“Temos palanque no MA a oferecer”, diz PSB após reunião com o PT

Em reunião nesta quinta-feira, dia 20, em Brasília dirigentes do PT e PSB voltaram a debater aliança nas Eleições 2022. Apesar do entendimento em vários estados, em relação a São Paulo o impasse continua.

O presidente nacional do PSB, Carlos Siqueira, destacou nas redes sociais o resultado do entendimento na Bahia, Sergipe, Piauí, Rio Grande do Norte, Maranhão e Alagoas.

Quanto ao Maranhão, Carlos Siqueira, ratificou que o PSB terá candidato.

Participaram da reunião a presidente do PT, Gleisi Hoffmann; o presidente do PSB, Carlos Siqueira; o governador de Pernambuco e vice-presidente do PSB, Paulo Câmara; o deputado Paulo Teixeira, secretário-geral do PT; e do ex-governador de São Paulo Márcio França (PSB).

“Muita calma nessa hora”, Chico Gonçalves sobre fala de Lula

O petista, Chico Gonçalves, Secretário de Estado de Direitos Humanos, nesta quinta-feira, dia 20, classificou de “polêmica hermenêutica” a repercussão e utilização da fala de Lula nos meios políticos e imprensa no estado, sobre a disputa ao governo do Maranhão.

Segundo ele, Lula não se posicionou de forma contrária ao candidato de preferência de Flávio Dino, mas que o líder petista foi claro ao dizer: “A gente apoia Flávio Dino. E o candidato de Flávio se for num partido que dê pra gente apoiar”.

“Entrevista de @LulaOficial provoca polêmicas hermenêuticas no Maranhão. Muita calma nessa hora”, disse Chico Gonçalves nas redes sociais: “A gente apoia @FlavioDino . E o candidato de Flavio se for num partido q dê pra gente apoiar. E tem o Weverton. Se eles se acertarem ótimo. Se não, paciência!”, disse Chico Gonçalves nas redes socias.

Quem também resolveu entrar no polêmico debate da sucessão ao governo do Maranhão foi o deputado Duarte Júnior (PSB). O parlamentar está defendendo a filiação de Carlos Brandão ao PSB, o que colocaria um fim, segundo ele, à dificuldade do PT apoiar o nome escolhido pelo governador Flávio Dino, para sucessão ao governo.

“E aí, bora resolver?! @LulaOficial não apoia candidato do PSDB. @carlosbrandaoma vem para o @PSBNacional40 e @ptbrasil indica o próximo vice-governador do Maranhão. Tá resolvido!”, Duarte Jr no twitter.

Para apoiadores do senador Weverton Rocha, a fala de Lula foi uma sinalização de apoio ao pedetista. Já para aliados do vice-governador Carlos Brandão, o ex-presidente apenas revelou uma dificuldade de aliança partidária.

O fato é que a declaração do ex-presidente Lula agitou muito mais os bastidores políticos no Maranhão, antes da reunião de 31 de janeiro, quando as lideranças da base de apoio ao governo definirão como e com quem caminharão em 2022.

Dólar passou operar em queda, após aceno de Lula a Alckmin

Da Revista Fórum

A entrevista de Lula concedida a setores da mídia independente em São Paulo, nesta sexta-feira, dia 19, movimentou os meios políticos. Até o dólar passou operar em queda, após declarações do petistas.

O posicionamento de Lula, sobre a possibilidade de Geraldo Alckmin, compor como vice na sua chapa presidencial, repercutiu de imediato.

Eu não terei nenhum problema se tiver que fazer uma chapa com Alckmin para ganhar as eleições e governar esse país. Nós vamos construir um programa de interessa da sociedade brasileira. Todo mundo sabe o que eu quero para esse país, não abro mão de que a prioridade e o povo brasileiro, o povo trabalhador, a classe média baixa, o que está desempregado, essa gente é que tem que ser a nossa prioridade e eu espero que o Alckmin esteja junto”, disse Lula.

A entrevista de Lula foi concluída no inicio da tarde, às 16h30, o dólar apresentava baixa de 1,69% e era negociada a R$ 5,4659, após operar no patamar de R$ 5,52 por volta de 11h15.

81% dos brasileiros são a favor do ‘Passaporte da Vacina’ contra Covid

O deputado Othelino Neto (PCdoB), presidente da Assembleia Legislativa do Maranhão, não está só na defesa da exigência do ‘Passaporte Vacinal’ contra a Covid-19.

Pesquisa Datafolha mostra que 81% dos brasileiros apoiam ‘passaporte da vacina’, o que ratifica a importância do Projeto Lei de autoria de Othelino, que prevê a obrigatoriedade de apresentação do comprovante de imunização para o acesso em estabelecimentos e eventos em geral em todo Maranhão. 

Segundo o DataFolha, 81% dos entrevistados são a favor da exigência do “passaporte de vacina”; 18% são contra; e 1% não soube responder.

O Projeto de Lei Lei 001/2022 do deputado Othelino Neto, que trata sobre a obrigatoriedade do Passaporte Vacinal, tem como objetivo proteger não só a população, mas, também, a atividade econômica.

Twitter no Brasil libera ferramenta para denunciar fake news

Depois de apelos e reclamações está liberado desde o inicio desta semana no Brasil ferramenta no twitter para denunciar desinformação.

“..o fato de 2022 ser ano de eleições no Brasil e nas Filipinas.., contribuirá para avaliação de como esta ferramenta de denúncias seria usada em períodos de grandes eventos cívicos..”, destaca o twitter.

O recurso ainda em teste no Brasil também está liberado nas Filipinas e Espanha. Nos EUA, Austrália e Coreia do Sul já é utilizado dede 2021.

Acesso ao TRE-MA só com ciclo vacinal completo contra Covid-19

A acesso no Tribunal Regional Eleitoral do Maranhão, a partir desta segunda 17, está permitido apenas para quem comprovar esquema vacinal completo para Covid-19.

A medida serve para: magistrados (as), servidores (as), estagiários (as), colaboradores (as) terceirizados (as), prestadores (as) de serviço, membros do Ministério Público, defensores (as) públicos, advogados (as) e público em geral nas dependências dos fóruns e cartórios eleitorais do Maranhão.

Na sede do TRE-MA a medida já está valendo desde o dia 4 de outubro de 2021.

Considera-se como ciclo vacinal completo a pessoa imunizada com o número total de doses da vacina utilizada, conforme prescrição do Ministério da Saúde, não computadas, para esse fim, as doses de reforço.

Covid e tarifas aéreas coloca Câmara Federal no modo remoto

O presidente da Câmara Federal, Arthur Lira (PP), informou nesta segunda-feira, dia 17, que os trabalhos presencias na Câmara Federal, só depois do carnaval.

Segundo ele, o motivo é a nova onda da Covid-19 e altas tarifas aéreas.

Paulo Vitor, Dr. Gutemberg e a presidência da Câmara de São Luís

Marcada para abril, a eleição da Mesa Diretora da Câmara Municipal de São Luís, começa definir movimentos dos principais nomes na disputa, os vereadores Paulo Vitor (PCdoB) e Dr. Gutemberg (PSC).

No final de semana vereadores, entre eles, alguns que tinham se colocado como pré-candidatos como o vereador Raimundo Penha (PDT), declarou voto em Dr. Gutemberg. Já o ex-presidente da Câmara, Astro de Ogum (PCdoB), declarou apoio a Paulo Vitor.

O vereador Dr. Gutemberg é apoiado pelo atual presidente da Câmara, Osmar Filho (PDT). Ele também é o preferido do Palácio de La Ravardier. Dos quatro vereadores filiados ao PODEMOS, partido do prefeito Eduardo Braide, três já disseram que apoiam Paulo Vitor.

Pelas contas do grupo de Paulo Vitor, dos 31 vereadores, 17 estariam fechados com ele.

Eleições 2022: estados poderão ter palanques duplos para presidente

Do O Globo

indefinição para a composição das chapas e alianças, a menos de um ano da disputa, e os resultados recentes das pesquisas de intenção de voto abrem brechas para a formação de palanques múltiplos.

Ao menos em dez estados, candidatos a governador podem receber o apoio de dois ou mais presidenciáveis.

Moro, o teto de gastos e a histeria dos náufragos

Ricardo Cappelli

É curiosa a histeria dos liberais quando se coloca em debate a revisão do teto de gastos e da reforma trabalhista. A situação é tão pitoresca que o establishment resolveu fazer de um ex-juiz medíocre e ignorante o novo farol do liberalismo brasileiro. Roberto Campos deve estar dando voltas no túmulo.

Em contato com a realidade objetiva, os pseudoliberais brasileiros resolveram que transformariam esterco em ouro. Difícil funcionar.

A reforma trabalhista não criou os empregos prometidos. Se corrigiu pequenas disfunções de nosso sistema, serviu mesmo para aprofundar, maximizar e oficializar a mais-valia que avança em progressões geométricas.

O teto de gastos é outra ficção. Uma jabuticaba inventada pelo desespero de um presidente que tentava se agarrar à cadeira – a guinada fiscalista e neoliberal de Temer com a sua “Ponte para o Futuro” rompeu com as tradições históricas do MDB, patrono da Constituição Cidadã de 1988.

O que o tal teto trouxe de benefícios? Fechamos 2021 com a inflação em dois dígitos e o desemprego nas alturas. Permanentemente ameaçado por suas próprias loucuras, Bolsonaro liquidou o orçamento público e a capacidade de investimento do país.

São raros os liberais autênticos no Brasil. O que temos de sobra é uma elite atrasada, escravocrata e sem nenhum compromisso com o país.

O que hoje ameaça a democracia é o mesmo que está transformando a nossa elite em alquimista de quinta categoria: a desigualdade crescente. Segundo o economista francês Thomas Piketty, vivemos a maior concentração de renda e riqueza da história da humanidade.

Ninguém nasce com “vontade de democracia”. Ela é um contrato social assinado pelo povo com a garantia de que a sua vida vai melhorar. Sem apresentar ideias que dialoguem com este problema histórico objetivo – desemprego estrutural ascendente, formação de exércitos de “inimpregáveis”, concentração brutal da renda e do capital -, nenhuma ideologia fica de pé.

Quais as propostas dos liberais para resolver estas questões? Uberização das relações de trabalho? Teto de gastos para impedir a expansão das políticas sociais e a possibilidade de um novo projeto nacional de desenvolvimento?

André Lara Resende, economista, intelectual e considerado um dos pais do Plano Real tem dinamitado o neoliberalismo anacrônico e mofado. O insuspeito liberal, ciente do momento histórico vivido pelo atual processo de acumulação capitalista, adotou a defesa de um neokeynesianismo com foco no planejamento e na eficiência.

O “campo liberal” está em crise por ver que seus pressupostos clássicos estão naufragando diante de uma realidade cada vez mais excludente. Não adianta defender um bolsonarismo “educado e pró-vacinas” sem Bolsonaro.

Para ficar com as mesmas ideias com voz de marreco, talvez a parcela conservadora de nossa sociedade prefira o original.