Guedes sai do governo se Reforma não for aprovada do jeito que ele quer

 

pg1
Paulo Guedes, ministro da Economia/Foto: Reprodução

O Globo – O ministro da Economia Paulo Guedes afirmou que irá renunciar ao cargo se a reforma da Previdência pretendida pelo governo virar uma “reforminha”, alertando que o Brasil pode quebrar já em 2020, de acordo com entrevista publicada no site da revista Veja nesta sexta-feira.

— Pego um avião e vou morar lá fora. Já tenho idade para me aposentar — disse ele, segundo a reportagem. — Se não fizermos a reforma, o Brasil pega fogo. Vai ser o caos no setor público, tanto no governo federal como nos Estados e municípios.

Mais uma vez, Guedes deu a entender que não fará esforços para manter seu cargo como ministro da Economia do governo Jair Bolsonaro:

— Eu não sou irresponsável. Eu não sou inconsequente. Ah, não aprovou a reforma, vou embora no dia seguinte. Não existe isso. Agora, posso perfeitamente dizer assim: ‘Olha, já fiz o que tinha de ter sido feito. Não estou com vontade de ficar, vou dar uns meses, justamente para não criar problemas, mas não dá para permanecer no cargo’. Se só eu quero a reforma, vou embora para casa.

De acordo com a publicação, Guedes afirmou que o presidente Jair Bolsonaro está totalmente empenhado em aprovar a reforma nos moldes em que o projeto foi enviado pelo governo ao Congresso, com expectativa de economia de até R$ 1,2 trilhão nos próximos dez anos.

Guedes reconhece que há uma margem de negociação, que pode no máximo ir a R$ 800 bilhões, e destacou ainda que a reforma previdenciária não está sendo apresentada apenas para equilibrar as contas públicas, mas que também se propõe a corrigir enormes desigualdades, de acordo com a revista.

Bira chama Reforma da Previdência de Bolsonaro de ‘perversa’ e convoca o povo para lutar

 

IMG-20190501-WA0133
Deputado Federal Bira do Pindaré (PSB), durante manifestações do 1º de Maio em São Luis/Foto: Reprodução

Identificado com movimentos sociais e sindical, o deputado federal Bira do Pindaré (PSB),marcou presença nas manifestações e comemoração dos trabalhadores, no 1º de Maio em São Luís. Pré-candidato a prefeito da capital, onde aparece em pesquisas internas bem posicionado, transitou com tranquilidade no meio dos participantes.

O principal tema que Bira do Pindaré discutiu com partidos, entidades sindicais e populares durante a manifestação foi a Reforma da Previdência. Para o deputado a proposta de reforma do governo Bolsonaro, em discussão no Congresso é perversa, e a população precisa está vigilante.

“Estamos lutando pelos direitos do povo trabalhador brasileiro que carrega esse país nas costas. Se essa proposta passar, não vai mais ter aposentadoria em nosso país, nem auxílio doença ou aposentadoria por invalidez. Quer dizer, as pessoas vão sofrer muito mais do que sofrem. Não faz sentido!”, alertou Bira do Pindaré.

Weverton e Eliziane reagem contra sigilo na Reforma da Previdência

 

sigilo
Senadores Maranhenses Weverton Rocha (PDT) e Eliziane Gama (Cidadania)/Foto: Reprodução

Os senadores maranhenses Weverton Rocha (PDT) e Eliziane Gama (Cidadania) reagiram nas redes sociais sobre a mais recente medida do governo Bolsonaro, que decretou sigilo em dados, cálculos e outras informações que constam na proposta de Reforma da Previdência, que está sendo debatida no Congresso.

Para Weverton, o sigilo do governo é um grave indicativo que há muita coisa errada na propostas. E que aceitar essa medida fará a população, principalmente os mais pobres, pagarem um preço ainda maior que o previsto.

“Aprovar uma reforma sem ver os cálculos seria como dar um cheque em branco para o governo. Mas esse cheque em branco seria pago pelos trabalhadores”, Alerta Weverto.

Quanta Eliziane, esta considerou a decisão do governo mais um erro grotesco e defendeu uma reforma justa aos mais pobres e totalmente transparente.

“Precisamos da reforma da Previdência, mas não podemos nos submeter a qualquer reforma, muito menos uma que pese a mão nos mais pobres e, muito menos ainda, uma que não seja 100% pública e transparente. Pedir sigilo aos dados da reforma é um erro grotesco do atual governo”, disse Eliziane Gama.

Othelino Neto comanda agenda positiva do Nordeste em Brasília

 

Nordeste 1
Foto: Reprodução

O deputado Othelino Neto (PCdoB), presidente da Assembleia Legislativa do Maranhão e do Colegiado do ParlaNordeste, entregou oficialmente, na última terça-feira (16), em Brasília (DF), a Carta de São Luís.

O documento contem o posicionamento do grupo quanto ao Consórcio Nordeste, Reforma da Previdência, Pacto Federativo e Fortalecimento dos Órgãos Regionais de Desenvolvimento – aos presidentes da Câmara e do Senado, respectivamente deputado federal Rodrigo Maia (DEM/RJ) e senador Davi Alcolumbre (DEM/AP).

Propostas de redução do Benefício de Prestação Continuada (BPC), alteração nas regras da aposentadoria rural e possível fusão do Banco do Nordeste (BNB) ao Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) são alguns dos itens que mais têm preocupado a região nordestina.

“Somos a favor da Reforma da Previdência, mas contrários a esses pontos, que, certamente, prejudicariam muito o Brasil, em especial o Nordeste”, esclareceu Othelino Neto.

Nordeste
Foto: Reprodução

O presidente do Senado Davi Alcolumbre parabenizou a manifestação dos presidentes nordestinos e garantiu que levará o tema ao conhecimento dos demais senadores.

“Saiam certos de que estamos comprometidos com esta causa a favor do Brasil e das regiões que mais precisam de nossa atuação política”, disse o senador.

Na Câmara, Rodrigo Maia disse que itens como alteração na aposentadoria de trabalhadores rurais e redução do BPC serão retirados da proposta de Reforma.

“Independente de partido já estamos começando a construir soluções de recuperação de investimentos para todos os estados brasileiros”, enfatizou.

Apesar da agenda positiva o deputado Othelino disse ser preciso atenção sobre a tramitação das pautas do Nordeste.

“Tivemos sinalizações objetivas do presidente do Senado no sentido de atender nossas demandas sobre Previdência e a possível fusão do BNB ao BNDES. E o presidente da Câmara nos disse que esses itens reivindicados da Reforma já são consenso do Congresso para que sejam aprovados. Neste sentido, voltamos para nossos estados mais tranquilos, mas sempre mobilizados a lutar pelas bandeiras de interesse do Nordeste”, afirmou.

Participaram da agenda em Brasília os Presidentes das Assembleias Legislativas: Othelino Neto (Maranhão), presidente do Colegiado do ParlaNordeste 2019, Themístocles Filho (Piauí), Luciano Bispo (Sergipe), Nelson Leal (Bahia) e Daniel Oliveira (representando José Sarto do Ceará).