Governadores do Nordeste reagem contra incitação à invasão de Hospitais

 

governadores-nordeste

Os nove governadores do Nordeste reagiram no inicio da noite desta sexta-feira (12), às declarações do presidente Bolsonaro em relação a COVID-19. Jair Bolsonaro sugeriu as pessoas que “arranjem um jeito” de invadir hospitais públicos para checar a ocupação de leitos.

“Desde o início da pandemia, os Governadores do Nordeste têm buscado atuação coordenada com o Governo Federal, tanto que, na época, solicitamos reunião com o presidente da República, Jair Bolsonaro, que foi realizada no dia 23/03/2020, com escassos resultados. O Governo Federal adotou o negacionismo como prática permanente, e tem insistido em não reconhecer a grave crise sanitária enfrentada pelo Brasil.., com mais de 800 mil casos”, diz recho do documento.

Durante live semanal de Bolsonaro na noite de ontem quinta-feira (11), Bolsonaro sugeriu apoiadores que filme se os leitos de hospiatais estão sendo utilizados por pacientes de coronavírus.

“Tem um hospital de campanha perto de você, tem um hospital público. Arranja uma maneira de entrar e filmar.., mas mais gente tem que fazer para mostrar se os leitos estão ocupados ou não, se os gastos são compatíveis ou não. Isso nos ajuda”, disse Bolsonaro.

Nordeste

Nordeste 1

Miguel Nicolelis rebate Bolsonaro e o presidente do CFM: Por que não vai pra trincheira?

 

new-project-18
Miguel Nicolelis, Jair Bolsonaro e Mauro Ribeiro, presidente do Conselho Federal de Medicina (Montagem)

O coordenador do Comitê Científico que auxilia os governadores do Nordeste, o médico e cientista Miguel Nicolelis, rebateu neste domingo (3), declaração de Mauro Ribeiro, presidente do Conselho Federal de Medicina (CFM), sobre o emprego de médicos formados no exterior nas Brigadas Emergenciais de Saúde no combate ao coronavírus, porta a porta principalmente nas cidades do interior.

“A pandemia expos a obscenidade e vilania daqueles que preferem que seres humanos sejam deixados à própria sorte e morram sem atendimento médico do que abrir mão do seu corporativismo obsceno. Por que o presidente do CFM não se oferece para ser parte das Brigada então? Pq ele não vai para a trincheira?”, indagou Nicolelis.

Ele denuncia o corporativismo, o lobby e a atitude político do presidente do CFM, que já teria esquecido o juramento de Hipócrates e a função da medicina. Nocolelis é respeitado mundialmente.

“Tem que ler o juramento de Hipócrates para este senhor! Ele já esqueceu qual é a função da medicina: servir a humanidade, diminuir o sofrimento do ser humano, salvar vidas! No juramento não se fala em nenhum lugar que local do diploma invalida o dever do médico em servir a sua causa”, dispara o cientista.

De acordo com Nicolelis vivemos uma guerra, com batalhas no campo sanitário e no de informação, para combater mentiras propagadas por Jair Bolsonaro.

“É uma Guerra! Que parte desta frase ainda não foi entendida pelos arautos do corporativismo de plantão que votaram no Pandemônio e não mexem 1 dedo para atuar no combate à Pandemia?”, diz o cientista, indignado com a posição do CFM.

O coro de Bolsonaro com o presidente do CFM, que já criticou “os governo do PT por popularizarem a medicina”, tem um alvo claro: a política de combate porta a porta proposta pelo conselho científico comandado pelo médico e cientista Miguel Nicolélis para combater o coronavírus no Nordeste.

A medida foi aprovada pelos nove governadores da região através do Consório Nordeste de Combate ao Coronavírus em 17 de abril, os médicos que participarão do projeto serão supervisionados por outros profissionais na política de combate a doença porta a porta.

Nicolelis disse que a batalha contra o coronavírus no Nordeste só será vencida superando o déficit de profissionais de saúde na região, que chega a 15 mil, mesmo número estimado de médicos que aguardam um novo exame Revalida para exercer a profissão no país. (Revista Fórum)

Flávio Dino cobra Nelson Teich respiradores, solução para filas e leitos no Hopital Universitário

 

ReuniãoOs governadores do Nordeste participaram de reunião nesta terça-feira (29), através de videoconferência, com o ministro da Saúde, Nelson Teich, onde trataram da pandemia do novo coronavírus. Logo após a reunião o governador do Maranhão, Flávio Dino, informou que sugeriu medidas, que segundo ele, ajudará muito.

“Finalizamos agora mais uma reunião dos governadores do Nordeste com o ministro da Saúde. Fiz 3 sugestões ao Ministério: 1) Comprar mais respiradores. 2) Banco Central obrigar bancos a organizarem suas filas. 3) Ampliação de leitos no Hospital da Universidade Federal do Maranhão” destacou Flávio Dino

Na reunião, o governador reforçou a necessidade de ampliação de leitos por parte da EBSERH (Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares). No Maranhão, a empresa administra o Hospital Universitário da Universidade Federal do Maranhão.

“O HU da UFMA tem grande importância em nosso estado, é um complexo hospitalar que pode ajudar muito e tem ajudado muito pouco nas últimas semanas. Nós já temos 2.800 casos no Maranhão. Pedimos que a EBSERH providencie o pleno funcionamento ou disponibilize a estrutura para o Governo do Estado para utilizarmos e montarmos leitos”, solicitou o governador.

Ele também chamou atenção para o problema do pagamento do Auxílio Emergencial, que tem formado longas filas nas portas das agências da Caixa Econômica Federal, facilitando o contágio da população pelo vírus.

“A fila da Caixa virou problema sanitário gravíssimo. Lembro que a CAIXA é órgão do Governo Federal e objeto de fiscalização mediante Banco Central. Temos feito fiscalização no âmbito estadual, por meio do Procon e da nossa Vigilância Sanitária, e temos imposto sucessivas multas. Os bancos têm sido autênticos polos de irradiação do coronavírus em praticamente todas as cidades brasileiras”, argumentou o governador.

O governador Flávio Dino pediu, ainda, que o Ministério da Saúde complemente os 20 leitos de UTI que o Estado recebeu essa semana. Na entrega, faltaram os respiradores.

“Tivemos compromisso do Ministério para recebimento de 20 leitos de UTI. Nós recebemos a maior parte dos equipamentos, menos os respiradores relativos aos 20 kits recebidos. Solicitamos que dos 20 kits já entregues sejam completados com entrega dos respiradores”, requisitou.

Governadores do Nordeste se reúnem no Rio Grande do Norte

 

RIO GRANDE
Foto: Reprodução

O governador do Maranhão Flávio Dino (PCdoB), uma das vozes mais contestadora e lucidas na atual conjuntura política brasileira, também mantém uma agenda intensa nacionalmente. A sua ideia de uma frente ampla de centro esquerda vem tomando corpo e já é encarada como alternativa para 2020 e 2022.

No  twitter nesta segunda-feira (16), ele anunciou sua participação em mais uma reunião do Consórcio Nordeste, que acontece no Rio Grande do Norte. Flávio Dino também mantém liderança e protagonismo entre os governadores da Amazônia Legal.

‘Participo hoje da reunião do Consórcio Nordeste, realizada no Rio Grande do Norte. Debatemos sobre simplificação e justiça do sistema tributário no Brasil, parcerias administrativas na área da saúde e dos direitos do consumidor, além da pauta federativa no Congresso Nacional’, destacou Flávio Dino nas redes sociais.

Flávio Dino diz a João Doria que atitude não é subserviência

 

707A14A9-2C14-4F11-8891-914FF3094A3E
Governador do Maranhão, Flávio Dino (PCdoB)/Foto: Reprodução

Em matéria publicada nesta sexta-feira (14), na Folha de SP, o governador de São Paulo, João Doria (PSDB), ao falar sobre a Reforma da Previdência criticou os governadores do Nordeste. Para Doria, faltou ‘atitude’ aos governadores nordestinos para incluir Estados e Municípios na Reforma.

Mas, como recomenda a boa sabedoria popular ‘quem diz o que quer ouve o que não quer’. Para Dino, ao contrário que pensa o governador do estado mais rico da federação, a atitude dos governadores evitou graves retrocessos e prejuízo, principalmente aos mais pobres.

“Governador Doria, diz que falta “atitude” aos governadores do Nordeste. Se atitude significa ser subserviente, não é realmente o nosso caso. Nossa atitude tem evitado graves retrocessos, em temas como BPC, aposentadoria rural, capitalização, desconstitucionalização”, respondeu Flávio Dino.

O governador do Maranhão, um dos opositores e críticos mais fortes do governo Bolsonaro, disse que respeita as ‘atitudes’ e escolhas ideológicas de João Doria’, mas ele precisa respeitar as dos governadores do Nordeste.

“Claro que respeitamos as “atitudes” do governador de São Paulo. São escolhas ideológicas e ele que responda por elas. Mas certamente ele não tem o direito de reclamar idênticas “atitudes” de quem deseja preservar direitos sociais dos mais pobres”, completou Dino.

Por fim, Flávio Dino, disse que manterá a opção pelo diálogo como sempre fez, mas sem abdicar dos seus princípios.

“De minha parte, mantenho a mesma conduta desde sempre: diálogo com todos, mas sem abrir mão de princípios. Princípios estes que são diferentes dos adotados pelo governador Doria. Diferenças normais em um regime democrático, e por isso têm todo meu respeito”, concluiu o governador do Maranhão.

Márcio Jerry volta retrucar Joice Rasselmann após tom de deboche com governadores do Nordeste

 

6B3C83C8-A0FD-4734-BA57-2FAC38DAAE86
Joice Rasselmann (PSL-SP) e Márcio Jerry (PCdoB-MA)/Foto: Reprodução

A esquisita e histriônica deputada, Joice Hasselmann (PSL-SP), líder do governo Bolsonaro na Câmara Federal, resolveu nesta sexta-feira (7), atacar nas redes sociais em tom de deboche governadores do Nordeste que agora, segundo ela, seriam favoráveis à Nova Reforma da Previdência.

“Governadores do Nordeste defendem AGORA estados e municípios na Nova Previdência. Depois de criticarem a proposta e colocarem seus próprios deputados em saia justa voltaram atrás. Quero saber se esses govs vão pedir PUBLICAMENTE para seus deputados votarem na #NovaPrevidência”, disse Joice no Twitter.

O deputado Márcio Jerry (PCdoB-MA), aliado do governador do Maranhão, Flávio Dino, que não assinou a tal Carta dos Governadores que apoiam a ‘Nova Reforma’ divulgada ontem quinta-feira (6), se encarregou de defender os governadores do Nordeste. Também no twitter, ele disse que a colega de parlamento Joice Rasselmann mostrou mais uma vez porque o respeito a ela como líder no Congresso é “perto de zero”.

“Para de expelir bobagens. Posição dos governadores do Nordeste AGORA é a mesma de um mês, de dois meses atrás. Por essa e tantas outras é que tua respeitabilidade como “líder” é perto de 0.”,

Joice Rasselmann que também é jornalista, inclusive acusada de plagiar colegas, de fato é criticada e contestada como líder no Congresso não só pela oposição, mas também por aliados do governo e membros do próprio partido. Ela deve acreditar que pegando carona em polêmicas políticas, mantém-se em evidência, conquista curtidas nas redes sociais, e ainda, faz média com Jair Bolsonaro.