiros no Brasil, no que se refere ao atendimento a desastres de grandes proporções. É mais um aprendizado para que possamos ser sempre eficazes em outras situações afins, que esperamos que não venham a ocorrer, mas, para as quais precisamos estar preparados e adequadamente treinados”, declarou o major Patricio Penha.

Engenheiros que atestaram segurança da barragem da Vale são presos

 

brumadinho-ricardo-stuckert1-750x430
Foto: Ricardo Stuckert

Dois engenheiros que atestaram a segurança da barragem 1 da Mina do Feijão, que se rompeu em Brumadinho (MG), foram presos na manhã desta terça-feira (29) em São Paulo. Em Belo Horizonte foram presas outras três pessoas “diretamente envolvidos e responsáveis pelo empreendimento minerário e seu licenciamento”, segundo o Ministério Público de Minas Gerais.

As ordens são de prisão temporária, com validade de 30 dias, e foram expedidas pela Justiça Estadual de Minas Gerais.

Os investigadores do Ministério Público e da polícia também apuram se documentos técnicos, feitos por empresas contratadas pela Vale e que atestavam a segurança da barragem que se rompeu, foram fraudados.

A força-tarefa envolve a Polícia Federal, o Ministério Público Estadual e Federal e a Polícia Civil de São Paulo e Minas. Os nomes das empresas investigadas não foram informados.

(Informações Congresso em Foco)

Governo do Maranhão envia apoio a Minas Gerais para ajudar nas buscas

 

tragico
Pessoas da comunidade de Parque da Cachoeira observam a área atingida pela lama depois do rompimento da barragem da Vale em Brumadinho. — Foto: Mauro Pimentel/AFP

brumadinho dinoO governador Flávio Dino usou sua conta no twitter no final da tarde deste domingo(27), para informar que autorizou apoio através do Corpo de Bombeiros do Maranhão ao estado de Minas Gerais para ajudar nas buscas das vitimas da tragédia em Brumadinho.

A equipe do Corpo de Bombeiros preparado para esse tipo de missão e comandada pelo major Patrício Daniel, embarcou neste domingo, no Aeroporto Hugo da Cunha Machado, em São Luís, para Minas Gerais.

O rompimento da barragem da mineradora Vale ocorreu no início da tarde da última sexta-feira (25). As ações estão sendo concentradas mais fortemente na parte mais baixa da cidade, onde os moradores estão sendo retirados. Cerca de 58 pessoas já tiveram mortes confirmadas, o número de desaparecidos até momento chegam a 305.

Tragédia em Brumadinho: deputados e senadores querem CPI

 

cpi
Trabalhos retomados no Congresso serão retomados na próxima sexta (1)

Parlamentares que assumem um novo mandato no Congresso na próxima sexta-feira (1) têm proposto que haja uma Comissão Parlamentar de inquérito (CPI) para apurar as circunstâncias do rompimento da barragem Mina do Córrego Feijão, em Brumadinho (MG), região metropolitana de Belo Horizonte. Até a noite de sábado, já estavam confirmadas 34 mortes.

No Senado a proposta partiu de Otto Alencar (PSD-BA). No Twitter, o congressista afirmou que deseja uma investigação “com o objetivo de apurar e evitar novas catástrofes que ceifam vidas, destroem o meio ambiente, degradam áreas e comprometem a qualidade da água, ameaçando o abastecimento”.

Outra proposta no mesmo sentido partiu, na Câmara, de um parlamentar mineiro. O deputado estadual Rogério Correia (PT-MG), eleito federal em outubro, esteve em Brumadinho no último sábado (26) e também defendeu a necessidade de uma apuração. “É preciso investigar e punir os responsáveis, sobretudo da Vale. Até quando e quantas tragédias serão necessárias para que a busca de lucro sem qualquer preocupação social e ambiental seja castigada?”, questionou o petista.

O Congresso não investiga o assunto há mais de 20 anos. Segundo os registros da Câmara, não houve nenhuma CPI votada à mineração desde 1999, elo menos. No Senado, a última comissão que se debruçou sobre o tema ocorreu em 1995, antes da privatização da Vale do Rio Doce. O relator, à época, foi o senador Romero Jucá (MDB-RR).

(Congresso em Foco)

“Somos o país que mais preserva o meio ambiente”

 

brumadinho
Brumadinho/Foto: Reprodução

Tragédia anunciada, após três anos do desastre em Mariana agora foi Brumadinho. Quantas ainda precisarão acontecer para mostrar que preservar o meio ambiente é desenvolvimento e defesa da vida…

img_20190126_074406
Brumadinho/Foto: Reprodução