Orçamento Secreto: PF prende suspeitos de esquema no Maranhão

Da Revista Piauí

A Polícia Federal prendeu nesta sexta-feira (14) os primeiros investigados por crimes relacionados ao orçamento secreto – o esquema pelo qual, em troca de apoio no Congresso, o governo Jair Bolsonaro direciona verbas públicas para atender deputados e senadores sem que eles sejam identificados.

Os dois presos, os irmãos Roberto e Renato Rodrigues de Lima, são suspeitos de atuar em uma ampla rede criminosa envolvendo o Sistema Único de Saúde (SUS) em municípios do Maranhão. 

Como revelou investigação da piauí na reportagem Farra ilimitada, o esquema funcionava da seguinte forma: as prefeituras registravam atendimentos médicos e consultas que nunca existiram, e enchiam o cofre com dinheiro vindo de emendas parlamentares do orçamento secreto. 

O nome da operação é Quebra Ossos, referência a um dos tipos de exames fantasmas registrados pela prefeitura de Igarapé Grande, as radiografias de dedo de mão. No ano de 2020, o município disse que fez 12,7 mil exames do tipo – o quarto maior número entre todas as cidades do Brasil, ficando atrás apenas de São Paulo, Porto Alegre e Belo Horizonte.

Nas planilhas oficiais do Congresso, Roberto Rodrigues de Lima aparece como solicitante de 69 milhões de reais em emendas de relator-geral do orçamento para municípios do Maranhão, só neste ano. Sem mandato, ele é um dos “usuários externos” que passaram a assumir solicitações de emendas do orçamento secreto, após o Congresso resolver descumprir a decisão do Supremo Tribunal Federal que determinou ampla publicidade às indicações. Deputados e senadores que não querem aparecer se escondem por trás de “usuários externos”, que funcionam como laranjas. Ou seja: a solicitação é feita por esse “usuário secreto”, mas o nome do parlamentar continua em segredo.

Nas planilhas oficiais do Congresso, Roberto Rodrigues de Lima aparece como solicitante de 69 milhões de reais em emendas de relator-geral do orçamento para municípios do Maranhão, só neste ano. Sem mandato, ele é um dos “usuários externos” que passaram a assumir solicitações de emendas do orçamento secreto, após o Congresso resolver descumprir a decisão do Supremo Tribunal Federal que determinou ampla publicidade às indicações. Deputados e senadores que não querem aparecer se escondem por trás de “usuários externos”, que funcionam como laranjas.

Ou seja: a solicitação é feita por esse usuário, mas o nome do parlamentar continua em segredo.

SSP-MA informa mais de 40 prisões nas últimas horas na Grande São Luís

As Polícias Militar e Civil do Maranhão, iniciaram no final desde ontem sexta-feira (25), várias ações de combate, controle e prevenção da criminalidade na Região Metropolitana de São Luís.

“Todo dia, toda noite e toda hora, a polícia está fiscalizando, revistando e prendendo, como fizemos ontem. Tivemos mais de 40 prisões em ações da Polícia Militar e da Polícia Civil. E isso vai continuar”, afirmou o secretário de Segurança Pública, Jefferson Portela.

Portela acrescentou que não há prazo para o término da operação.

As operações estão sendo realizadas nos bairros do municípios de São Luís, Paço do Lumiar, São José de Ribamar e Raposa é uma reação aos vários crimes registrados na última semana na Grande São Luís.

O foco das forças de segurança são contenção de crimes como homicídios, tráfico de drogas e assaltos a pessoas e veículos, entre outros. 

Segundo as forças de segurança do estado, já foram presas mais de 40 pessoas na operação conjunta lançada contra o crime na Ilha de São Luís.

Centenas de policiais e viaturas estão percorrendo dezenas de bairros da região. A operação varou a madrugada e continua.

PF cumpri mandados de prisões e buscas em São Luís, Imperatriz e Codó no MA

 

pf
Foto: Reprodução

A Policia Federal deflagrou nesta terça-feira (15/10), nas cidades de São Luís/MA, Imperatriz/MA e Codó/MA, a Operação INTRAMUROS, com a finalidade de reprimir organização criminosa especializada em tráfico de drogas e armas no estado do Maranhão.

Cerca de 150 policiais federais deram cumprimento a 32 mandados de prisão preventiva e 32 mandados de busca e apreensão, todas expedidas pela 1.ª Vara Criminal de São Luís/MA.

As investigações identificaram a atuação de facções criminosas no Estado do Maranhão. O grupo criminoso era dividido de forma estruturada e piramidal e possuía um setor responsável por planejar e realizar tráficos de drogas, armas e outros crimes no estado. Foram identificadas também as principais lideranças da organização criminosa no Maranhão e em outros estados.

Os investigados serão indiciados pelos crimes de tráfico de drogas, porte ilegal de armas e organização criminosa, previsto no artigo 33 da Lei 11.343/2006, artigos 14 e 16 da Lei n° 10.826/03 e o Artigo 2º da Lei nº 12.850/2013.

A operação foi denominada INTRAMUROS em razão da constatação algumas lideranças comandarem as práticas de criminosas do interior dos presídios.

Após prisões na casa de Astro de Ogum assessoria nega envolvimento dele em crime

 

astro.jpeg
Foto: Reprodução

A partir de uma denuncia de chantagem contra um jovem que denunciou a polícia, foi realizado na manhã desta quinta-feira (12), foram cumpridas prisões e apreensão na residência do vereador Astro de Ogum (PL), no bairro do Olho d’Agua. Ele é ex-presidente da Câmara Municipal de São Luís.

Pelas informações iniciais os alvos da policia foram dois assessores do vereador Astro de Ogum, que também conduzido passou mal e foi levado  para uma unidade de saúde. Na residencia do vereador foi apreendida uma arma e presos Raimundo Costa (o filho) e a transexual Raíssa Martins Mendonça. Eles poderão ser enquadrados por estupro mediante extorsão.

Os acusados estão sendo ouvidos na Superintendência Estadual de Investigações Criminais (SEIC). As investigações estão sendo realizadas há mais de um ano.

Logo após a ação policial a assessoria de Astro de Ogum em nota fez alguns esclarecimentos sobre o ocorrido. No informe é destacado que o vereador nada tem a ver com o objeto da ação da Superintendência Estadual de Investigação Criminal, realizada na manhã de hoje.

NOTA 

Acerca de matérias jornalísticas publicadas na imprensa maranhense, tratando da prisão do vereador Astro de Ogum por posse de arma, em respeito à sociedade ludovicense, a defesa do parlamentar, faz este comunicado com base nos esclarecimentos abaixo narrados, para que se restabeleça a verdade dos fatos, equivocadamente divulgados em blogs, portais e emissoras de rádio.

1 – Sob comando da Superintendência Estadual de Investigações Criminais, por meio do Departamento de Crimes Tecnológico, sob o comando do delegado Odilardo Muniz, a Polícia Civil deflagrou uma operação na residência do vereador Astro de Ogum, mas os alvos foram dois de seus assessores: um homem e uma mulher.

2 – No local, a Polícia apreendeu aparelhos celulares e notebooks dos investigados. No entanto, no imóvel foi encontrada uma arma de propriedade de um dos funcionários que faz a segurança do imóvel. Por conta disso, o politico foi conduzido à Seic para explicar a arma encontrada em sua residência, fato que já foi devidamente esclarecido.

3 – Por fim, para comprovar a veracidade dos fatos, anexamos cópias dos mandatos de busca e apreensão para comprovar que Astro não tem envolvimento com o episódio cujo alvo foi seus funcionários.

São Luís (MA), 12 de setembro de 2019.

Itamargarethe Correia Lima
Advogada e jornalista

Um dos supostos hackrs chegou a responder a uma postagem de Deltan

brasil 247 – Walter Delgatti Neto, um dos quatro supostos hackers presos na terça-feira (23) pela Polícia Federal, comentou sobre de que maneira as investigações poderiam demonstrar que, mesmo com o histórico de conversas de Sergio Moro e Deltan Dallagnol no Telegram tendo sido apagado, seria possível identificar a autenticidade das mensagens trocadas entre o ex-juiz e o chefe da Lava Jato em Curitiba, informa o BR18.

“No Twitter, em resposta a uma mensagem em que Deltan alega que após os ataques terem sido identificados, a decisão foi de ‘desativar a conta’, o suposto hacker indicou: ‘Mesmo apagando tudo, os caches ficam no celular, eles são arquivos fragmentados, sem o conteúdo da mensagens, mas com todas saídas e entradas de mensagens, EX: 23/04/2016 15:15:17 saiu uma mensagem, 15:30:18 recebeu uma, e se comparado com o material vai confirmar autenticidade!’, escreveu em 20 de junho, poucos dias após as primeiras reportagens serem publicadas. O conteúdo da Vaza Jato, aliás, é o principal assunto compartilhado por Walter na rede social”, conta a reportagem.

Servidores do Tribunal de Justiça do Maranhão são presos em São Luís

 

tj-ma
Foto: Reprodução

O Tribunal de Justiça do Maranhão, através do seu presidente Desembargador José Joaquim Figueiredo dos Anjos, divulgou no final da manhã desta segunda-feira (15), os detalhes das prisões de servidores da Justiça do Maranhão, ocorridas na manhã de hoje. A operação que envolveu o Ministério Público Estadual e pela Polícia Civil do Maranhão, com autorização judicial. Foram presos três pessoas.

Nota Pública

O Tribunal de Justiça do Maranhão vem a público informar que, na manhã desta segunda-feira (15/07/2019), três servidores do Poder Judiciário do Maranhão – dois efetivos e um terceirizado – lotados na Coordenadoria de Precatórios do Tribunal, foram alvo de mandados de prisão preventiva decretada pelo Juízo da 1ª Vara Criminal da Comarca da Ilha de São Luís.

A investigação criminal foi iniciada após requisição do Presidente do Tribunal de Justiça do Maranhão, Desembargador José Joaquim Figueiredo dos Anjos, em face de denúncias apresentadas perante a própria Coordenadoria de Precatórios, recebidas pelo Juiz Auxiliar da Presidência, coordenador da gestão de precatórios, André Bogéa.

A investigação criminal – que resultou nas prisões dos três servidores – foi desenvolvida pelo Ministério Público Estadual e pela Polícia Civil do Maranhão, com autorização judicial.

As ações desenvolvidas fazem parte de um conjunto de medidas que visam não apenas garantir a correta utilização dos recursos públicos destinados ao pagamento de precatórios, como também zelar pela proteção dos direitos dos respectivos credores, muitos dos quais idosos e portadores de doenças graves.

As condutas dos três servidores já vinham sendo monitoradas pelo Tribunal de Justiça do Maranhão, por meio da Coordenadoria de Precatórios, com o que se logrou prevenir prejuízos aos cofres públicos.

Importante ainda esclarecer que a ordem cronológica das listas de pagamentos dos entes públicos devedores de precatórios persistem intactas, imunes a quaisquer interferências ilícitas, vez que são confeccionadas segundo protocolo único do Tribunal de Justiça, inacessível aos servidores em questão.

O Tribunal de Justiça do Maranhão reafirma seu inarredável compromisso de bem desempenhar suas atribuições constitucionais, sempre voltado à moralidade, legalidade, impessoalidade, publicidade e eficiência, conforme o art. 37, caput, da Constituição Federal.

A persecução criminal se desenvolverá aos cuidados das autoridades públicas constituídas e respeitando as diretrizes do devido processo legal e da ampla defesa.

Desembargador José Joaquim Figueiredo dos Anjos
Presidente do Tribunal de Justiça do Maranhão 

Operação Policial em Turiaçu resulta em mortos, feridos e prisões

 

turiaçu
Corpos no necrotério em Turiaçu, sendo observado por popular

Uma operação envolvendo as policias Cível e Militar do Maranhão, realizada nas últimas horas, numa área quilombola no municio de Turiaçu e concluída no inicio da manha  dessa terça-feira (27), resultou em mortos e feridos. A ação teve como alvo um grupo liderado por um elemento identificado por “Pitombinha”.

As primeiras informações são de que dois elementos foram mortos, outros dois feridos e um está foragido. A ação policial foi deflagrada após o grupo, que estava aterrorizando as cidades Turiaçu, Serrano e Apicum-Açu passou ameaçar moradores e a própria policia em grupos de whatsapp.

Até o momento os mortos foram identificados apenas como “Ezequielzinho”, 18 anos, outro por “Angelo”, ambos não estavam portando documentos. Um dos elementos se encontra hospitalizado, ele foi vitima de tentativa de linchamento pela população. Os corpos dos mortos se encontram no necrotério da cidade de Turiaçu.

Segundo a policia, o líder do grupo foi preso no último sábado (25), “Pitombinha” é natural de Apicum-Açu, de onde seria foragido pela pratica de vários crimes, inclusive homicídio.

Colaboração Elton Santos (Turiaçu)