Zé Inácio e Cricielle na Direção da Federação da Esperança

O deputado estadual Zé Inácio e Crisele Muniz ambos militantes do PT no Maranhão, agradeceram nesta quarta-feira, dia 25, nas redes sociais suas indicações para compor a Direção Nacional da ‘Federação Esperança’, formada pelo PT, PCdoB e PV.

O TSE aprovou, por unanimidade, o primeiro pedido de federação partidária após a criação do instituto pela Reforma Eleitoral de 2021. A partir de agora, durante os quatro anos da próxima legislatura (2023-2026), as agremiações atuarão em conjunto como um único ente partidário.

PSB, PT e PCdoB realizarão em 7 de maio grande ato no Maranhão

As direções do PSB, PT e PCdoB no Maranhão voltaram se reunir na segunda-feira, dia 25, na capital maranhense, onde debateram e definiram algumas etapas da estratégia para as Eleições 2022 no estado.

Com liderança do ex-governador Flávio Dino, presidente Estadual do PSB, as siglas discutiram a construção da candidatura do ex-presidente Lula no Maranhão.

“..mais uma reunião entre as direções estaduais do PT, PCdoB e PSB. Estamos unidos para construir uma grande vitória com a pré-candidatura de Lula a presidente. Queremos um governo que trabalhe todo dia, em favor do progresso social e de oportunidades para todos..”, destacou Flávio Dino.

Na reunião ficou definido a realização de um grande ato no dia 07 de maio para apresentação de sugestões para programas de governo no estado que terá na disputa o governador Carlos Brandão (PSB), e também, nacionalmente com a candidatura do ex-presidente Lula.

O ato será aberta para todos os filiados aos partidos.

PT, PCdoB e PV registra a Federação nesta segunda-feira dia 18

A Federação envolvendo o PT, PCdoB e PV será formalizada nesta segunda-feira, dia 18, com o nome de ‘Federação Brasil da Esperança’, as siglas atuarão juntas nas eleições e no Congresso Nacional.

A direção terá 18 membros, os presidentes dos partidos são membros natos, as outras 15 vagas serão preenchidas de forma proporcional aos votos obtidos nas eleições.

A deputada Gleisi Hoffmann (PT), presidirá a Federação; Luciana Santos (PCdoB), será a primeira vice-presidente; e José Luis Penna (PV), segundo vice.

No twitter a deputado federal, Gleisi Hoffmann, presidente nacional do PT, comemorou a formalização da Federação e união com outros partidos do campo progressista para derrotar Jair Bolsonaro.

Abaixo a nota dos partidos informando como funcionará a Federação:

As direções nacionais do PT, PCdoB e PV registram nesta segunda-feira (18) o estatuto e o programa da Federação Brasil da Esperança (FE Brasil). Os documentos foram aprovados em reunião no último domingo.

A Assembleia Geral da Federação, órgão máximo de deliberação, será composta por 60 membros, sendo 9 vagas distribuídas igualmente (3 por partido) e 51 distribuídas na proporção dos votos obtidos por cada partido nas eleições para a Câmara dos Deputados de 2018.

As deliberações da Assembleia Geral serão tomadas por maioria de três quartos de seus membros.    Na composição da Assembleia Geral, cada partido terá de indicar no mínimo 30% de mulheres e no mínimo 20% respeitando o critério étnico-racial.

A Comissão Executiva Nacional da Federação terá 18 membros. Os presidentes de cada um dos partidos são membros natos da comissão e as outras 15 vagas seguirão à proporção dos votos obtidos na eleição para a Câmara de 2018.

A primeira presidenta da FE Brasil será a deputada Gleisi Hoffmann (PT); a primeira vice-presidenta, Luciana Santos (PCdoB), e o segundo vice, José Luís Penna (PV).

O mandato é de um ano, com rodízio entre os presidentes de cada um dos partidos, podendo haver recondução por decisão unânime.

Os partidos da FE Brasil atuarão em conjunto no Congresso e na sociedade para promover a reconstrução do país, a defesa da soberania nacional, da democracia e dos direitos do povo, para fortalecer a candidatura do presidente Lula e sua base parlamentar.

Eleições 2022: PSB, PT e PCdoB discutem estratégia no Maranhão

Com aprovação pelo diretoria nacional do PT da indicação de Geraldo Alckimin (PSB) para vice de Lula na chapa presidencial, no Maranhão PSB, PT e PCdoB se reuniram e iniciaram a discussão sobre a pré-campanha e campanha eleitoral presidencial e para o governo do estado.

No Maranhão PSB e PT também estão juntos na disputa majoritária com Carlos Brandão (PSB) e Felipe Camarão (PT).

Além de aprovar a indicação do PSB do nome do ex-governador de São Paulo, Geraldo Alckimin, o diretório nacional do PT também aprovou a federação com PCdoB e PV. A chapa Lula e Alckmin deverá ser aprovada em definitivo em junho no encontro nacional do PT.

Adelmo Soares sai do PCdoB para entrar no PSB

O deputado estadual, Adelmo Soares, informou nesta sexta-feira, dia 4, que saíra do PCdoB e que se filiará ao PSB. Ele é o segundo parlamentar do PCdoB que anuncia saída do partido esta semana.

O ato de filiação de Adelmo Soares acontecerá na próxima semana na sede do PSB em São Luís.

Carta de desfiliação.

Durante o período em que estive filiado ao PCdoB  me mantive fiel às ideias desse heróico partido, protagonista nas grandes lutas e conquistas do povo brasileiro e decisivo nas transformações social, política e econômica, ocorridas nos últimos anos no Maranhão.

Mas, a vida é dinâmica, a sociedade muda. Assim, em razão da necessidade de me adequar ao novo momento político do nosso País, e, especialmente do nosso Estado, chegou a hora de mudar de partido.

Levo na bagagem o aprendizado que adquiri ao longo de 12 anos de militância ao lado de pessoas extraordinárias. Também levo incontáveis vitórias e um bem precioso, chamado gratidão. A troca de partido não significa uma despedida, mas  apenas uma adequação ao novo e desafiador cenário.

Assim, ao me desfiliar do PCdoB, tenho palavras de agradecimento e reconhecimento.

Enfim, reafirmo meu desejo de continuar trabalhando pelo desenvolvimento do Maranhão e pelo bem-estar do nosso povo.

Valeu PCdoB, aqui fica o meu muito Obrigado por tudo e por tanto!

Adelmo Soares
Dep. Estadual

“Muito obrigado, PCdoB!”, Rubens Jr ao anunciar saída do partido

Como era esperado o deputado federal, Rubens Júnior, anunciou nesta quinta-feira, dia 3, sua saída do PCdoB, partido que ingressou a convite do governador Flávio Dino (PSB), e que ficou 13 anos.

No comunicado o parlamentar ratifica seu apoio às candidaturas de Flávio Dino para o Senado; do vice-governador Carlos Brandão ao Governo; e de Lula para a Presidência da República.

“Mudo de partido, mas não mudo de lado, mantendo a coerência política e os mesmos ideais. Apoio firmemente a eleição de Flávio Dino ao Senado e a de Carlos Brandão ao Governo do Estado. Tenho a total convicção de que ambos representam o melhor caminho para o Maranhão. No campo nacional, fortaleço ainda mais a minha disposição para lutar contra o obscurantismo bolsonarista, apoiando a pré-candidatura do presidente Lula”, destaca trecho da carta.

Na carta aberta Rubens Júnior destaca sua gratidão pelas lutas e vitórias no PCdoB e a motivação da mudança partidária: ‘indefinições no sistema de Federações Partidárias’.

Integra da Carta: 

Hoje me desfilio do PCdoB. É para mim, acima de tudo, um dia de agradecimento.

Agradeço a oportunidade de ter construído uma trajetória de lutas a favor do nosso povo, nesses mais de 13 anos em que tive a honra de compor os quadros do partido.

No PCdoB lutei todos os justos combates. Sempre fui leal e ajudei com orgulho a liderar, na Assembleia Legislativa do Maranhão, um processo histórico de mudança dos rumos do nosso Estado, sempre defendendo as pautas populares. No PCdoB me elegi deputado estadual e federal duas vezes, fortalecendo a coerência, enfrentando com clareza e disposição as tentativas de retrocesso no Brasil, ao me opor firmemente aos governos Temer e Bolsonaro.

Sou profundamente grato à militância do PCdoB, sobretudo pelo firme apoio nas eleições de 2020. Jamais esquecerei a liderança do presidente do partido, deputado Márcio Jerry que, ao lado da UJS, da UNEGRO, da UBM, da CTB e de tantos outros movimentos sociais carregaram a bandeira da nossa candidatura na reta decisiva da campanha.

Agradeço especialmente ao governador Flávio Dino, que me motivou a ingressar no partido, me inspirando a superar os muitos desafios em nome da causa progressista, à favor dos que mais precisam.

Neste momento de muitas transformações no sistema eleitoral, a decisão de mudança partidária é motivada pelas indefinições no sistema de Federações Partidárias.

Mudo de partido, mas não mudo de lado, mantendo a coerência política e os mesmos ideais. Apoio firmemente a eleição de Flávio Dino ao Senado e a de Carlos Brandão ao Governo do Estado. Tenho a total convicção de que ambos representam o melhor caminho para o Maranhão. No campo nacional, fortaleço ainda mais a minha disposição para lutar contra o obscurantismo bolsonarista, apoiando a pré-candidatura do presidente Lula.

Este é um momento que requer de todos nós atenção, paciência e reflexão, tendo a certeza de que a mudança partidária fortalecerá as justas causas do nosso grupo político.

Em 2014 mudamos os rumos do Maranhão. Com o governador Flávio Dino aproximamos as políticas públicas dos que realmente precisavam do apoio do Estado.

Em 2022 a luta é para garantir que esse firme legado se mantenha e se amplie. Para isso, todos temos que fortalecer nossas convicções, reorganizar nossas formas de luta, afirmando nosso compromisso com o que é justo, sem jamais esquecer de onde viemos e dos ideais que representamos.

Muito obrigado, PCdoB!

Rubens Pereira Júnior – Deputado Federal

São Luís, 03 de março de 2022

Eleições 2022: PSB e PT voltam se reunir nesta quinta-feira dia 10

Dirigentes do PSB e PT voltam se reunirem nesta quinta-feira, dia 10, na pauta filiação de Geraldo Alckmin e Federação. Os partidos estão com a união praticamente fechada para as Eleições 2022.

O encontro acontecerá com o aval importante de 19 deputados federais do PSB, que em carta aos membros do partido eles se posicionam em favor da candidatura de Lula e da federação entre PSB, PT, PCdoB e PV.

Aos Membros do Diretório Nacional do PSB
Aos Filiados do Partido Socialista Brasileiro

A unidade política preconizada neste documento, apoiado por ampla maioria da Bancada, com o claro objetivo de que o princípio que deva prevalecer na Federação é o do equilíbrio, perpassa por oito pontos:

I. Candidatura única do nosso campo político, representada pelo ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, embasada nos princípios democráticos e republicanos e amplo lastro social, de diálogo franco com as forças políticas democráticas, para retomar a economia, a estabilidade política, o compromisso social com os brasileiros e enfrentar a dor desumana e inaceitável da fome e da pobreza, através da geração de
empregos, fortalecimento dos serviços públicos e distribuição de renda;

II. Construção de Programa de Governo que assegure a democracia; promova políticas de combate ao desemprego e a fome, e garanta políticas públicas de educação, saúde, assistência social, segurança pública e de preservação ambiental sustentável.

III. Constituição de Federação de Partidos tendo como núcleo central o PSB, o PT, o PCdoB e o PV, podendo ser integrada por outros partidos que queiram dela participar e estejam de acordo com o programa por ela defendido.

IV. Que a Assembleia de Direção da Federação seja equilibrada e incorpore o peso do número de prefeitos e vereadores de cada partido. O PSB não quer ser maior do que é, mas também não pode ter o seu tamanho reduzido;

V. Que se estabeleça a figura das candidaturas natas aos prefeitos dos partidos que compõe a federação e que tiverem o direito de disputar a sua reeleição;

VI. Que na definição das vagas para as candidaturas a deputados federais e estaduais seja considerada também a proporcionalidade de cada partido nos estados (não apenas na proporcionalidade nacional que pode distorcer a realidade dos estados);

VII. Para impedir qualquer tipo de hegemonismo nas decisões internas e a fim de promover o consenso como método fundamental de resolução em caso de divergências, que seja instituído o poder de veto aos partidos minoritários.

A federação dos partidos progressistas é a base da unidade das forças democráticas para vencermos as eleições de 2022, que será plebiscitária acerca da Constituição de 1988; para eleger maior número de parlamentares alinhados com o seu Programa de Governo e dar garantias para a governabilidade, fator essencial de sustentação do futuro governo no ambiente de ameaça à democracia como esse que o País atravessa.

Por oportuno, reafirmamos a nossa confiança na condução política do presidente Carlos Siqueira que saberá transpor eventuais diferenças internas de posicionamento, conduzindo o PSB a uma condição que acentue sua influência no atual cenário político do país.

Brasília, 08 de Fevereiro de 2022.

Alessandro Molon; Aliel Machado; Bira do Pindaré; Camilo Capiberibe; Cássio Andrade; Danilo Cabral; Denis Bezerra; Elias Vaz; Felipe Carreras; Gervásio Maia; Gonzaga Patriota; Júlio Delgado; Lídice da Mata; Marcelo Freixo; Marcelo Nilo; Mauro Nazif; Milton Coelho; Rafael Mota; Vilson da Fetaemg

Márcio Jerry ratifica apoio do PCdoB a Carlos Brandão e Flávio Dino

O secretário de Estado das Cidades, Márcio Jerry, presidente estadual do PCdoB no Maranhão, usou as redes sociais nesta segunda-feira, dia 7, para confirmar o apoio do partido nas Eleições 2022, a Carlos Brandão (PSDB) para o governo, e Flávio Dino (PSB) ao Senado.

“Posição do @PCdoBMaranhao sempre foi e é muito clara de apoio às pré-candidaturas do vice governador Carlos Brandão@carlosbrandaoma ao governo e do governador Flávio Dino@FlavioDino ao senado. É com essa chapas que venceremos as eleições para o Maranhão seguir no rumo certo (..) A aliança no Maranhão do PCdoB com PT e PSB e outros partidos e forças sociais que anunciarão apoio nos próximos dias e semanas expressa o movimento de mudanças reais realizadas pelo gov@FlavioDino e assegura as condições para sua continuidade e permanente aperfeiçoamento”, Márcio Jerry no twitter.

Deputado Othelino Neto se filiará ao PDT em março

O deputado Othelino Neto (PCdoB), presidente da Assembleia Legislativa do Maranhão, em coletiva de imprensa nesta segunda-feira, dia 7, anunciou sua filiação no PDT em março, partido presidido no estado pelo senador Weverton Rocha, pré-candidato ao governo.

A saída do PCdoB, partido pelo qual foi eleito duas vezes deputado estadual, para o PDT já era esperada e foi realizada de maneira cordata e tranquila. Othelino Neto apoia o senador Weverton para o governo do estado.

A decisão de Othelino tornou-se inevitável após o lançamento das pré-candidaturas do vice-governador Carlos Brandão (PSDB), que se filiará ao PSB nos próximos dias, e que tem apoio do governador Flávio Dino (PSB); do senador Weverton Rocha (PDT); e do ex-secretário Simplício Araújo (Solidariedade), todos ligados ao grupo governista.

Sobre a formação dos blocos partidários na Assembleia Legislativa, que passam a ter nova composição. Disse que em razão das eleições e das opções diferenciadas, partidos que estão juntos há oito anos, no mesmo grupo, vão se separar.

“Será apenas a dinâmica normal do Poder Legislativo e as disputas internas que são naturais. Os debates poderão ser acalorados, porém respeitosos”, destacou.

Quanto à Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Casa, Othelino informou que foram eleitos os pedetistas Márcio Honaiser para presidente e Ricardo Rios como vice-presidente. 

Eleições 2022: PT, PSB, PCdoB e PV voltam discutir Federação

Da Carta Capital

PT, PSB, PCdoB e PV voltaram a discutir nesta semana em Brasília o processo de federação entre os quatro partidos. Apesar de considerarem positiva a reunião não avançou em aspectos cruciais para sua consolidada que são escolhas entre PT e PSB em estados-chaves.

“Foi uma boa reunião, em que iniciamos a discussão do estatuto da federação, com grande grau de convergência. Continuaremos na próxima segunda feira as conversações”, disse a presidenta do PT, deputada Gleisi Hoffmann.

Um dos principais objetivos do encontro foi avançar no estatuto da federação. Como envolve partidos de diferentes tamanhos, discutiu-se um mecanismo para evitar que uma força imponha, isoladamente, uma determinação.

Também foi debatido a composição de uma assembleia da federação. Ela seria formada por 50 membros, divididos de acordo com o peso de cada sigla na Câmara: 27 do PT, 14 do PSB, 5 do PCdoB e 4 do PV.