Maranhense Ney Belo na lista de indicados ao STJ

Do Conjur

Messod Azulay Neto (TRF-2), Ney Bello (TRF-1), Paulo Sérgio Domingues (TRF-3) e Fernando Quadros da Silva (TRF-4) serão as opções de Jair Bolsonaro para preencher duas vagas de ministro do Superior Tribunal de Justiça.

A lista será enviada ao presidente foi formada em votação presencial pelo Pleno do STJ na manhã desta quarta-feira dia 11.

A lista visa a preencher as vagas abertas com a aposentadoria de Napoleão Nunes Maia e Nefi Cordeiro. Como ambos chegaram ao STJ por vagas destinadas a integrantes da Justiça Federal, todos os candidatos a sucedê-los são membros de Tribunais Regionais Federais.

Augusto Aras é contemplado com indicação para permanecer na PGR

Não chega ser surpreendente a decisão do presidente Bolsonaro, que nesta terça-feira, dia 20, anunciou a indicação de Augusto Aras, para permanecer como Procurador-Geral da República.

Agora caberá ao Senado Federal decidir sobre a indicação para recondução do PGR.

O procurador Augusto Aras, que também não estava na lista tríplice do MPF quando foi escolhido a primeira vez por Bolsonaro para PGR, agradeceu a nova indicação.

“Honrado com a recondução para o cargo de procurador-geral da República, reafirmo meu compromisso de bem e fielmente cumprir a Constituição e as Leis do País”, declarou Aras.

Bolsonaro simplesmente ignorou a lista tríplice indicada pelos Membros do Ministério Público Federal que vinha sendo respeitada desde o governo Lula.

Os escolhidos foram os subprocuradores Luiza Frischeisen, Mario Bonsaglia e Nicolao Dino.

Após o anuncio do presidente Bolsonaro indicando Augusto Aras para conduzir por mais 2 anos a PGR, a Associação Nacional dos Procuradores da República(ANPR), divulgou nota lamentando e criticando a decisão do presidente.

Aqui a íntegra da nota

TSE descarta advogado para vaga no TRE-MA por agressão a Flávio Dino

Hora do Povo

O Tribunal Superior Eleitoral (TSE),  por maioria 6 a 1 e com base no voto do ministro Alexandre de Moraes, rejeitou a indicação do advogado Roberto Charles de Menezes Dias para integrar a vaga destinada aos advogados como desembargador eleitoral do Tribunal Regional Eleitoral (TRE) do Estado do Maranhão.

Pesou no voto do ministro Alexandre de Moraes, apoiado pelos ministros Luís Felipe Salomão, Mauro Campbell, Tarcísio Vieira, Sérgio Banhos e Luís Roberto Barroso, vencido o voto do relator, ministro Edson Fachin, o fato do candidato à vaga no TRE-MA ter se manifestado, em suas contas em redes sociais, com acusações agressivas contra o governador do Estado do Maranhão, Flavio Dino, os ministros do Supremo Tribunal Federal (STF), o presidente do Conselho Federal da OAB e o Ministério Público.

Nessas manifestações, o advogado pleiteante à vaga de desembargador, revela falta de respeito, civilidade, tendo se referido ao governador Flavio Dino  como “comunista” e “porco” em razão das ações do governo estadual para garantir  medidas de proteção à saúde pública na maior crise sanitária vivida pelo país. 

Com isso, o advogado, um notório bolsonarista, evidenciou falta de imparcialidade, requisito para escolha e nomeação, após ter sido escolhido para integrar a lista tríplice.

O voto do ministro Alexandre de Moraes foi contundentemente expressivo na rejeição ao candidato pelas agressões que proferiu contra o governador maranhense e em defesa da política negacionista operada por Bolsonaro no país frente à pandemia.

Ao se manifestar sobre o episódio, Luciana Santos, vice-governadora de Pernambuco e a presidente nacional do PCdoB, partido do governador Flávio Dino, afirmou que “se um dia virasse jurisprudência firme, teríamos mais qualidade na vida institucional do país”.

Bolsonaro vincula mortes pela Covid a governadores adversários

 

q1reaLsM

247 – Enquanto o país ultrapassa os mais de 100 mil óbitos em decorrência da Covid-19, o governo Jair Bolsonaro, sem ministro da Saúde, prepara uma lista para relacionar governadores e prefeitos com as regiões com maiores índices da doença.

De acordo com reportagem do jornal O Globo, o nome do aliado Ibaneis Rocha, governador do Distrito Federal, foi omitido.

No entanto, o documento que O Globo teve acesso mostra que há um “top 5” de locais com mais “novos casos” e “novos óbitos”.

Ao lado dos indicadores, vem o nome dos cinco chefes do Executivo estadual respectivos, começando por João Doria, governador de São Paulo e adversário político de Bolsonaro.

O documento foi elaborado pela Secretaria de Governo (Segov) da Presidência da República usando dados do Ministério da Saúde justamento do último sábado, dia em que o Brasil ultrapassou os 100 mil mortos pela Covid-19.

Maranhão fora da lista dos que ultrapassaram limite de pessoal

 

Tes Ma

Estados limitesHoje quarta-feira (6), o governo federal através do Tesouro Nacional, corrigiu o erro de ontem ao divulgar os estados que ultrapassaram o limite de gasto com pessoal. Entre as unidades federativas estava incluído o Maranhão. A informação foi contestada pelo governador Flávio Dino logo após a divulgação. Os adversários do comunista chegaram comemorar efusivamente o fato do estado está na lista e mostrado nacionalmente.

Líder do PSL no Senado diz que escolha de Eduardo Bolsonaro é ‘apagar incêndio com gasolina’

 

Major-Olímpio-680x430Melhor não apostar na pacificação que querem passar para opinião pública em relação a guerra pelo comando no PSL, partido do presidente Jair Bolsonaro e seus filhos. O senador major Olímpio (SP), líder do PSL no Senado, disse hoje terça-feira (22) que se dependesse de apoio o deputado Eduardo Bolsonaro, não venceria um cone. Major Olímpio disse ainda que colocar o filho do presidente na liderança do partido na Câmara foi o mesmo que “apagar incêndio com gasolina”.

“Se você fizer a votação secreta não dá ele, se você fizer a votação aberta não da ele, se você botar um cone para disputar vai dar o cone”, disse major Olímpio.

Lista de Bolsonaro vai de parentes, aderentes a colegas de pescaria

 

bosa
Presidente eleito Jair Bolsonaro/Patrick Rodrigues / Agencia RBS

A posse do presidente eleito Jair Bolsonaro, no próximo dia 1º de janeiro, será um acontecimento que marcará também a vida de muitas pessoas próximas a um dos presidentes mais imprevisíveis na história da República Federativa do Brasil.

A lista pessoal de convidados de Bolsonaro é bastante extensa. Os parentes todos literalmente estão incluídos, ainda tem pastores evangélicos e nem a turma da pescaria foi deixada de fora.

Quanto aos pastores evangélicos, a lista vai do controverso Silas Malafaia, passando por Valdomiro Santiago ao mega milionário e dono da Igreja Universal e da TV Record, que espera se dá bem no governo Bolsonaro, o bispo Edir Macedo.

A lista para participar da posse de Bolsonaro, apesar de já contar com muitos nomes confirmados, ainda não está fechada. A informação é que são algo entorno de 2 mil convidados.

Entre os presidentes alguns já confirmaram participação outros não dariam as caras na posse, nem se fossem convidados, é o caso dos presidentes de Cuba e Venezuela, estes inclusive, foram retirados da lista por determinação do próprio dono da festa.

Outro que não dará às caras na posse será Donald Trump, presidente dos Estados Unidos. Mas, este não é por falta de convite. A presença dele era um grande sonho de Jair Bolsonaro, que não é novidade para ninguém, tem grande admiração por Trump e os EUA, inclusive bate continência sem constrangimento algum para bandeira norte-americana, já fez o mesmo até para um simples assessor da Casa Branca.