Convite de Lula a Flávio Dino para se filiar ao PT é boato

 

lula-flavio-dino-e1580209339590
Lula e Flávio Dino/Foto: Reprodução

Desde ontem, com a entrevista da presidenta do PT, Gleisi Hoffmann, ao Valor, a Central de Boatos de Brasília foi ligada para especular sobre Flávio Dino no PT.

O colunista Lauro Jardim, de O Globo, publica hoje que Lula teria dito, no recente encontro que teve com o governador do Maranhão, para Dino “voltar para casa”. Dino já foi filiado ao PT.

Em 2018, sim, Flávio Dino chegou a ser sondado por alguns petistas se não considerava voltar para o partido. As conversas, porém, não evoluíram.

Dino acha difícil consolidar seu projeto de candidato a presidência da República pelo PCdoB, mas essa ainda é sua primeira opção.

Em relação a Lula, ele tem grande simpatia por Dino mas sabe que um convite desses no atual momento traria mais problemas do que soluções para o PT.

Além de Fernando Haddad, o PT tem dois governadores em mandato com ambições presidenciais, Camilo Santana (Ceará) e Rui Costa (Bahia). Lula não pode impedir que batalhem pela indicação tão cedo para trazer Dino. Isso poderia implodir o partido. (Revista Fórum)

Eleições 2022: Tarso Genro diz que Flávio Dino mexeu no tabuleiro

 

haddadedino-e1580139254668
Fernando Haddad (PT) e o governador Flávio Dino (PCdoB)/Foto: Reprodução

Um dos grandes nomes e lideranças do PT, o ex-ministro e governador, Tarso Genro, ao comentar a entrevista ao Valor Econômico, concedida pela Presidente do Partido, Gleisi Hoffmann, sobre a sucessão de 2022, disse que o governador Flávio Dino (PCdoB) mexeu no tabuleiro e que lideranças do campo progressista terão que discutir mais sobre unidade.

‘Dino mexeu no tabuleiro. Logo vamos ver Lula, Boulos, Dino, Manuela, Requião e Haddad pensando e mais unidade!’, disse Tarso Genro no twitter.

De acordo com a deputada Gleisi Hoffmann (PR), presidente Nacional do PT, caso Lula não tenha condições de participar das eleições como candidato, o PT poderá apoiar uma chapa com Flávio Dino e Fernando Haddad, sendo o governador do Maranhão, o cabeça de chapa em 2022.

‘Dino está se colocando no cenário nacional, é preparado e está fazendo um movimento legítimo,.. Ele pode ser uma alternativa, nós o respeitamos muito, ele sempre foi muito leal à causa do presidente Lula’ destacou Gleisi Hoffmann.

Partido dos Trabalhadores vai acionar Bolsonaro e Moro no STF

 

moro-bolsonaro-580x330
Jair Bolsonaro e Sérgio Moro/Foto: Reprodução

A presidente nacional do PT, Gleisi Hoffmann, disse nesta segunda-feira (12) que acionará Sérgio Moro e Jair Bolsonaro, no STF, com uma notícia crime por propaganda negativa extemporânea.

O motivo foi a divulgação do vídeo depois de uma operação da Polícia Federal (PF), que sugere ligações do PT com a organização criminosa PCC.

“O que vimos essa semana foi mais uma armação grotesca das forças reacionárias para tentar criminalizar o PT. A notícia falsa, vazada pela Polícia Federal de Moro, foi cabalmente desmentida pelo promotor Lincoln Gakiya, que há mais de uma década investiga a facção criminosa”, destacou Gleisi Hoffmann.

O PT também pretende processar os integrantes da PF envolvidos na operação que investigou o núcleo financeiro do PCC. Segundo o partido dos trabalhadores, a polícia divulgou a fala de um membro da organização citando o PT, sem nenhum indício relacionando o partido.

Gleisi Hoffmann e Ana Amélia agitam Senado com forte bate-boca

 

briga
Senadoras Gleisi Hoffmann (PT) e Ana Amelia (PP)/ Foto: Folha Política

Não convide as senadoras Gleisi Hoffmann (PT-PR) e Ana Amélia (PP-RS), para confraternização de fim de ano. Elas voltaram travar inicialmente um intenso debate que se transformou em bate-boca, nesta quarta-feira (28), no Plenário do Senado Federal.

A petista estava na tribuna defendendo o ex-presidente Lula, quando a senadora Ana Amélia, ao pedir um aparte prontamente negado, foi iniciado uma forte troca de acusações. A sessão estava sendo presidida pelo senador Cidinho Santos (PR-MT), que parecia não saber o que fazer diante da fúria das duas experientes parlamentares.

Adversárias declaradas, não é a primeira vez que protagonizam esse tipo de situação no Senado Federal. Porém, a partir de 2019, elas terão que buscar outro espaço para continuarem confrontando as diferenças pessoais e políticas.

Gleisi Hoffmann (Presidente Nacional do PT) não concorreu à reeleição ao Senado,  disputou e conquistou uma das vagas na Câmara Federal. Já Ana Amélia, concorreu como vice na chapa derrotada de Geraldo Alckmim, e ficará sem mandato. Não há oficialmente informações o que fará, mas há quem diga que ainda espera espaço no governo Bolsonaro, cujo voto e apoio declarou no segundo turno.