Yglésio Moisés tenta esclarecer repercussão sobre pré-candidatura do PDT em São Luís

 

wevertonyglesio
Senador Werverton e o deputado estadual Yglésio Moisés

O deputado estadual Yglésio Moisés usou as redes sociais nesta segunda-feira (9), para dizer que será candidato à prefeitura de São Luís. A atitude de Yglésio é uma reação à repercussão da entrevista coletiva do senador Weverton, que ratificou o nome do  vereador Osmar Filho, como pré-candidato do PDT à prefeitura de São Luís em 2020.

Nota de esclarecimento

Sobre as recentes notícias veiculadas em blogs, de que o presidente do PDT-MA, o senador Weverton, “veta” a minha saída do partido, venho fazer algumas considerações, após conversar com o mesmo na sede do PDT, às 11:35 do dia 09/09/2019:

1- Nunca discuti no partido a legitimidade da candidatura do vereador Osmar Filho, até por acreditar que o mesmo tem buscado condições políticas dentro da legenda para pleitear a sucessão de Edivaldo Holanda Jr.

2- Minhas declarações prévias nunca apontaram para qualquer possibilidade de disputa interna no PDT , contra quem quer que seja.

3- É legítima, não apenas para mim, mas como para qualquer filiado, a possibilidade de buscar viabilizar seu projeto de pré-candidatura a qualquer cargo que seja.

4- Não aparece, em nenhum momento do vídeo, a declaração de que Weverton “veta” minha saída do PDT. O mesmo, em nossa conversa reservada, como democrata que é, em nenhum momento colocou empecilho a uma eventual mudança de partido minha, caso eu consiga viabilidade.

5- Nunca fui homem de embarcar em projetos sem viabilidade, nem de forçar situações, muito menos de impor constrangimentos a outrem no curso de minhas relações políticas. Porém, é inegável que há no pleito que se avizinha a oportunidade aberta para aqueles que de fato querem discutir soluções para a cidade.

6- Tenho apreço ao PDT e à sua história, porém considero legítimo também colocar meu nome à disposição de São Luís e é com esse mesmo apreço, misto de admiração e respeito, como alguém que quer sempre somar e jamais atrapalhar, que considero a possibilidade de encontrar outra casa partidária.

7-Reafirmo minha pré-candidatura, pois estamos em um momento pré-eleitoral, onde a população deve ter a oportunidade de a valiar os melhores projetos, mandatos, biografias e na eleição escolher o que melhor convier para o futuro da cidade.

Cordialmente,
Dr. Yglésio, deputado estadual pelo PDT Maranhão

Weverton Rocha culpa Bolsonaro por aumentar temperatura da polêmica sobre Amazônia

 

weverton-rocha-senador-da-republica
Senador Weverton Rocha (PDT)/Foto: Reprodução

O Senador Weverton Rocha (PDT-MA) criticou nesta terça-feira (27) a forma como o presidente Bolsonaro se comportou diante da crise das queimadas na Amazônia.

Para o senador maranhense a oposição é acusada injusta e sistematicamente pelo presidente por tentar dificultar seu governo, e agora, pelo desgaste internacional. Para ele, o presidente é o principal responsável por aumentar a ‘temperatura’ da crise.

“Na série histórica de problemas das queimadas na Amazônia nem um chefe de estado se comportou na crise da forma como o presidente Bolsonaro. Diferente de quatro anos atrás, quando Dilma venceu as eleições, a oposição não aceitou até acontecer o impeachment. Na atual quadra o presidente Bolsonaro tem o conforto de a oposição aceitar o resultado. Por tanto, ele não pode acusar o mundo de ser petista e comunista e que acabaram com o Brasil”, destacou Weverto.

Mas, o senador maranhense também elogiou Bolsonaro pela iniciativa de se reunir com os governadores da Amazônia Legal, e com eles discutir alternativas e soluções para a crise.

Para Weverton o convite principalmente ao governador Maranhão, Flávio Dino (PCdoB), que tem notória divergências ideológicas e políticas com Bolsoanro, foi um gesto importante em meio à crise.

 

‘Bolsonaro devia fazer conta ao invés de ficar falando besteiras na rua’ diz Weverton Rocha

 

Senador Weverton Rocha
Senador Weverton Rocha (PDT)/Foto: Reprodução

O senador Weverton Rocha (PDT-MA), durante a sessão ordinária desta terça-feira (6), a primeira após o recesso parlamenta, contribuiu para fazer coro às críticas a Bolsonaro, por senadores do Nordeste.

Para ele, enquanto Bolsonaro fica falando besteiras e dividindo o país ainda mais, questões sérias e importantes para o Brasil continuam sem avançar.

“.. impressiona como o presidente Bolsonaro trata toda uma reunião, como se achasse que apenas apertando um botão poderia dizer esqueça-os. Vamos anulá-los, tirá-los da Federação. O presidente Bolsonaro.., primeiro tem que fazer contas antes de ficar falando besteira no meio da rua. Ele precisa lembrar que no Senado o Norte e Nordeste somam 48 senadores, o suficiente para barrar qualquer coisa. Mas, não faremos porque temos responsabilidade..”, disse Weverton Rocha.

Osmar Filho confirma pré-candidatura a prefeito e avisa que o projeto é coletivo

 

osmarblog
Senador Weverton Rocha (PDT) e o presidente da Câmara de São Luís, Osmar Filho (PDT)/Foto: Reprodução

Um dia após o senador Weverton Rocha (PDT), por fim a especulação sobre sua candidatura à prefeitura da capital em 2020, o presidente da Câmara Municipal, Osmar Filho, do mesmo partido, ratificou no programa Ponto e Virgula, da Rádio Difusora FM, sua pré candidatura ao pleito na capital.

“O nosso projeto é coletivo e visa discutir São Luís e apresentar ações para contribuir para seu crescimento e desenvolvendo. Nossa pré-candidatura está firme e forte”, disse Osmar Filho.

O vereador disse que tem intensificado as conversas com todos os segmentos da população de São Luís, e também, a classe política.

Com informações do Blog Marrapá)

“Para ser super-homem deve se afastar do cargo”, Weverton Rocha para Sérgio Moro

 

weverton e moro
Foto: Reprodução

247 – O ministro da Justiça, Sérgio Moro, durante audiência na CCJ do Senado, na manhã desta quarta-feira (18), onde passou por uma sabatina com os parlamentares. A audiência é reflexo de sua conduta escusa com o procurador da Lava Jato, Deltan Dallagnol, que foi revelada pelo site The Intercertp.

O senador Weverton Rocha (PDT-MA) fez vários questionamentos sobre a postura questionável de Moro e afirmou que,  “para ser super-homem, ele deveria se afastar do cargo”.

Ele seguiu emparedando Moro: “O senhor nunca teve um sentimento de parcialidade em relação aos processos da Lava Jato?”, disse.

O senador também questiona o motivo de Moro ainda não ter entregue seu celular e tablet à polícia e critica sua postura. “O senhor condenou o ex-presidente Lula, querendo ou não, isso interferiu no processo eleitoral. Logo depois aceitou fazer parte do governo Bolsonaro”.

Weverton e Eliziane reagem contra sigilo na Reforma da Previdência

 

sigilo
Senadores Maranhenses Weverton Rocha (PDT) e Eliziane Gama (Cidadania)/Foto: Reprodução

Os senadores maranhenses Weverton Rocha (PDT) e Eliziane Gama (Cidadania) reagiram nas redes sociais sobre a mais recente medida do governo Bolsonaro, que decretou sigilo em dados, cálculos e outras informações que constam na proposta de Reforma da Previdência, que está sendo debatida no Congresso.

Para Weverton, o sigilo do governo é um grave indicativo que há muita coisa errada na propostas. E que aceitar essa medida fará a população, principalmente os mais pobres, pagarem um preço ainda maior que o previsto.

“Aprovar uma reforma sem ver os cálculos seria como dar um cheque em branco para o governo. Mas esse cheque em branco seria pago pelos trabalhadores”, Alerta Weverto.

Quanta Eliziane, esta considerou a decisão do governo mais um erro grotesco e defendeu uma reforma justa aos mais pobres e totalmente transparente.

“Precisamos da reforma da Previdência, mas não podemos nos submeter a qualquer reforma, muito menos uma que pese a mão nos mais pobres e, muito menos ainda, uma que não seja 100% pública e transparente. Pedir sigilo aos dados da reforma é um erro grotesco do atual governo”, disse Eliziane Gama.

Weverton Rocha denúncia medida que exclui Maranhão de pacote para Agricultura

 

O senador Weverton Rocha (PDT-MA), informou nas redes sociais nesta quinta-feira (11), que está tomando providências no âmbito do Poder Legislativo, para o que ele classifica de inaceitável. De acordo com Weverton, o governo Bolsonaro prepara uma medida para o setor da Agricultura no Nordeste, mas que deixa de fora o Estado do Maranhão.

Screenshot_2019-04-11-12-30-25