Projeto de Eliziane propõe beneficio de R$ 600 por mais 3 meses, governo quer mais 2 meses de R$ 200

 

Senadora Eliziane Gama (Cidadania-MA)/Foto: Reprodução

A senadorra Eliziane Gama (Cidadania-MA) protocolou nesta quinta-feira (21), no Senado Federal, um Projeto de Lei que amplia por mais três meses o beneficio de R$ 600 para as pessoas de baixa renda.

O governo Bolsonaro também pensa estender o beneficio, mas por dois meses  e no valor de R$ 200. É o mesmo valor que o governo ofereceu no inicio da pandemia e o Congresso aumentou para R$ 500, e que no fim foi fixado em R$ 600.

Benefício de R$ 600 pode ter influenciado avaliação do governo Bolsonaro no NE

 

A avaliação do governo Bolsonaro como “ruim e péssimo” disparou 10% em 35 dias no país e bateu os 50%, segundo a pesquisa da XP Investimentos, feita pelo instituto Ipespe.

Em 15 de abril, a avaliação negativa nacional era de 40%.

Desde então, nas três pesquisas posteriores, o “ruim e péssimo” a nível nacional cresceu a ponto de chegar aos 50% nesta quarta-feira. Nesta edição, 25% avaliam o governo como ótimo ou bom, e 32%, regular.

Mas uma região oscilou para baixo, dentro da margem de erro, da tendência de crescimento da avaliação de “ruim e péssimo”.

Nas duas últimas pesquisas, em 30 de abril e 20 de maio, o Nordeste registrou queda de 3% na avaliação negativa, ou seja, menos pessoas na região avaliam o governo como “ruim e péssimo”.

Essa mudança já vinha sendo notada no dia a dia por políticos da região, governistas e da oposição, em grande parte pela aprovação pelo Congresso do auxílio emergencial de R$ 600, que foi visto como um benefício dado pelo governo. (ÉPOCA)

“O Brasil não faliu porque o PT deixou US$ 378 bi em reservas”, Lula em entrevista no MA

 

Foto: Reprodução

O ex-presidente Lula durante  entrevista concedida na noite desta quinta-feira (21), ao programa Ponto e Virgula, na Rádio Difusora FM de São Luís, disse que o Brasil ainda não quebrou  porque o PT deixou de US$ 378 bi de dólares em reservas internacionais, mas é mais fácil dizerem que o PT quebrou o país, só para justificarem a incapacidade de governar.

“Eles falam que o PT quebrou o Brasil. O Brasil só não decretou falência porque o PT deixou 378 bilhões de dólares em reservas internacionais. É isso que tá salvando o país”, Lula durante entrevista ao Ponto e Virgula.

Flávio Dino anuncia reabertura gradual do Comércio a partir de segunda-feira (25)

 

A partir da próxima segunda-feira (25) começa a abertura gradual do comércio, começando pelos negócios pequenos e familiares. Foi o que anunciou o governador Flávio Dino na noite desta quarta-feira (20). Aqui o Decreto Completo

Moro usa ‘falas polêmicas’ de Bolsonaro e Lula para lucrar politicamente

 

4bb61d353ca790485bf704ab380fe7f9
Sérgio Moro, ex-Juiz da Lava Jato e Ministro da Justiça de Bolsonaro/Foto: Reprodução

O ex-juiz e ministro Sérgio Moro não perdeu tempo e nesta quarta-feira (20), após 24 horas de declarações polêmicas de Bolsonaro e Lula em relação ao coronavírus, pegou carona na repercussão para entrar no debate e tirar algum lucro político.

Moro deve está prevendo a volta do assunto voltar ser explorado no Jornal Nacional na noite de hoje, e já preparou uma fala em oposição a Bolsonaro e Lula. Para quem vive dizendo que nunca teve interesse em disputa política, o ex-juiz da Lava Jato e ministro de Jair Bolsonaro, parece ter resolvido botar a campanha na rua.

Ontem ao participar de uma entrevista numa live o presidente Bolsonaro fez ‘piada’ com uso da cloroquina, no dia que o Brasil registrou em 24 horas,1.179 óbitos por covid-19. Disse o presidente, “quem for de direita toma cloroquina, quem for de esquerda toma tubaína” .

Já o ex-presidente Lula, que se desculpou hoje pelo que ele chamou de “frase infeliz”, também durante uma entrevista à Carta Capital, disse “.. ainda bem que a natureza, contra a vontade da humanidade, criou esse monstro chamado coronavírus. Porque esse monstro está permitindo aos cegos enxergarem que apenas o Estado é capaz de dar soluções para determinadas crises..”

Lula pede desculpas após repercussão de ‘frase infeliz’ sobre coronavírus

 

Lula
Ex-presidente Lula pede desculpas em relação a ‘frase infeliz’ dita por ele sobre o coronavírus/Foto: Reprodução

O ex-presidente Lula pediu desculpas e classificou nesta quarta-feira (20) de ‘frase totalmente infeliz’, dada por ele ontem durante entrevista à Carta Capital, quando disse que o aparecimento da pandemia foi ‘positivo’ para mostrar o governo a importância de um Estado forte para enfrentar a crise econômica.

“.. quando vejo essas pessoas acharem que tem que vender tudo que é público e que tudo que é público não presta nada.., ainda bem que a natureza, contra a vontade da humanidade, criou esse monstro chamado coronavírus. Porque esse mostro está permitindo aos cegos enxergarem que apenas o Estado é capaz de dar soluções para determinadas crises..”, Lula à Carta Capital.

Agora é oficial Regina Duarte deixa Secretaria de Cultura do governo

 

Regina Duarte e Jair Bolsonaro/Foto: Reprodução

A atriz Regina Duarte anunciou nesta quarta-feira (20), ao lado de Bolsonaro sua saída da Secretaria de Cultura do Governo. Já são cinco as mudanças na pasta.

A atriz entrou e deixou o cargo sem acrescentar nada em relação ao setor cultural no país, pelo menos que se conheça públicamente, porém somam polêmicas e desgaste à sua imagem como artista.

Só o senador Flávio Bolsonaro votou contra o adiamento do Enem

 

Senador Flávio Bolsonaro (Republicanos-RJ), único a votar contra o projeto que adia o Enem 2020/Foto: Reprodução

A aprovação no Senado do projeto que adia a realização do Enem 2020, foi muito bem recebida pela população, educadores e principalmente os estudantes mais pobres. Até a liderança do governo orientou voto favorável ao adiamento.

O placar no Plenário do Senador foi de 75 votos a favor e apenas 1 contra. O único voto contrário foi do senador Flávio Bolsonaro (Republicanos-RJ), filho do presidente.

Nas redes sociais o senador Davi Alcolumbre (DEM-AP), ao comentar a aprovação do projeto, declarou que o resultado mostra que o Congresso está ao lado dos brasileiros.

“O Senado aprovou o adiamento do Enem deste ano em nome de todos os estudantes brasileiros, principalmente da rede pública, que tiveram suas aulas e estudos interrompidos pela pandemia. O Congresso está ao lado dos brasileiros que são mais atingidos por este triste vírus”,disse o Senador.

Contrário ao adiamento do Enem em meio a pandemia do coronavírus, o ministro Weintraub (Educação), já admite o adiamento.

“Vitória da Educação”, assim foi definida aprovação do projeto que adia provas do Enem

 

Foto: Reprodução

Por 71 a 1, o Senado Federal aprovou nesta terça-feira (19), o projeto que adia a realização do ENEM (Exame Nacional do Ensino Médio) de 2020, em virtude da pandemia do novo coronavírus.

O texto do relator, senador Izalci Lucas (PSDB-DF), autoriza a realização das etapas preparatórias do Enem. Mas, não definiu data para realização do Enem, considerando que as inscrições deverá observar a regularização das aulas. Com isso, o exame ficará prorrogado até que as atividades do ano letivo de 2020 no ensino médio sejam concluídas.

Várias autoridades utilizaram as redes sociais para comemorarem o resultado da votação no Senado. O secretário de Educação do Maranhão, Felipe Camarão, celebrou a aprovação do projeto ao mesmo tempo que lamentou fatos negativos ocorridos ao longo do dia no país.

A senadora Eliziane Gama (Cidadania-MA), ressaltou a importância do adiamento do Enem, que segundo ela, é um instrumento de combate à desigualdade no Brasil.

O presidente do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP), descreveu a vitória na aprovação do projeto de adiamento do Enem, como demonstração que o Congresso está ao lado dos brasileiros mais impactados com a covid-19.

Leia a íntegra do relatório aprovado

Presidente Bolsonaro faz piada no dia que Brasil registra 1.179 óbitos

 

O último Boletim do Ministério da Saúde divulgado na noite desta terça-feira (19), mostra que o Brasil registrou nas últimas 24 horas 1.179 mortos vítimas da Covid-19.

O número total de óbitos até o momento é de 17.971. O total de pessoas contaminadas é 271.628. Há também 146.863 pessoas em tratamento.

No dia em que mais de mil pessoas morreram em 24 horas vítimas da doença, o presidente Bolsonaro durante uma live, com piada e tom de deboche voltou defender o uso da cloroquina.