Para Weverton a Petrobras venceu o ‘entreguismo’ do governo no Pré-Sal

 

weverton
Senador Weverton (PDT-MA)/Foto: Reprodução

No twitter o senador Weverton (PDT-MA), se posicionou sobre o megaleilão do Pré-Sal, realizado nesta quarta-feira (6). O resultado frustou as expectativas do governo, e o vexame não foi maior por causa da Petrobras. Para o senador ficou claro que o livre comercio não é a solução para tudo, como quer convencer a todos o governo e principalmente o ministro da Economia.

‘A #Petrobras salvou o megaleilão do pré-sal do fracasso absoluto hoje. Um grito de NÃO AO ENTREGUISMO! O livre mercado não é salvação para tudo, como vimos. Outra lição do dia: os grandes investidores não confiam tanto nesse governo como os governistas pregam. #PreSal ‘, disse Weverton.

Previdência: Roberto Rocha vota a favor; Weverton e Eliziane Gama contra

 

senadores
Roberto Rocha (PSDB), Eliziane Gama (CIDADANIA) e Weverton (PSDB)/Foto: Reprodução

Aprovada nesta terça-feira (22) no Senado Federal a Reforma da Previdência foi aprovada por 60 votos a 19 pelo Senado Federal. A matéria segue para a promulgação presidencial.

A estimativa de economia com a aprovação é de cerca de R$ 800 bilhões em dez anos.

Dos três senadores maranhenses Eliziane Gama (CIDADANIA) e Weverton Rocha (PDT) votaram contra enquanto Roberto Rocha (PSDB) votou a favor.

O senador Weverton em pronunciamento classificou a aprovação da Reforma uma covardia aos trabalhadores brasileiros.

“..em defesa do direito do trabalhador se aposentar, VOTAMOS NÃO ao projeto. Essa PEC é uma covardia com os trabalhadores brasileiros..”, disse Weverton.

Estudante de Bacabal é escolhida para o Jovem Senador em Brasília

 

JOVEM

A estudante maranhense Cibele Dias foi informada através do telefone pelo senador Weverton (PDT-MA) na noite de quarta-feira (9), que estava entre os escolhidos para participar do Jovem Senador. Além de parabenizá-la a convidou para visitar seu gabinete em Brasília.

“Tive o prazer de ligar ontem à noite para a estudante Cibele Dias, do Colégio Militar Tiradentes III (Bacabal), para dar uma ótima notícia: ela foi escolhida para participar do Jovem Senador”, senador Weverton.

Cibele Dias é aluna do Colégio Tiradentes III, em Bacabal. O program escolhe estudantes de escolas públicas em todo Brasil através de concurso de redação. As atividades serão realizadas de 25 a 30 de novembro.

Weverton e Eliziane comemoram PIS/PASEP para quem ganha até dois salários

 

eliziane e weverton
Senadores Weverton (PDT) e Eliziane Gama (Cidadania)/Foto: Reprodução

Os senadores do Maranhão Weverton (PDT) e Eliziane Gama (Cidadania) que votaram contra o texto base da Reforma da Previdência aprovado por 56 votos 19 na noite de terça-feira (1º), ajudaram derrotar o governo ao aprovarem o pagamento do PIS/PASEP para trabalhadores que ganham até 2 salários mínimos.

O destaque responsável pela derrota do governo foi apresentado pela senadora Eliziane líder do Cidadania.

“Uma grande vitória. O plenário, a partir de um destaque que apresentei hoje na reforma da Previdência, garantiu o pagamento de abonono salarial para quem ganha até dois salários mínimos”, comemorou Eliziane.

O senador Weverton que também contribuiu para derrota do governo disse que o resultado foi uma vitória dos trabalhadores. A proposta do governo era limitar o recebimento para quem recebe até R$ 1.364,43.

“Enfim uma vitória para o trabalhador! Aprovamos no Plenário do Senado o pagamento do PIS/PASEP para trabalhadores que recebem até 2 salários mínimos. A proposta do governo era restringir para quem recebe até R$ 1.364,43, o que poderia cortar 13 milhões de pessoas do benefício”,, comemorou Weverton.

 

Câmara tratará de pontos polêmicos retirados pelo Senado sobre partidos

 

xcamara.jpg.pagespeed.ic.VkfZeCV8ht
Foto: Reprodução

BRASÍLIA — A Câmara dos Deputados deve votar nesta quarta-feira (18) o projeto que trata sobre a organização dos partidos, e o centrão tentará retomar os pontos polêmicos que foram retirados pelo Senado.

O texto que chegará para a análise dos deputados, aprovado ontem no Senado, trata apenas do financiamento do fundo eleitoral, mas parlamentares de PP, PL e Solidariedade articulam para recuperar propostas polêmicas.

Deste modo, poderão ser votados a retirada da obrigatoriedade de utilizar o sistema do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) para prestações de contas, o limite do valor mensal para o pagamento de multas, a permissão à punição ao candidato apenas quando provado a existência de dolo e a autorização para utilização de recursos públicos para o pagamento de advogados.

O projeto original da reforma partidária ainda recria o tempo de televisão para partidos.

Na semana passada, uma carta encaminhada por entidades da área de transparência afirmou que as propostas abrem margem para caixa dois e corrupção. Um acordo costurado pelo Senado na terça-feira decidiu adiar o debate na Casa sobre o tema, reduzindo o projeto apenas ao fundo eleitoral.

Mas como a matéria teve início na Câmara, a decisão do Senado não encerra o assunto de vez. Caberá aos deputados analisar a mudança feita pelos senadores, o que deve ocorrer em plenário nesta quarta-feira. Como o Senado votou apenas uma parte do projeto, os deputados têm duas opções, segundo o regimento: ou aprovam só aquela parte, ou retomam o texto como ele saiu da Câmara.

O prazo é curto. Para valer nas eleições do ano que vem, as mudanças nas normas eleitorais precisam ser sancionadas até um ano antes do pleito, que ocorre no primeiro fim de semana de outubro.

A mudança aprovada no Senado no projeto que originalmente fazia uma reforma partidária teve o objetivo de garantir fonte de financiamento para o fundo eleitoral. Criado às pressas, em 2017, após o Supremo Tribunal Federal (STF) derrubar as doações privadas de campanhas, o fundo não tinha uma receita definida para todas as eleições. Por isso houve mobilização para preservar esse pedaço do projeto original. (O Globo)