Maranhão entre os que mais elegeu ‘candidatos negros’ em 2022

Do UOL

O Brasil elegeu 517 parlamentares que se declararam negros, o que representa 32,3% dos deputados federais, estaduais e senadores que assumirão os mandatos em 2023. Nem todos esses políticos, porém, podem ser considerados negros aos olhos da sociedade brasileira.

O Maranhão aparece na sequência na lista dos estados que mais elegeram negros para a Câmara dos Deputados. Foram 11, dos quais sete tiveram a autodeclaração contestada.

Os partidos de direita são os que mais elegeram deputados federais autodeclarados negros. Juntos, PL, Republicanos, União Brasil e PP têm 57% dos eleitos deste grupo racial. Eles também são os que mais tiveram as identidades raciais de seus eleitos contestadas pela banca de heteroidentificação. Entre eles estão o atual presidente da Câmara dos Deputados, Arthur Lira (PP-AL); o segundo mais votado no Ceará, Júnior Mano (PL-CE); e Wellington Roberto (PL-PB).

A pedido do UOL, uma banca de heteroidentificação racial — método usado para evitar fraudes nas cotas raciais —, apontou que só 263 destes eleitos são negros. Isso representa 16,4% dos novos ingressantes no Senado, na Câmara e nas assembleias legislativas estaduais.

Realizada sob a liderança da doutora em sociologia pela Unesp (Universidade Estadual Paulista) Marcilene Garcia de Souza, a análise seguiu uma portaria de 2018, do antigo Ministério do Planejamento, Desenvolvimento e Gestão, que regula a checagem racial de cotistas negros em concursos públicos federais. O procedimento averigua os fenótipos negroides das pessoas, ou seja, os detalhes físicos pelos quais elas são percebidas como negras. Por exemplo: pele escura, cabelos crespos ou encaracolados, lábios e nariz grossos.

MP-MA realizará programação para o mês da Consciência Negra

O Ministério Público do Maranhão, por meio do Centro Cultural, promove, a partir de quinta-feira, 17, uma programação especial alusiva ao Mês da Consciência Negra, que inclui exposição coletiva, feira de artesanato e apresentações de atrações culturais. Todas as atividades serão realizadas no Centro Cultural e Administrativo do MPMA, localizado na Rua Oswaldo Cruz, 1396, Centro.

A programação terá início no dia 17, às 9h, com a solenidade de abertura da exposição Raízes Ancestrais, composta por telas de Tassila Custodes e de Uaatê, além de esculturas de Jean Charles, Izabel Matos e Guaracy Soares. A exposição ficará em cartaz até o dia 30, no Espaço Ilzé Cordeiro, no Centro Cultural. Na ocasião, haverá atrações culturais, com apresentação do poeta Guaraci e os cordelistas Mozés, Genilda e Raimunda Frazão. 

As comemorações do Mês da Consciência Negra terão ainda um brechó e a comercialização de produtos orgânicos nos dias 17 e 18. Entre os produtos que poderão ser adquiridos estão geleias e pães integrais, da Casa de Helena; doces, da Dulce Cook, azeite e farinha, da Cresol, e hortaliças da Tijupá. Já nos dias 28, 29 e 30, haverá uma Feira de Artesanato, Culinária e Farmácia de Axé.

Encerrando a programação, no dia 30, haverá desfile do Rei Afro, além de apresentações culturais com Gil Maranhão, Zaida Moraes e Paulo Cacique, Cilos Brown e MC Katinha.

Deputado federal é acusado de racismo após destruir placas sobre Consciência Negra

 

Deputados de oposição na Câmara Federal querem que o deputado Coronel Tadeu (PSL-SP), seja levado ao Conselho de Ética para ser punido, após quebrar placas da exposição da Casa em referência ao Dia da Consciência Negra. A data é comemorada oficialmente nesta quarta (20), quando será protocolado o requerimento dos opositores.

A senadora maranhense Eliziane Gama  no twitter lamentou e repudiou a atitude do Coronel Tadeu. Para ela, esse tipo de atitude e inadmissível principalmente pelo um representante do povo.

Quão absurdo é um ato de um parlamentar, de um “representante” do povo que se presta a, no mês da consciência negra em uma exposição artística sobre racismo, atacar violentamente uma das peças da exposição? Este ato abjeto merece repúdio de todos os brasileiros.

Considerada uma atitude racista, uma provável punição deverá ser decidida pela Comissão de Ética. Em protesto parlamentares de vários partidos deixaram o plenário da Câmara.

Outro parlamentar maranhense que se pronunciou em protesto a atitude classificada de racista do Cel. Tadeu, através das redes sociais foi o deputado Bira do Pindaré (PSB).

“O deputado Coronel Tadeu, numa atitude inaceitável, rasgou um cartaz alusivo à violência contra a população negra. A peça integra exposição oficial da Câmara, chamada “Trajetórias Negras”, que homenageia personalidades negras do Brasil. Vamos ao Conselho de Ética. Racismo NÃO!”, reagiu Bira do Pindaré.

 

Maranhão anuncia políticas públicas para comunidades quilombolas

 

negros no ma

O Governo do Maranhão segue com políticas para promoção da igualdade racial, com o lançamento de políticas públicas voltadas para quilombolas. As medidas serão assinadas na quarta-feira (21), no Palácio dos Leões, integrando a programação da Semana da Consciência Negra, organizada pela Secretaria da Igualdade Racial (Seir).

Dentre as medidas que serão assinadas está o decreto de instituição do Selo Quilombos do Maranhão, que garante a origem de produtos da agricultura familiar dos quilombolas; será assinado o decreto de desapropriação do Território Quilombola de Sesmarias de Jardins, no município de Matinha, beneficiando os quilombos de Bom Jesus, Patos e São Caetano; e a conclusão do processo de arrecadação dos territórios quilombola de Santo Antônio dos Pretos e Mariano dos Campos e da comunidade de Soledade, localizados no município de Serrano do Maranhão.

Também será realizada a entrega de motocicletas para as prefeituras de Alcântara, Icatu, Serrano, Bacabal, Peritoró, Lima Campos, Santa Rita, Itapecuru, Monção e Anajatuba.

Os veículos equiparão as secretarias e/ou departamentos municipais de Igualdade Racial, contribuindo para melhor atendimento das comunidades quilombolas destes municípios. Será anunciada, ainda, a certificação do Quilombo Urbano Liberdade, a primeira comunidade urbana quilombola do Maranhão.

As comemorações da Semana da Consciência Negra começaram nesta segunda-feira (19), com uma palestra para mulheres na comunidade quilombola de Juçatuba, no município de São José de Ribamar; com o tema ‘Identidade Étnica e Saúde da Mulher Negra’.

O evento prossegue com uma extensa programação até o domingo (25) e terá ainda atividades nos dias 29 e 30 que marcarão o encerramento da agenda, respectivamente, o Seminário Educação e Juventudes Negras e o Seminário Saúde nos Quilombos, ambos na Casa do Maranhão.

Dificuldade para negros no mercado de trabalho tem nome: racismo

 

negros-empregos

Hoje, 20 de Novembro, Dia da Consciência Negra, tem objetivo também de lembrar a divida que há com as minorias, entre elas, o negro no Brasil. É possível apontar avanços, mas igualdade de direitos e oportunidades ainda é um grande desafio.

O Jornal Folha de SP, na sua edição de hoje, trás dados sobre quanto ainda teremos que percorrer para alcançar justiça social e fim às desigualdades no Brasil. A reportagem do jornal Folha de S. Paulo ratifica a luta dos negros por oportunidades e contra o racismo no país.

De acordo com a matéria, a dificuldade para inserir negros no mercado de trabalho tem nome: indiferença à questão.