Mensagens revelam que Moro interferiu em acordo de delação

 

moro
Ex-juiz Sérgio Moro/Foto: Reprodução

Em mais uma reportagem da Folha de S.Paulo e The Intercept Brasil divulgada nesta quinta-feira (18), o ex-juiz Sérgio Moro interferiu nas negociações de delações de dois executivos da Construtora Camargo Corrêa, o que é proibido pela lei.

As mensagens revelam que Moro avisou aos procuradores que só homologaria as delações se a pena proposta aos executivos incluísse pelo menos um ano de prisão em regime fechado.

A Lei das Organizações Criminosas, de 2013, que definiu regras para os acordos de colaboração premiada, diz que juízes devem se manter distantes das negociações e têm como obrigação apenas a verificação da legalidade dos acordos após sua assinatura.

O objetivo é garantir que os magistrados tenham a imparcialidade necessária para avaliar as informações fornecidas pelos colaboradores e os benefícios oferecidos em troca no fim do processo judicial, quando cabe aos juízes aplicar as penas negociadas se julgarem os resultados da cooperação efetivos.

Bolsonaro enfrentará 56% de reprovação do seu governo em São Luís

 

Screenshot_2019-07-17-12-31-40-1-1

Pesquisa divulgada pelo Jornal Pequeno registrou 56% de reprovação do governo Bolsonaro, em São Luís; 39% aprovam e 4% não soube responder. O presidente que poderá participar em breve da entrega de obras de revitalização do Centro Histórico de São Luís, enfrentará um ambiente desfavorável na capital.

O projeto do governo Federal realizado através do IPHAN contempla várias cidades históricas no país. Concebido e autorizado no governo Dilma Rousseff, as obras que estão sendo executadas em São Luís, teve parte entregue no final de 2018, ainda no governo de Michel Temer.

Bolsonaro tem interesse em melhorar sua imagem e aceitação na região Nordeste, onde foi derrotado nos nove estados. No Maranhão enfrentará uma população de maioria contrária ao seu governo, e ainda, governado por Flávio Dino (PCdoB), um dos mais contundentes críticos do seu governo e adversário político e ideológico.

Reeleito em primeiro turno nas eleições para o governo do Maranhão em 2018, Flávio Dino, que é considerado um dos melhores governadores do país, também teve sua gestão avaliada na pesquisa do Jornal Pequeno. Segundo a pesquisa, sua gestão é aprovada por 55% da população da capital maranhense; 40% desaprovam e 3% não soube responder.

The Intercept Brasil entrevista Flávio Dino sobre Corrupção, Lava Jato e conjuntura Política no Brasil

 

intercept
Flávio Dino, governador do Maranhão, durante entrevista ao The Intercept Brasil/Foto: Reprodução

O site The Intercept Brasil que iniciou a divulgação das mensagens entre o ex-juiz Sérgio Moro e o procurador Deltan Dallagnol e demais membros da Força Tarefa da Lava Jato, ouviu Flávio Dino (PCdoB), governador do Maranhão, dias antes de começarem a serie de reportagens que passaram expor os bastidores nada republicano da maior operação de combate à corrupção na história do Brasil.

Na entrevista Flávio Dino, que assim como Sérgio Mouro, é ex-juiz federal falou sobre a atual conjuntura política brasileira, corrupção e Lava Jato. O governador do Maranhão criticou duramente o ex-juiz colega de toga e agora também na política, Sérgio Moro, atual ministro da Justiça do governo Bolsonaro.

VEJA AQUI A ENTREVISTA

Márcio Jerry chama Bolsonaro de desumano e boçal após suspensão e distribuição de remédios

 

Marcio-jerry (2)
Deputado Federal, Márcio Jerry (PCdoB)/Foto: Reprodução

O deputado federal Márcio Jerry (PCdoB), reagiu com indignação no twitter nesta terça-feira (16), contra o presidente Jair Bolsonaro em relação a suspensão da fabricação e distribuição de 19 remédios para pacientes com câncer, diabetes e transplantados.

”Desumanidade, absurdo, boçalidade, agressão de Jair Bolsonaro aos pacientes. Que coisa!”, disse Márcio Jerry.

De acordo com o Estado de SP, o SUS encerrou contratos com alguns dos principais laboratórios do país, entre eles: Biomangunhos, Butantã, Bahiafarma, Tecpar, Farmanguinhos e Furp.

“Suspender a fabricação de 19 medicamentos para distribuição pelo SUS a pacientes de câncer, diabetes e transplantados é de uma desumanidade absurda, algo de gravíssimas repercussões. Mais uma boçalidade do Jair Bolsonaro contra o povo brasileiro”, protestou Jerry.

A medida poderá afetar cerca de 30 milhões de pacientes que precisam dos medicamentos para continuarem vivendo.

Raquel Dodge chama Dallagnol para conversar após divulgação de novas mensagens entre ele e Sérgio Moro

 

raquel
Foto: Reprodução

247 – Após a revelação de que o procurador Deltan Dallagnol pediu ao então juiz Sérgio Moro dinheiro do Poder Judiciário para financiar uma propagada do Ministério Público, a procuradora-geral da República, Raquel, Raquel Dodge, anunciou que terá encontro com Deltan.

Segundo o jornalista Alex Tajra, do UOL, Raquel Dodge vai receber Dallagnol nesta terça-feira, 16, em Brasília, para uma “reunião institucional”. Além dele, todos os membros da operação participarão do encontro, que ainda não tem horário definido.

Questionada se o encontro trataria da divulgação de mensagens atribuídas aos procuradores do MPF e ao ex-juiz Sergio Moro, a assessoria da PGR não negou, nem confirmou.